sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

ESTE PAÍS NÃO É PARA VELHOS (2007)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: No Country For Old Men
Realização: Ethan Coen e Joel Coen
Principais Actores: Tommy Lee Jones, Javier Bardem, Josh Brolin, Woody Harrelson, Kelly Macdonald

Crítica: Raras são as vezes em que, com tamanha mestria e perfeição, fotografia, montagem e realização se elevam em uníssono harmonioso na concepção de um filme tão bom. Dotado de um argumento brilhante, tão metafórico quanto perspicaz, e perante a ausência plena de banda sonora, Este País Não É Para Velhos é atravessado por uma linha crescente de suspense que prende atenções do início intrigante ao desfecho elíptico. Western dos tempos modernos e policial repleto de acção, a obra dos Coen actualiza o género: se a ganância é a mesma de sempre, já o carácter do vilão mergulha agora nos meandros da psicopatia. Excelente Javier Bardem. E o filme acaba ainda por filosofar a evolução geracional: a inadaptação dos velhos (todos eles alvo de caricatura ao longo do filme), a sua nostalgia dos tempos idos, e a sua falta de esperança no futuro. Magnífico.

OS AMORES DE ASTREA E DE CELADON (2007)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Les Amours d'Astrée et de Céladon
Realização: Eric Rohmer
Principais Actores: Andy Gillet, Stéphanie Crayencour, Cécile Cassel, Véronique Reymond, Rosette, Jocelyn Quivrin, Mathilde Mosnier, Rodolphe Pauly, Serge Renko, Arthur Dupont, Priscilla Galland, Olivier Blond, Alexandre Everest

Crítica:

AMOR EM TEMPOS DE POESIA

É um estilo de fazer cinema. 1) Apresenta o filme como um artifício no seu todo, como uma arte e como uma representação da realidade. 2) A diegese primordial é o cerne máximo do filme.

A obra vive dos sons da natureza e dos mundanos instantes do ser humano... as suas personagens jovens e belas, emanam uma sensualidade ancestral. A representação, teatral, é deixada para segundo (ou posterior) plano, em virtude da aclamação da palavra e do seu potencial. A câmera é parada, estática... enquadrada com perfeição, limita-se a captar as sensações e o belo natural da paisagem pastoril. Música, só enquanto elemento diegético. Fora da diegese, a música é vista como um artifício à artificiosa representação do real com que o filme nos presenteia. Falar destes critérios é teorizar sobre a escola do realizador, mas é também criticar o seu fruto, Os Amores de Astrea e de Celadon, não fosse Rohmer tão apegado ao seu estilo.

O argumento, muito bem escrito, declama um poema antigo. As imagens pintam e perpetuam-se na nossa memória. Os Amores de Astrea e de Celadon não é senão uma obra encantadora e... de outros tempos... puros... Grande, grande filme.

domingo, 25 de janeiro de 2009

FRACO
★★
Aos filmes que, segundo o autor, falham as suas tentativas de coesão narrativa ou interna, entre os vários constituintes do filme.

Eu Vos Saúdo, Maria

Mala Noche

Negros Hábitos

Rio Lobo

PÉSSIMO

*

Não existem filmes listados com esta pontuação.
BOM
★★★★
Aos filmes que, segundo o autor, se elevam claramente acima da média, mas que, no entanto, não triunfam o suficiente a nível narrativo, técnico ou artístico para se afirmarem como uma obra verdadeiramente excepcional.

2 Dias em Paris

24 Hour Party People

Acontecimento, O

Alexandre, O Grande

Amores de Astrea e de Celadon, Os

Annie Hall

À Procura da Terra do Nunca

Aristogatos, Os

Armageddon

August Rush - O Som do Coração

Austrália

Aventuras de Peter Pan, As

Canções de Amor, As

Cavaleiro das Trevas, O

Cercados

Chicago

Cleópatra (1934)

Cleópatra (1963)

Climas

Colateral

Colisão

Comboio das 3 e 10, O

Confissões de Schmidt, As

Control

Corações

Coristas, Os

Crimson Peak - A Colina Vermelha

Delicatessen

Depois da Terra

Desencontros

Dez Mandamentos, Os

Diamante de Sangue

Diários de Che Guevara

Dois Homens e Um Destino

Drive - Risco Duplo

Eduardo Mãos de Tesoura

El Dorado

Elizabeth

Escafandro e a Borboleta, O

Esquiva, A

Essência do Amor, A

Estrada, A

Eu, Robot

Fantasma da Ópera, O

Fantástico Senhor Raposo, O

Fiel Jardineiro, O

Frida

Fúria

Gallipoli

Gattaca

Harry Potter e A Pedra Filosofal

Harry Potter e O Cálice de Fogo

Hobbit - A Desolação de Smaug, O

Homem de Aço

Homem Morto

Homem na Lua

Inadaptado

Indomável

Intérprete, A

Juno

Kiki, A Aprendiz de Feiticeira

King Kong

Labirinto do Fauno, O

Lei do Desejo, A

Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, A

Lost in Translation - O Amor É Um Lugar Estranho

Lugar À Beira-Mar, Um

Maldição da Flor Dourada, A

Mamma Mia!

Maquinista, O

Match Point

Melancolia

Método Perigoso, Um

Missão, A

Munique

Náufrago, O

Oliver Twist

Origem, A

Outra Margem, A

Padrinho - Parte III, O

Paixão dos Fortes, A

Paranoid Park

Parnassus: O Homem Que Queria Enganar o Diabo

Patriota, O

Pequena Sereia, A

Perfume - História de Um Assassino, O

Piratas das Caraíbas - A Maldição do Pérola Negra

Piratas das Caraíbas - O Cofre do Homem Morto

Platoon - Os Bravos do Pelotão

Ponyo à Beira-Mar

Por Mais Alguns Dólares

Porta no Chão, A

Por um Fio

Praia, A

Primavera, Verão, Outono, Inverno... e Primavera

Prometheus


Quatro Penas Brancas, As

Quem Quer Ser Bilionário?

Rainha, A

Rapaz do Pijama às Riscas, O

Rede Social, A

Relatório Kinsey

Rescue Dawn - Espírito Indomável

Rio Bravo

Robin Hood

Silêncio dos Inocentes, O

Sinais

Spartacus

Spider

Star Wars I - A Ameaça Fantasma

Star Wars IV - Uma Nova Esperança

Star Wars V - O Império Contra-Ataca

Terra da Abundância

Traffic - Ninguém Sai Ileso

Truman Show - A Vida em Directo, The

Tudo Sobre a Minha Mãe

Último Airbender, O

Último Samurai, O

Visitante, O

Zatoichi

Zodiac


MUITO BOM
★★★★★
Aos filmes que, segundo o autor, atingem a plenitude dos objectivos a que se propuseram, cumprindo com mestria a sublimidade narrativa, técnica ou artística.

12 Anos Escravo

12 Macacos

21 Gramas

101 Dálmatas

1492: Cristóvão Colombo

A Caminho de Idaho

Adeus, Minha Concubina

África Minha

Aguenta-te, Canalha

Aladdin

A Leste do Paraíso

Alice Já Não Mora Aqui

All That Jazz - O Espectáculo Vai Começar

Amadeus

Amor

Amor Cão

Andrei Rubliov

Anjo Exterminador, O

Apocalypto

Arca Russa, A

Artista, O

Assassínio de Jesse James pelo Cobarde Robert Ford, O

Aurora

Bambi

Bando à Parte

Barry Lyndon

Bela Adormecida, A

Bela e o Monstro, A

Beleza Americana

Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância

Boogie Nights - Jogos de Prazer

Bom, O Mau e O Vilão, O

Bom Rebelde, O

Bonnie e Clyde

Braveheart - O Desafio do Guerreiro

Brincadeiras Perigosas (1997)

Brincadeiras Perigosas (2007)

Brisa de Mudança

Brown Bunny, The

Bruscamente no Verão Passado

Bruxa, A

Buffalo 66

Cabo do Medo, O

Caminho Para Perdição

Caravaggio

Cartas de Iwo Jima

Carteirista, O

Casablanca

Castelo Andante, O

Castelo no Céu, O

Cavaleiros, Os

Cavalo de Guerra

Cavalo de Turim, O

Cela, A

Chinatown

Chungking Express

Cinderella Man

Cinzas do Tempo, As

Cisne Negro

Código Desconhecido

Cold Mountain

Contos da Lua Vaga, Os

Corcunda de Notre Dame, O

Crepúsculo dos Deuses, O

Criança, A

Danças com Lobos

Dancer in the Dark

Darjeeling Limited

Dark City - Cidade Misteriosa

Departed - Entre Inimigos, The

Desaparecida, A

Despertar da Mente, O

Discurso do Rei, O

Disponível Para Amar

Dogville

Dolls

Dr. Estranho Amor

Elephant

Elétrico Chamado Desejo, Um

Embriagado de Amor

Em Carne Viva

Encontro

Encontros Imediatos do 3º Grau

Este País Não É Para Velhos

Estrada, A

Estranho Caso de Benjamin Button, O

Estranho Mundo de Jack, O

Europa

Eva

Expiação

Eyes Wide Shut - De Olhos Bem Fechados

Fala Com Ela

Febre Tropical

Felizes Juntos

Férias do Sr. Hulot, As

Filadélfia

Filhos do Homem, Os

Fome

Forrest Gump

Forte Apache

Fúria de Viver

Gandhi

Gangs de Nova Iorque

Gato Preto, Gato Branco

Gerry

Gladiador

Grande Esperança, A

Gran Torino

Gravidade

Greve, A

Guerra dos Mundos

Harry Potter e a Câmara dos Segredos

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Harry Potter e a Ordem de Fénix

Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 1

Harry Potter e os Talismãs da Morte: Parte 2

História de Violência, Uma

Hobbit - A Batalha dos Cinco Exércitos, O

Hobbit - Uma Viagem Inesperada, O

Homem Elefante, O

Homem Que Matou Liberty Valance, O

Homem Que Veio do Futuro, O

Homem Singular, Um

Horas, As

Horizontes de Glória

I Am Sam - A Força do Amor

Idade da Inocência, A

I'm Not There - Não Estou Aí

Imperdoável

Império do Sol

Inimigos Públicos

Interstellar

Intervenção Divina

Intocáveis, Os

Intriga Internacional

Irmão, Onde Estás?

Kagemusha - A Sombra do Guerreiro

Laço Branco, O

Ladrões de Bicicletas

Last Days - Últimos Dias

Lawrence da Arábia

Livro da Selva, O (2016)

Longe do Paraíso

Longo Domingo de Noivado, Um

Luzes da Cidade

Macbeth

Má Educação

Mágico, O

Máquina Zero

Mary Poppins

Mascarilha, O

Master & Commander - O Lado Longínquo do Mundo

Meia-Noite em Paris

Memento

Mente Brilhante, Uma

Mentor, O

Meu Tio, O

Meu Vizinho Totoro, O

Milk

Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos

Minnie and Moskowitz - Tempo de Amar

Miseráveis, Os

Mulan

Mulholland Drive

Mundo a Seus Pés, O

Mystic River

Na América

Nascido Para Matar

Nausicaä do Vale do Vento

New York, New York

Noé

Noivos Sangrentos

Nova Iorque Fora de Horas

Oito Odiados, Os

Oliver!

Orfanato, O

Orgulho e Preconceito

Outros, Os

Paciente Inglês, O

Padrinho,O

Padrinho - Parte II, O

Pai Foi em Viagem de Negócios, O

Paixão de Cristo, A

Paixão de Shakespeare, A

Pearl Harbor

Pecados Íntimos

Pianista, A

Pianista, O

Pinóquio

Polar Express

Pontes de Madison County, As

Praias de Agnès, As

Princesa Mononoke

Príncipe do Egipto, O

Procurem Abrigo 

Promessas Perigosas

Protegido, O

Psico

Pulp Fiction

Quadrilha Selvagem, A

Quatrocentos Golpes, Os

Queda - Hitler e o Fim do Terceiro Reich, A

Quem Tramou Roger Rabbit?

Ran - Os Senhores da Guerra

Rei Leão, O

Relatório Minoritário

Revolutionary Road

Romeu + Julieta

Segredo de Brokeback Mountain, O

Segredo dos Punhais Voadores, O

Semente do Ódio, A

Senhora da Água, A

Sensibilidade e Bom Senso

Sete Pecados Mortais

Sexto Sentido, O

Shine - Simplesmente Genial

Shutter Island

Sinédoque, Nova Iorque

Sin City - A Cidade do Pecado

Snowpiercer - O Expresso do Amanhã

Solaris

Sonhadores, Os

Slipstream - A Vida Como Um Filme

Star Wars II - O Ataque dos Clones

Star Wars III - A Vingança dos Sith

Sweeney Todd - O Terrível Barbeiro de Fleet Street

Tarzan

Tempo que Resta, O

Tenenbaums - Uma Comédia Genial, Os

Terceiro Passo, O

Tigre e o Dragão, O

Trainspotting

Troca, A

Tudo Bons Rapazes

Túmulo dos Pirilampos, O 

Última Hora, A

Última Tentação de Cristo, A

Último Tango em Paris, O

Umberto D.

Vale Era Verde, O

Valmont

Velvet Goldmine

Vício Intrínseco

Vida de Pi, A

Vida É Um Romance, A

Vila, A

Violino no Telhado, Um

Voando Sobre Um Ninho de Cucos

Wrestler, O

EXCELENTE
★★★★★

Aos filmes que, segundo o autor, superam os objectivos a que se propuseram com genialidade, originalidade ou maior ousadia, ascendendo a uma dimensão etérea e divina; ou seja, são arte no estado mais puro.

2001: Odisseia no Espaço

2046

8 1/2

Abraço da Serpente, O

Aconteceu no Oeste

Aguirre, O Aventureiro

A.I. - Inteligência Artificial

Amarcord

Anticristo

Apocalypse Now

Árvore da Vida, A

Asas do Desejo, As

Aviador, O

Babel

Barreira Invisível, A

Ben-Hur

Blade Runner - Perigo Iminente

Branca de Neve e os Sete Anões

Cidade de Deus

Cinema Paraíso

Close-Up

Cloud Atlas

Clube de Combate

Condenados de Shawshank, Os

Dias do Paraíso

Donnie Darko

Doutor Jivago

Era Uma Vez na América

Espelho, O

E Tudo o Vento Levou

Fabuloso Destino de Amélie, O

Feiticeiro de Oz, O

Fountain - O Último Capítulo, The

Gigante

Haverá Sangue

Herói

Homem da Câmera de Filmar, O

Homem de Londres, O

Infância de Ivan, A

Invenção de Hugo, A 

Irreversível

Kill Bill - A Vingança

Kundun

Lado Selvagem, O

Laranja Mecânica

Lista de Schindler, A

Mad Max - Estrada da Fúria

Mãe e Filho

Magnolia

Matrix

Metropolis

Moulin Rouge!

Novo Mundo, O

Oldboy - Velho Amigo

Palavra, A

Piano, O

PlayTime - Vida Moderna

Pocahontas

Queda do Império Romano, A

Rashômon - Às Portas do Inferno

Reino dos Céus

Renascido, O

Resgate do Soldado Ryan, O

Sacanas Sem Lei

Senhor dos Anéis, O (2001, 2002, 2003)

Serenata à Chuva

Sétimo Selo, O

Shining

Sonho Encantado, Um

Stalker

Taxi Driver

Titanic

Touro Enraivecido

Último Imperador, O

Viagem de Chihiro, A

Vida é Bela, A

Vida Não É Um Sonho, A

Vinhas da Ira, As


quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

As Crónicas de Calcifer (2) - BENJAMIN BUTTON: Um Estranho Caso de Aborrecimento



Vamos ver se não acabo nem começo por filosofias baratas sobre a morte. BENJAMIN BUTTON... tiveste uma vida de fortúnios e infortúnios como toda a gente... de estranho mesmo estranho só o facto de rejuvenesceres em vez de envelheceres... mas se o filme abarca a tua vida inteira, tudo o que acontece é previsível... muito previsível... A tua história é estranha mas numa frase se resume. E inútil foi a esperança de que tivesses um final diferente... esperei eu tanto (tanto) pelo final e acabou tudo como se esperava. Nem uma lágrima me fugiu dos olhos, os olhos é que mais me fugiam para o sono. Tédio, Benjamin, tédio... Brad Pitt, estiveste bem enquanto velho entediado ou puto entediado. Que tédio... CONTEI! Contei os bocejos durante a sessão!!! Nas caras dos que aos poucos restavam na sala CONTEI! 22. Presságio para a noite dos Oscars? Esperemos que não.


OH Fincher... excelente realização, excelente fotografia, excelentes cenários e decoração, muito bom guarda-roupa, muito bons efeitos especiais, excelentes efeitos sonoros, muito boa banda sonora (QUE conseguiu! Conseguiu acentuar o espírito sonolento e entediante do filme). O argumento é muito chato. Não é nada de mais. Mesmo. O tema da história em si é interessante mas o argumento é... AI!


OH Fincher... mas que realização tão sublllime! O Homem dos 7 raios! (História.) A cena que antecede o atropelamento de Daisy! (História.) A dança de Daisy para Benjamin no seu vestido vermelho! (História.) Cate Blanchett está tão bonita! Tantos os momentos que ficarão para a História! Mas esta comédia negra/melodramática com fedor a Forrest Gump é aborrecida... e o argumento não surpreende... Eu esperava de ti, Fincher... mais ousadia! Porque o tema pedia mais ousadia... o argumento podia pôr-nos a pensar! E não a dormir!
OH Fincher... Benjamin Button não só cheira a naftalina como também (e demais) a Oscars! Últimas palavrinhas aqui da chaminha por botão adormecida: este filme não acrescenta nada à História do Cinema. A não ser espaço. Ai! Ai não me engano ou este filme vai tornar-se maior com o tempo...

AS CRÓNICAS DE CALIFER. A ironia, a sátira, o humor.
Nota: o conteúdo destas «Crónicas de Calcifer» não expressa, necessariamente, as opiniões e interesses do autor deste blog.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

21 GRAMAS (2003)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: 21 Grams
Realização: Alejandro González Iñárritu
Principais Actores: Sean Penn, Naomi Watts, Benicio Del Toro, Charlotte Gainsbourg, Melissa Leo, Clea DuVall, Danny Huston

Crítica: Uma soberba realização de Iñárritu num filme tenso e magnificamente intenso: nas interpretações (Naomi Watts - que está sublime e num dos melhores papéis da sua carreira - e o brilhante Sean Penn são a cabeça de um elenco perfeito), no muito bem escrito argumento de Guillermo Arriaga e na banda sonora de Gustavo Santaolalla. A (des)construção do argumento resulta em muito mais do que um mero artifício e a montagem é genial.

21 Gramas põe a descoberto as fragilidades e tragédias do ser humano... e colide-as num retrato verdadeiramente brutal. Consequências inevitáveis do acaso... a que estamos todos sujeitos...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

THE FALL em DVD


Todos nós temos noção de muitas das faltas existentes no nosso actual mercado do DVD. Há títulos importantíssimos que ainda não foram lançados.
O nosso objectivo não é culpar seja quem for.
Serve a presente rúbrica para chamar à atenção de uma dessas faltas: THE FALL em DVD. Aclamado por todo o mundo como um dos melhores filmes do ano, gostaria de apelar à sensibilidade dos actuais responsáveis pela indústria para o lançamento deste título em Portugal.
Sozinha, uma voz poderá não ir muito longe. Por isso, gostaria de contar com o apoio de todos os meus colegas da comunidade de blogs e sites de cinema em Portugal: façam um post igual a este (título, texto e imagem) no vosso blog e divulguem a iniciativa!

Muitas vozes, poderão certamente fazer-se ouvir.

Obrigado pelo apoio de todos!

-----------------------------------------------

Veja o trailer:

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

MEMENTO - Para que conste.


É importante dizê-lo, para que conste.

A mais recente edição em DVD de MEMENTO traz no disco de extras a tão falada e aguardada Versão Cronológica do Filme, versão que se revela fulcral ou uma mais-valia para o entendimento do filme, mesmo para os seus amantes maiores.

Depois de assistir a esta versão, passei a valorizar ainda mais o filme original.

Leia a crítica ao filme, clicando aqui.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

INADAPTADO (2002)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Adaptation
Realização: Spike Jonze
Principais Actores: Nicolas Cage, Meryl Streep, Chris Cooper, Tilda Swinton, Brian Cox, Maggie Gyllenhaal, Cara Seymour

Comentário: Interessante ensaio sobre a condição humana (constantemente sujeita às adaptações da vida), perfeitamente conseguido tanto pelo talento superior do elenco como pelo argumento prodigiosamente original de Charlie Kaufman, argumentista de O Despertar da Mente.
[Crítica em breve]

_________________________________
Nota especial para a infeliz escolha do título português.

domingo, 11 de janeiro de 2009

A QUEDA - HITLER E O FIM DO TERCEIRO REICH (2004)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Der Untergang
Realização: Oliver Hirschbiegel
Principais Actores: Bruno Ganz, Alexandra Maria Lara, Corinna Harfouch, Ulrich Matthes, Juliane Köhler, Julia Jentsch

Crítica: Bruno Ganz tem aqui uma prestação fenomenal como Adolf Hitler. Brilhante. Dos melhores papéis jamais interpretados por um actor. O restante elenco está muito bem e a fotografia, os excelentes cenários e a qualidade inegável dos efeitos sonoros contribuem de forma decisiva para um filme cru e perfeito na recriação do ambiente de claustrofobia em torno do bunker do Führer e das tensões por entre as ruas de uma Berlim na iminência de cair. Em última análise, A Queda revela-se-nos como uma experiência verdadeiramente angustiante.

sábado, 3 de janeiro de 2009

As Crónicas de Calcifer (1) - Porque não se pode gostar de AUSTRÁLIA


O mundo da crítica é muito directo, racional e justo. E de que maneira. Nada de elites, não há elites na crítica, na crítica cinematográfica. Nem estatutos artificiais e fantasiosos. É tudo perfeito. Não se pode é gostar de TITANIC. Não se pode é gostar de PEARL HARBOR. Não se pode é gostar de AUSTRÁLIA. De resto, o mundo da crítica é simpático e perdoável.

Não se pode é gostar de histórias de amor. Daquelas que não estão apetrechadas de intelectualismo. De preferência intelectualismo fecundo. Porque arte, como se sabe, significa intelectualismo.

Já fede o ódio intelectualista à arte de TITANIC. Não são sempre opiniões diferentes, acreditem. Quando não é «integração no grupo», já o explica a Sociologia, é muitas vezes esta noção de arte intelectualóide. PEARL HARBOR, por exemplo, tem o azar de ter um realizador comercial, que como se sabe está logo à partida incapacitado de criar arte maior. Uma coisa leva necessariamente à outra. Se tiver um Ben Affleck como actor principal, então, o filme está morto. Não por ele até poder prestar um bom desempenho, mas porque é mais um Leonardo DiCaprio ou um Brad Pitt. É naturalmente bonito. E beleza não convém muito a uma obra de arte. Tem é que ser intelectualóide. Leonardio DiCaprio, como se sabe, é um actor sem talento e o mesmo se pode dizer de Brad Pitt. Não lhes bastava serem bonitos, ainda tinham que ser desastres no mundo da representação. Péssimas escolhas, estes actores... são venenos de bilheteira, como recentemente chamaram a Nicole Kidman. Outra que também teve o azar de ser bonita e ao mesmo tempo tão pouco talentosa... ah, e artificial («veneno de bilheteira», os mesmos que criticam os filmes de Michael Bay e que parecem tantas vezes querer matar um filme só pelo seu sucesso comercial). Não, não se pode gostar de TITANIC, PEARL HARBOR, AUSTRÁLIA... São narrativas orgânicas! (no sentido de Bürger, A Teoria da Vanguarda) Estas obras não complicam, não se tentam mostrar pós-modernas, entendem? Umas para as outras são como Odisseias e Eneidas e Os Lusíadas: no sentido em que se imitam narrativamente... Bah Bah Bah... Ai Calcifer, Calcifer! Já estou a consumir demasiada lenha, ainda me consumo!

Sarah Ashley e Drover têm pouca química no ecrã. Afinal agora já é porque são diferentes de uns Jack e Rose e de uns Rafe e Evelyn. Sim, porque Sarah e Drover até são uns pré-adultos... em idade e em personalidade! Ah, deviam ter imitado os outros pares românticos para... podermos criticar na mesma!


São uns seis filmes num só, este AUSTRÁLIA. Que falha de Luhrmann. Jurava que a ideia fazia parte da própria estética do autor, devo estar enganado. Muita confusão de géneros, péssimas opções tomadas. «Somewhere over the Rainbow»? Em AUSTRÁLIA? Ah, só sabe imitar, este Luhrmann! Sustenta o seu filme na obra dos outros! AUSTRÁLIA e O FEITICEIRO DE OZ são como eu e o Howl. Um sem o outro não vive.

O filme é artificial! Humm... mais um resultado de péssimas opções do realizador. Nada a ver com a sua estética. Lenha! Lenha! Ah, os efeitos especiais são tão artificiais! São a mais! Não, não são artificiais. Nem sempre resultam da melhor forma, pois bem. Mas é tudo a mesma coisa! O filme já está morto mesmo antes de estrear! E quando estreou nos Estados Unidos só fez 30 milhões e custou mais uns 100 milhões. Dead film. É como um PEARL HARBOR, não vale a pena! Encham-nos de polpa! Polpa! O argumento é muito vazio (intelectualmente, entenda-se), cheio de clichès (mais uma péssima opção, bolas!).

Sim, faltam-lhe ideias. Mas até nisso se distingue de TITANIC e de PEARL HARBOR. Agora não me critiquem o misticismo! Que escolha mais errada! Então isso tem alguma coisa a ver com a cultura australiana? Ai, fica esquisito o misticismo ali, logo para mim que não acredito nessas coisas! Ai que esquisito.

A Odisseia ou a Eneida, obras pós-modernas por excelência, só são boas obras de arte porque se lêem em menos de duas horas, vá, duas no máximo. AUSTRÁLIA não pode ser um bom filme, dada a duração. É como um O SENHOR DOS ANÉIS ou um REINO DOS CÉUS. Péssimos, péssimos. A duração determina logo se uma obra é boa ou não. Já todos sabemos disso! E ainda insistiram em fazer este AUSTRÁLIA? Que falta de bom senso. Três horas de boa arte é assustador, impraticável, impossível. A terra gira à volta do sol. Deviam ter decepado aquele maldito Copérnico mal ele abriu a boca! Há coisas que simplesmente são. E porque são, significa que devem ser e continuar a ser. São as tábuas da lei de um bom crítico.

Bonito por fora, vazio por dentro. Ah, mas afinal ser belo ainda conta para alguma coisa! Ainda que seja para criar aparência, mas não é arte. Aliás, uma excelente fotografia não é arte. É superficial e é um complemento. O que interessa é um argumento cheio de intelectualismo. Ou então representações de Clint Eastwood e de Hilary Swank. E temos um excelente filme, belo, belo. Cheio por dentro, mas bonito por fora? Não tão bonito por fora, certamente... Bah Bah... Ouvi dizer que nem tanto ao mar nem tanto à terra. E voltamos então à questão: o belo não é importante. Nada de Brad Pitts na indústria, nem de Leonardos DiCaprios, nem de Ben Afflecks, mesmo que estes um dia surpreendam, escrevam ou realizem com mestria. Porque estão logo mortos à partida.

Aliás, o que eu tenho feito aqui é filosofar sobre a morte, ainda não se tinham apercebido? Calcifer, o filósofo.

AS CRÓNICAS DE CALIFER. A ironia, a sátira, o humor.
Nota: o conteúdo destas «Crónicas de Calcifer» não expressa, necessariamente, as opiniões e interesses do autor deste blog.
CINEROAD ©2017 de Roberto Simões