quarta-feira, 4 de março de 2009

THE FALL, segundo João Bizarro

THE FALL

Crítico Convidado: João Bizarro, autor do blog Cantinho das Artes
(http://cantinhodasartes.blogspot.com/)

Classificação: 9/10

The Fall é um filme de uma beleza invulgar, quer a nível de imagem, quer a nível da história.
No inicio dos anos 20, numa altura que o cinema dava os primeiros passos, Alexandria e Roy são pacientes num hospital de Los Angeles. Ambos estão hospitalizados devido a uma queda. Roy é duplo de cinema, Alexandria, uma menina de 5 anos é filha de imigrantes que trabalham na apanha de laranja. Os dois conhecem-se e Roy começa a contar histórias a Alexandria, entre elas uma aventura épica de cinco heróis que juntam forças para derrubar um tirano. A fértil imaginação de Alexandria e o facto de Roy colocar personagens reais na história com o intuito de cativar a atenção da menina, faz com que esta por vezes confunda ficção com realidade e nós somos arrastados para estes dois mundos e damos por nós a ter as mesmas sensações que Alexandria tem quando por exemplo Roy faz uma das diversas interrupções da história ou quando é contra o desenrolar da mesma questionando várias vezes Roy sobre o porquê de certos acontecimentos.


Com o desenrolar destes encontros, Alexandria vai começar a ver em Roy a figura paternal que perdeu e Roy que foi deixado pela namorada devido à sua paralisia, vê na menina alguém que gosta dele como ele é.
O realizador Tarsem Singh (que tinha realizado o esquisito A Cela) transporta-nos pelos 4 cantos do mundo, com a história de Roy e a imaginação de Alexandria, no meio de paisagens magnificas e paradisíacas cheias de vida e cor. The Fall é uma experiência fascinante que merece uma (ou mais) visualização. Um filme sobre os primórdios do cinema, sobre aquilo que sentimos quando estamos a ler um livro ou a ver um filme.

Spike Jonze e David Fincher baptizam.

__________________________________________

Agradecimentos especiais:

João Bizarro

4 comentários:

  1. Afinal, você já viu esse filme? hehehe

    ResponderEliminar
  2. Eu é que agradeço ao Cineroad e ao Roberto o facto de me ter dado a conhecer este filme. Passava-me ao lado e assim pude descobri-lo e ficar maravilhado com a sua essência.

    ResponderEliminar
  3. Filipe Machado,

    Bom Filme! :)

    Cumps.



    Pedro Tavares,

    Foi pergunta retórica? "hehehe"

    Cumps.


    João Bizarro,

    Fico feliz se, de algum modo, o CINEROAD foi responsável por tamanha descoberta. O prazer foi todo meu poder contar com a sua crítica.

    Cumps.


    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões