sexta-feira, 17 de julho de 2009

AUGUST RUSH - O SOM DO CORAÇÃO (2007)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: August Rush
Realização: Kirsten Sheridan
Principais Actores: Freddie Highmore, Keri Russell, Jonathan Rhys Meyers, Robin Williams, Terrence Howard

Crítica: Belo e encantador. Kirten Sheridan herdou do pai, é evidente, a sensibilidade e a elegância de filmar e, sem dúvida, toda a magia que há nisso. Eis, com uma simplicidade comovente, um filme-fantasia sincero e de interpretações brilhantes e genuinas. Destaques maiores (e mais do que merecidos) para o prodigioso Freddie Highmore e para o aqui magnífico Jonathan Rhys Meyers. A fotografia tem a assinatura de John Mathieson e a tocante banda sonora, a de Mark Mancina. É mesmo caso para relembrar o que eu próprio disse noutras situações: que se calem os puristas que não percebem nada de delícias. E logo que delícia, esta.

11 comentários:

  1. Das merdas mais pirosas que já me passaram à frente. Realizadores como estes deviam ser proibidos de «fazer» «filmes». Muito mau, apontado para tudo o que é óbvio, genérico, grunhento e melo-dramático.

    Perda de tempo, «só».

    ResponderEliminar
  2. LN: A minha opinião em nada se assemelha à sua, como pode verificar. Enfim, opiniões. De qualquer modo, volte sempre; e (se não for pedir muito) com mais delicadeza e boa medida nas palavras que usar para se exprimir.

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  3. É um bom filme. Entretem e tem a capacidade de interessar o espectador, mas só. Não lhe daria 4 estrelas.

    Abrao

    ResponderEliminar
  4. JACKSON: Como dizes, «é um BOM filme». E a pontuação que dou aos filmes bons é 4 estrelas. ;)

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  5. Caros leitores,

    O CINEROAD define-se, como vos é apresentado logo no início da faixa lateral do blog, como «um espaço de culto à 7ª arte. Na sua essência, define-se como um blog pessoal de críticas».

    Como disse: pessoal. E quanto às minhas opiniões pessoais, concordem ou discordem. E quanto aos filmes expressem as vossas variadas opiniões.

    Como em qualquer espaço aberto ao público, acho que deve ser mantido e perpetuado o respeito mútuo e o civismo.

    Todos nós que somos bloggers sabemos do que estou a falar: haverá sempre alguém que, desprovido destes ideais e de natureza rude, atentará contra a norma (tal é a sua necessidade de exibir a diferença), recorrendo ao insulto (tantas vezes tão despropositado que chega a ser absurdo) para se confrontar com aquilo que discorda.

    Caros leitores, penso que é notória para aqueles que me acompanham a liberdade de expressão da qual não privo ninguém; pelo que tenho aceite todos os vossos comentários, sempre que eles foram feitos nos posts próprios à sua natureza. Aliás, esforço-me por responder a todos eles de modo a estabelecer um diálogo fluente e saudável entre nós.

    Felizmente, acredito que tenho tido muita sorte com todos aqueles que visitam este CINEROAD. São respeitadores e alimentam o diálogo de civismo e respeito que também define, graças a todos, este blog.

    Eis que me aconteceu recentemente o primeiro caso que atenta contra esta norma. Aceitei o comentário, apelando a um maior cuidado nas próximas intervenções.

    Porém, nova resposta chegou e desta vez sobre a forma de insulto.

    Como é a primeira vez que acontece, aproveito e faço dela exemplo para anunciar a minha postura em relação ao assunto:

    Seguro do meu trabalho e da qualidade do meu trabalho, jamais me ofenderei com comentários rudes e insultuosos que, mais do que tudo, são absolutamente impróprios.
    Mais, não o tomem como censura, mas não aceitarei comentários de quem não tem mais nada que fazer do que, gratuitamente, mostrar a sua má-educação.

    Sr. LN, este comentário é directamente para si. Darei lugar ao seu manifesto se o mesmo for próprio para este espaço. Em caso contrário, estamos conversados.

    Muito obrigado pela atenção de todos,
    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  6. Este é daquilo género de filmes onde a classificação sairá sempre inflacionada, porque apela ao coração... Eu gostei bastante. Dou-lhe 3.5

    ResponderEliminar
  7. TIAGO: Compreendo o que dizes. Mas no meu caso: acho que o filme é acima da média. E a média é 3 estrelas. Como não dou «estrelas e meia», dou as 4 estrelas (bem dadas na minha opinião). A inflação de que falas deixei para as palavras com que critiquei o filme. É uma delícia, vou fazer o quê. :)

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  8. Ah, não sei... não me empolguei com o filme.
    Achei-o óbvio demais, deveras idealizados, lento, sem ritmo.
    Robbin Willams um pouquinho em excesso...
    Não curti muito.

    ResponderEliminar
  9. LUIS: É claro que é óbvio: é assumidamente inspirado em «Oliver Twist», de Charles Dickens. A história tinha que nos soar a familiar. E tal como «Oliver Twist», AUGUST RUSH dirige-se especialmente a um público jovem e a todos aqueles que acreditam em histórias de magia, coincidência e destino. Ou então a todos aqueles que, não acreditando, gostam de se deixar levar pela magia. É o meu caso. História aparte, o filme está tecnicamente irrepreensível, tal como a banda sonora de Hans Zimmer, a inspirada realização ou as prestações dos actores.
    «Lento»? «Sem ritmo»? Com estes argumentos tenho mesmo que dizer: não vimos o mesmo filme! O filme é todo ele sobre ritmo e música e vive deles! E como vive deles.
    Robin Williams pode ter exagerado no 'overacting', mas esse argumento é um pouco forçado, não? Ele está competente e não prejudica o todo.
    Eu «curti» bastante.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  10. Muito bonito... É profundo e vai ao cerne de tudo o que nos rodeia: "...uma pequena lembrança de que há algo bem maior do que nós no Universo..."
    Foi o único filme que até agora fez a minha irmã chorar, e só por isso, acho que é suficientemente poderoso:P
    É obvio que considero a classificação bem dada.
    Quanto à classificação de "genérico", discordo completamente. Acho que de genérico o filme não tem nada.
    Mas pronto, como já foi dito, são opiniões, toda a gente pode ter as que quizer. Quanto a estarem bem fundamentadas ou não, isso aí já é algo totalmente diferente, já para não falar da forma como entendem que é melhor defende-las..
    Enfim, é a minha opinião;P

    Cumprimentos,

    Rosana Afonso

    ResponderEliminar
  11. ROSANA AFONSO: É bom saber que tenho grandes amigos a visitar o meu espaço. Espero que este seja o primeiro de muitos mais comentários, de alguém que muito prezo e gosto, como sabes.
    Também eu me emocionei bastante com este filme, não foi só a tua irmã, deixa lá estar ;)

    "...uma pequena lembrança de que há algo bem maior do que nós no Universo..."? Claramente.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões