domingo, 8 de março de 2009

O ORFANATO (2007)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: El Orfanato
Realização: Juan Antonio Bayona
Principais Actores: Belén Rueda, Fernando Cayo, Roger Príncep, Mabel Rivera, Montserrat Carulla, Geraldine Chaplin

Crítica: O Orfanato vive, é certo, na sombra de Os Outros. Porém, revitaliza-se (a si e a um género) sobre um cunho próprio e sobre um virtuosismo diferente. A realização, num exercício subtilmente estimulante, eleva a um estatuto superior o sensível argumento de Sergio G. Sánchez. O Orfanato vive do mistério, dos ruídos, da sugestão... Em última análise e para além de uma obra de terror sublime, revela-se como um drama tocante e profundo, protagonizado em primeira instância pela força magistral de Belén Rueda. Que desempenho brilhante. Suportado ainda por uma excelente banda sonora e por um cuidado técnico inegável, eis um filme surpreendente... a ver e rever.

sábado, 7 de março de 2009

THE FALL em DVD será realidade! Pelo menos, nos clubes de vídeo.


É com todo o contentamento que vos anuncio:

THE FALL vai estrear em DVD em Portugal
com o nome: UM SONHO ENCANTADO.

Data de lançamento prevista: 10 de Março

Fiquem com o trailer:


Posso mesmo dizer, longe vão os tempos desta iniciativa.

Obrigado a todos os que enviaram as suas críticas!
THE FALL em DVD ou UM SONHO ENCANTADO,
não mais será uma falta no nosso mercado de DVD.

sexta-feira, 6 de março de 2009

THE FALL, segundo Álvaro Martins

THE FALL
Crítico Convidado: Álvaro Martins, autor do blog Preto e Branco
(http://alvaromartins.blogspot.com/)
sendo que também participa regularmente no blog Portal Cinema
(http://portalcinema.blogspot.com/)

Dois mundos, duas realidades, duas fantasias, esta é a essência de The Fall. O cineasta traz-nos uma história simples, onde um homem está hospitalizado por causa duma tentativa de suicídio e uma menina de 5 anos revê na sua figura a posição paternal que outrora teve e futuramente deseja. A sua conduta para com aquele indivíduo faz com que este se sinta de novo útil e, com o desejo da morte ainda bem presente em si, se aproveite desta criança que deseja insistentemente saber o fim duma história que este lhe vai contando para tentar de novo o suicídio. O real e o imaginário misturam-se nessa história e a dada altura os personagens e o destino destes desenvolve-se conforme a acção real.
Uma história, um conto, a realidade, a ficção, tudo se vai misturar nesta obra de Tarsem Singh e transportar-nos para um mundo mágico, imaginário e heróico. Não há muito para falar sobre esta obra, tem de ser obrigatoriamente vista pois não há palavras que a descrevam. Singh cria uma fábula mágica para nos falar de coragem, de amizade, de ilusão, de depressão, da morte, da ingenuidade infantil e de fantasia.


The Fall é um filme belo e fascinante que nos deixa a reflectir na nossa condição humana como resultado das acções realizados pelo Homem enquanto indivíduo numa sociedade recriminadora e sufocadora, ou seja, somos aquilo que fazemos de nós, somos nós que construímos o nosso destino e por muitas vicissitudes que nos sucedam, seja de que natureza for, é o Homem que tem (ou não) força psicológica para aguentar (ou não) e ultrapassar ou desistir dessas adversidades que o invadem.
Segundo filme de Tarsem Singh, que vem numa estética visual semelhante à sua primeira obra, The Cell, e que promete deixar a sua marca (ainda mais) no cinema.
Pena não ter ainda saído em DVD por cá em terras lusitanas.

__________________________________________

Agradecimentos especiais:
Álvaro Martins

quarta-feira, 4 de março de 2009

THE FALL, segundo João Bizarro

THE FALL

Crítico Convidado: João Bizarro, autor do blog Cantinho das Artes
(http://cantinhodasartes.blogspot.com/)

Classificação: 9/10

The Fall é um filme de uma beleza invulgar, quer a nível de imagem, quer a nível da história.
No inicio dos anos 20, numa altura que o cinema dava os primeiros passos, Alexandria e Roy são pacientes num hospital de Los Angeles. Ambos estão hospitalizados devido a uma queda. Roy é duplo de cinema, Alexandria, uma menina de 5 anos é filha de imigrantes que trabalham na apanha de laranja. Os dois conhecem-se e Roy começa a contar histórias a Alexandria, entre elas uma aventura épica de cinco heróis que juntam forças para derrubar um tirano. A fértil imaginação de Alexandria e o facto de Roy colocar personagens reais na história com o intuito de cativar a atenção da menina, faz com que esta por vezes confunda ficção com realidade e nós somos arrastados para estes dois mundos e damos por nós a ter as mesmas sensações que Alexandria tem quando por exemplo Roy faz uma das diversas interrupções da história ou quando é contra o desenrolar da mesma questionando várias vezes Roy sobre o porquê de certos acontecimentos.


Com o desenrolar destes encontros, Alexandria vai começar a ver em Roy a figura paternal que perdeu e Roy que foi deixado pela namorada devido à sua paralisia, vê na menina alguém que gosta dele como ele é.
O realizador Tarsem Singh (que tinha realizado o esquisito A Cela) transporta-nos pelos 4 cantos do mundo, com a história de Roy e a imaginação de Alexandria, no meio de paisagens magnificas e paradisíacas cheias de vida e cor. The Fall é uma experiência fascinante que merece uma (ou mais) visualização. Um filme sobre os primórdios do cinema, sobre aquilo que sentimos quando estamos a ler um livro ou a ver um filme.

Spike Jonze e David Fincher baptizam.

__________________________________________

Agradecimentos especiais:

João Bizarro

LOST IN TRANSLATION - O AMOR É UM LUGAR ESTRANHO (2003)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Lost in Translation
Realização: Sofia Coppola
Principais Actores: Bill Murray, Scarlett Johansson, Giovanni Ribisi, Anna Faris

Comentário: Interessante ensaio sobre a solidão. A camuflá-la, as ruas de um Japão modernizado: «ruas saídas de «Blade Runner»*, como disse e bem Eurico de Barros.
*Cf. aqui.
CINEROAD ©2017 de Roberto Simões