sábado, 17 de agosto de 2013

SHUTTER ISLAND (2010)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Shutter Island
Realização: Martin Scorsese
Principais Actores: Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo, Ben Kingsley, Max von Sydow, Michelle Williams, Emily Mortimer, Patricia Clarkson, Jackie Earle Haley, Ted Levine, John Carroll Lynch, Elias Koteas, Robin Bartlett, Christopher Denham, Nellie Sciutto, Joseph Sikora

Crítica:

A ILHA MISTERIOSA

You'll never leave this island.

Dissertar - em cinema - sobre a loucura, faz-me invocar, instantaneamente, aquele clássico magistral de 75, protagonizado pelo genial Jack Nicholson, Voando Sobre Um Ninho de Cucos. Naquele hospício imoral, delineava-se uma linha bastante ténue entre a saúde e a demência mentais. Ser louco poderia significar coisas distintas, consoante o juiz, e a facilidade com que se sentenciava a loucura de alguém apresentava-se-nos como algo de verdadeiramente assustador. Pois bem, este inquietante objecto fílmico de Martin Scorsese segue a mesma premissa; transportando-a, porém, para um ambiente kafkiano, muito mais tenebroso e sinistro, e servindo-se do suspense como principal condutor da narrativa.

O argumento de Laeta Kalogridis, a partir do romance homónimo de Dennis Lehane, equilibra-se, labriríntico e intrincado, sobre a ambiguidade: terá reais fundamentos a investigação do U.S. marshal Teddy Daniels, sobre a conspiração secreta que submete os pacientes do remoto hospital a inovadoras, dolorosas e desumanas experiências científicas, ou será ele próprio um louco paranóico, como tantos outros dos edifícios A, B e C, vivendo num mundo inventado à sua medida? O condão maior tanto do argumento como da realização é o de confundir habilmente o espectador, dificultando-lhe o acesso à verdade e colocando-o na pele do protagonista, dividido entre a sua razão e a razão dos outros.

Os sonantes acordes da banda sonora (Mahler, Ligeti, Ingram Marshall, Penderecki, entre tantos outros) potenciam, de imediato, a atmosfera de terror, assim como o esplendor enigmático da fotografia (Robert Richardson). Os flashbacks, sejam eles sonhos, alucinações ou recordações, alimentam o mistério, adensam a complexidade da história nas suas múltiplas possibilidades. Às tantas, todavia, só dois caminhos se nos restam possíveis e a imprevisibilidade desvanece-se. A conclusão do enredo não é a mais surpreendente e original, mas o filme revela-se sólida e arrojadamente construído e muito bem escrito.

A interpretação de Leonardo DiCaprio é absolutamente magnetizante. O extraordinário talento do actor envolve-nos do princípio ao fim, em perfeita sintonia com as portentosas prestações de Ben Kingsley, Patricia Clarckson, Jackie Earle Haley, Max von Sydow ou Michelle Williams. Dante Ferretti e Francesca Lo Schiavo garantem a qualidade irretocável da direcção artística, Sandy Powell assina o figurino e Thelma Schoonmaker trabalha a montagem do filme, conferindo-lhe uma fluidez assinalável.

Shutter Island afirma-se, pois, como um exercício tecnicamente sofisticado, ao qual se lhe alia uma arte de filmar virtuosa e que transpira maturidade. Um pedaço de cinema brilhante e, no fim de contas, extremamente prazeroso de se assistir.

Which would be worse, to live as a monster,
or to die as a good man?

25 comentários:

  1. Shutter Island é dos melhores filmes de 2010. Desde o argumento, à banda sonora e a meros aspectos técnicos, este filme não falha! O filme é dotado de pormenores fantásticos e tem um enredo que nos prende de início ao fim, não tenho rigorosamente nada de mau a apontar. Fantástico! Óptima crítica (:

    Sarah
    www.depoisdocinema.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Estamos de novo em desacordo, Roberto, mas desta vez "ao contrário", isto é, "Shutter Island" está muito acima do "bom" filme. Como a Sarah diz aí em cima, e com toda a razão, é um dos melhores filmes deste ano.
    Vou mesmo mais longe: teve o condão de me permitir "fazer as pazes" com o Scorsese, cujas fitas dos (largos) últimos anos me têm desiludido - e muito! Data de 1993 o último filme dele que me conseguiu arrebatar totalmente, o belissimo "Idade da Inocência".
    Nunca gostei de atribuir a máxima pontuação a um filme logo à primeira visão (espero sempre um pouco pelo Sr. Juiz Tempo), mas este acho que vai perdurar mesmo.
    Grande naco de Cinema!

    ResponderEliminar
  3. Eu também estou um pouco em desacordo, gostei bastante deste filme. Até diria que é dos melhores de Scorcese, mas isso já é outra conversa :P

    Em relação à tua crítica, de um modo geral, identifico-me e realço a atmosfera e as interpretações no filme, a de DiCaprio sobretudo. Muito mas muito envolvente e marcante. É verdade que a história não é de todo original, mas é feita e conduzida de tal modo que é um mimo assistir. Um thriller do melhor que tenho visto nos últimos anos. Depois a cena final é de génio, a deixar muitas mentes a fervilhar.

    abraço

    ResponderEliminar
  4. SARAH: Obrigado ;) Será certamente dos melhores de 2010. Não tenho muitas dúvidas e concordo contigo.

    RATO: Eu compreendo aquilo que queres dizer e até concordo, menos na nota evidentemente. Contudo, não posso deixar de ficar surpreendido quando dizes que desde 1993 que Scorsese não te arrebata. Não acredito que te tenham escapado GANGUES DO NOVA IORQUE, KUNDUN ou O AVIADOR ou até mesmo o mais recente THE DEPARTED, mas realmente só te entendo à luz da ideia que tenho, de que Scorsese é dos cineastas mais consagrados que mais divide opiniões; exceptue-se talvez o caso de TOURO ENRAIVECIDO, TAXI DRIVER ou, ainda que menos, TUDO BONS RAPAZES.

    JORGE: Eu também gostei bastante do filme, mas de facto esperava mais da história. Só para não ir muito longe, a história é bastante parecida a de UMA MENTE BRILHANTE, no jogo que estabelece com o espectador. O realizador mostra-nos um mundo irreal que às tantas é assumido como uma maluca e alucinada vivência. É obvio que a mestria do exercício é incomparável - afinal, Scorsese é Scorsese (ainda que aqui mais comercial) mas a experiência de colocar o espectador na mente do louco é semelhante. Não creio que a cena final seja de génio, quando muito será de mestre. Eu gostei bastante do filme, não digo que não venha futuramente a ponderar a nota - com Scorsese já verifiquei uma norma: com o tempo, valorizo sempre mais as suas obras.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  5. O único dos "recentes" que ainda não vi do Scorsese é o "Kundun". Os restantes, "Gangues de Nova Iorque", "O Aviador" e "The Departed" foram todos grandes desilusões. Daí o júbilo com que recebi este último.
    Gostei foi do documentário sobre Os Stones e espero ansiosamente pelo novo documentário sobre o George Harrison. Desde "The Last Waltz" quie Scorsese é exímio em filmar os Heróis do Rock 'n' Roll

    ResponderEliminar
  6. Bem vindo de volta! :)

    Gostei da tua análise, destacaste tudo o que havia para destacar. Shutter Island é para mim (até agora) o melhor filme deste ano. De longe mesmo.
    A cena final está muito bem montada, tal como o filme todo.

    ResponderEliminar
  7. RATO: Sim, Scorsese é bom nos documentários sobre personalidades do mundo da música. Os últimos NO DIRECTION HOME ou SHINE A LIGHT são óptimos exemplos disso.

    JOÃO GONÇALVES: Bem-vindo de volta a casa, não é ;) Sentiu-se a minha ausência ;D Obrigado, estamos então em sintonia. Para quem não segue de perto os lançamentos nos cinemas como eu, torna-se difícil ou mais difícil averiguar quais são os melhores do ano, mas creio seriamente que SHUTTER ISLAND conste do top. É Scorsese e - neste caso - está mesmo tudo dito.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  8. Estou em sintonia com a maioria dos comentadores: sem qualquer dúvida "Shutter Island" é o melhor filme de Scorsese (documentários à parte) das últimas décadas. Tal como o Rato diz, também há muito que não encontrava o "meu" Scorsese, o Scorsese de "Taxi Driver", "Ragging Bull", "New York, New York" ou "The Age of Innocense".
    Um regresso em força, que se espera duradouro.

    ResponderEliminar
  9. BILLY RIDER: Não deixa de ser curioso que não sinta esse regresso; para mim Scorsese esteve sempre cá, e no alto. Vamos ver como lhe vai correr o próximo - e uma vez mais tão distinto na sua filmografia - HUGO CABRET.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  10. Vi este filme pouco tempo depois de ter visto a Origem. Confesso que em termos de interpretação preferi a actuação do Leo na Origem. Concordo com a tua crítica. Está um filme interessante mas ao qual realmente não daria muito mais que bom.

    ResponderEliminar
  11. Concordo com a tua cotação. Shutter Island um dos melhores deste ano.

    ResponderEliminar
  12. CLÁUDIA GAMEIRO: Ainda não vi A ORIGEM, talvez lá para o final do ano ou inícios do próximo. Já li que há quem considere ambas as interpretações do actor semelhantes. Hei-de conferir então quando tiver oportunidade.

    MANUELA COELHO: Nada a acrescentar ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  13. preciso ver "shutter island" o mais rápido possível, estou muito curioso =)

    ResponderEliminar
  14. Sim, concordo em parte. Eu diria que os dramas de ambos os personagens é que são semelhantes, são figuras parecidas. Mas em A Origem a carga dramática...sente-se mais. Enfim, é uma opinião.

    ResponderEliminar
  15. Por acaso acho que aqui há mais carga dramática que em A Origem, mas são ambos óptimos desempenhos de DiCaprio. Este é mais profundo, demente e cerebral. Na Origem explora-se mais o lado emocional.

    São os dois grandes filmes e reveladores do grande actor que é este Leonardo DiCaprio, cada vez melhor.

    abraço

    ResponderEliminar
  16. O filme, anteriormente detentor da classificação BOM, beneficiou de uma re-apreciação a 10 de Outubro de 2010, perante nova visualização. Nova classificação: MUITO BOM.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  17. Ainda não tive tempo par ver este, mas estou ANSIOSO! No topo da minha lista de filmes-para-ver!

    ResponderEliminar
  18. CINE31: Um filme que valerá certamente a pena assistires ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD – A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  19. Tenho este para ver (na pen USB) e ainda não consegui a hipótese. Muitas das vezes por falta de disposição também.
    A vida é fodida e por vezes ter como opção um filme que seja um escape mais banal, mais directo, que entretenha e levante a moral... tem me feito deixar este do Scorcese (e muitos outros filmes mais sérios e premiados) de lado e ando a alinhar pelas séries B (e menos do que isso até). Mas já vi pequenas partes dele (tem pinta mesmo) e percebi que tem de ser visto com dedicação e atenção.
    Talvez o veja juntamente com o "Inception" quando "houver"...

    ResponderEliminar
  20. APAULOF: Vai valer a pena. Penso que vais gostar bastante ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  21. Gostei bastante, lutei muito de mim para comigo mesmo ao tentar fazer parte da investigação. Extraordinário ambiente, aprisionadante argumento. Muito bom.

    ResponderEliminar
  22. DIOGO F: Dá para perceber que te envolveste a sério na história. O que só quer dizer muita coisa ;) Estamos, pois, de acordo, uma vez mais.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  23. Ótima resenha!! Em total acordo:

    "Um pedaço de cinema brilhante e, no fim de contas, extremamente prazeroso de se assistir."

    ResponderEliminar
  24. Partilho desde já o meu ENORME descontentamento pelo facto de Shutter Island ter sido excluído dos Oscares..
    Penso que a Academia deve ter algum problema pessoal com Leonardo Dicaprio. E o Scorsese agora para a Academia está arrumado.. Enfim, nao se percebe.. Como já lhe deram o prémio carreira, já acham que deve chegar.

    ResponderEliminar
  25. Obrigado a todos pelos comentários!

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões