quarta-feira, 29 de julho de 2009

ANNIE HALL (1977)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Annie Hall
Realização: Woody Allen
Principais Actores: Woody Allen, Diane Keaton, Tony Roberts, Carol Kane, Paul Simon, Christopher Walken, Sigourney Weaver, Jeff Goldblum

Crítica:

MASTURBANDO O AMOR

Hey, don't knock masturbation! It's sex with someone I love.

Dotado de um argumento assaz estimulante que explora, com profundo sentido satírico, as relações amorosas, Annie Hall consegue ser muito mais do que um pedaço de boa escrita. É um grande exercício de representação: sobretudo do pensado e do imaginado, que geralmente não são explícitos, mas implícitos ou simplesmente narrados ou assumidos pela excelência das performances. Woody Allen fá-lo entremeando personagens do tempo diegético principal com cenas analépticas, recorrendo ao split screen (chegando mesmo a pôr as duas divisões do ecrã em diálogo), legendando diálogos através da pura e simples adulteração daquilo que é dito, dando voz ao subconsciente das personagens ou chegando mesmo a interromper a acção por meio de sórdidos e hilariantes momentos extradiegéticos. A comicidade e a grande confluência estética de Annie Hall chega mesmo sob a forma de uma sequência animada entre Alvy Singer e a rainha madrasta da Branca de Neve. Grande desempenho de Diane Keaton e de Woody Allen, ainda que a assumir a personagem que criou para si próprio: a de um marginalizado corroído pelo intelectualismo, sexualmente recalcado e socialmente deprimente e desinteressante, a não ser para psiquiatras ou admiradores da psiquiatria.

This guy goes to a psychiatrist and says, "Doc, uh, my brother's crazy; he thinks he's a chicken." And, uh, the doctor says, "Well, why don't you turn him in?" The guy says, "I would, but I need the eggs." Well, I guess that's pretty much now how I feel about relationships; y'know, they're totally irrational, and crazy, and absurd, and... but, uh, I guess we keep goin' through it because, uh, most of us... need the eggs.

Brilhante.

11 comentários:

  1. Um excelente filme, com um excelente elo filosófico. Mas ainda assim, prefiro o Woody Allen contemporâneo :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. gostava imenso de o ver.
    tenho muita curiosidade e adoro os trabalhos de allen

    p.s.-mudaste a nota, certo?:P

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Já eu espero que o segundo visionamento me faça ver este filme com outros olhos. É certo que o considero muito bom mas esperava algo que transcendesse. Tal não se sucedeu. Ficou-me na memória. Algumas cenas são genialmente inovadoras (a do pensamento vs o que é dito bem como a sequência na fila de cinema) e tem citações memoráveis (Don't knock with masturbation. It's sex with someone I love). Contudo, não me tocou como era suposto. Adoro Allen. É uma das pessoas que mais respeito no mundo do cinema e se algum dia escrevesse um texto como ele poderia-me dar por realizado mas este não é o meu favorito. A minha preferência recai sobre Purple Rose of Cairo. Fico-me pelas quatro estrelas
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Annie Hall é talvez o meu filme de Woody Allen preferido. É brilhante e dos poucos em que a genialidade dos livros de Allen se aproxima ao cinema.

    ResponderEliminar
  5. Filipe, eu acho este filme sensacional. Muito provavelmente um dos melhores do gênio Woody Allen. E a atuação da minha querida Diane Keaton é incrível.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  6. JACKSON: Eu não conheço tão bem quanto gostaria a obra de Woody Allen. Talvez. Eu apenas posso dizer que prefiro o Woody Allen de ANNIE HALL que o de VICKY CHRISTINA BARCELONA.

    JACKIE BROWN: É um grande filme, recomendo-o vivamente. E pessoalmente pode ser uma experiência muito interessante.
    Quanto ao p.s., sim, mudei. Mas voltei a ponderar a decidi-me pelas 4 estrelas.

    FIFECO: Ainda não vi PURPLE ROSE OF CAIRO. ANNIE HALL surpreendeu-me bastante quando o vi pela primeira vez e reconheço-lhe os méritos próprios. É daqueles filmes que depende muito do nosso estado de espírito para alinhar com o registo. Esta segunda vez que o vi não alinhei tão bem, posso dizer.

    ADDCRITICS: Dos poucos que até agora vi dele, também é o meu favorito.

    KAU OLIVEIRA: Sim, sem dúvida: é um filme sensacional. E muito importante.

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  7. Gosto imenso da genialidade de Allen. Não o considero o melhor dele, mas sem dúvida é muito bom.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. GEMA: Também não posso dizer muito, conheço pouco da obra do realizador. Mas não o acho genial.

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  9. Devo dizer que ainda não vi este filme, e por isso não sei qual é o seu real valor, até porque gosto dos filmes do Woody Allen.....

    Mas a questão que ponho é que este filme ganhou o Oscar de Melhor filme no ano em que STAR WARS o perdeu....

    Hoje todos sabemos qual a importançia de um filme como STAR WARS na evolução boa ou má do cinema.... não interessa mas aconteceu e é visivel.

    E hoje vimos STAR WARS em muitas das listas dos melhores filmes..

    Acabo por não comentar o filme directamente............. mas sempre que vejo nome de Annie Hall é só disto que me lembro :(

    ResponderEliminar
  10. Bem vi-o faz pouco tempo e não posso dizer que gostei. Mesmo. Esse estado de espírito que falas é mesmo preponderante aqui, e parece-me que será necessário muitos factores para um dia visualizar e apreciar cada minuto do filme. Senti-me estranho, entretive-me muito pouco. E depois a comédia em si, não me identifico particularmente.

    Ainda assim, e depois de ler algumas coisas, reconheço-lhe qualidades: a inovação em algumas cenas são notórias, assim como o argumento é de uma extrema perspicácia e inteligência. As interpretações dos protagonistas também estão conseguidas.
    Gostei da mensagem final, deu um sentido ao filme que me agrada apesar de tudo.

    Posto isto, direi que prefiro o Allen contemporâneo que este. Obras como Match Point, Cassandra's Dream e Vicky Cristina Barcelona entretiveram-me mais. Sobretudo as duas primeiras gostei bastante. A ver vamos, Allen possui mais obras na sua fase inicial, tal como Manhatan. A visitar qualquer dia.

    abraço

    ResponderEliminar
  11. NASP: Recomendo o filme, vivamente. Na verdade, se tivesse que escolher entre ANNIE HALL e STAR WARS, assim de repente, não sei qual escolheria. Talvez STAR WARS, é um marco muito mais importante por tudo aquilo que cinematograficamente é e representa. ANNIE HALL vale sobretudo pelo argumento.

    JORGE: Eu sou daqueles (e já o disse em diferentes oportunidades) que considera Woody Allen um magistral argumentista, quiçá genial, mas nunca tão bom realizador. Ou seja, é bom realizador, mas não tão bom quanto argumentista; penso que me faço explicar. Há quem não concorde muito comigo, respeito. Mas de facto sou incapaz de colocar Woody Allen ao lado de um Scorsese, de um Kurosawa, de um Tarkovsky ou de um P.T. Anderson, por exemplo. Sou incapaz. Acho que está a outro nível.
    ANNIE HALL, asseguro-te, depende muito do estado de espírito do espectador e até da sua própria vida no momento. A primeira vez que assisti a ANNIE HALL devia estar de tal forma com problemas numa relação da altura que achei o filme fenomenal! Anos passados tornei a vê-lo e já não foi a mesma coisa. Porque artisticamente o filme não é muito sólido. É na dramaturgia, na dissecação e reflexão sobre as relações humanas, mas não enquanto objecto artístico.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões