terça-feira, 7 de dezembro de 2010

BABEL (2006)

PONTUAÇÃO: EXCELENTE
★★★★★
Título Original: Babel
Realização: Alejandro González Iñárritu

Principais Actores: Brad Pitt, Cate Blanchett, Gael García Bernal, Adriana Barraza, Boubker Ait El Caid, Tarchani Said, Rinko Kikuchi, Kôji Yakusho, Elle Fanning, Nathan Gamble


Crítica:

A DOR E O DESESPERO

Uma obra-prima do cinema contemporâneo. A globalização, as diferenças culturais e o choque de todas essas diferenças numa realização brilhante e originalíssima, fria e crua, do mexicano Alejandro González Iñárritu. O argumento de Guillermo Arriaga é completamente surpreendente, inteligente e muito bem construído. É excelente! De génio! Brad Pitt está divinal, Cate Blanchett também, e a mexicana Adriana Barraza tem uma interpretação que é a cara da angústia. Quando o choque é inevitável, o melhor é parar e escutarmo-nos por dentro. Quando nu, o ser humano é igual em qualquer parte do mundo.

[Nova crítica em breve]

9 comentários:

  1. Óptima descrição da figura e do regime do filme. Babel é ao mesmo tempo tão pálpavel como abstracto.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Foi um filme que me prendeu desde o princípio até ao fim... quando tudo corria bem, o inesperado aconteceu. Adorei este filme...:-)

    ResponderEliminar
  3. JACKSON: Obrigado ;) O filme é uma autêntica e instantânea obra-prima! Deslumbrante e redentora!

    ANA (MESSINES): Também eu ;) É de uma concepção absolutamente genial. Surte, pois, esses efeitos... Sublime.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  4. Eu sei que este blog aceita todas as linhas editoriais e é por isso que vou dar a minha sincera opinião mas que esta seja de opinião contrária aos restantes leitores.

    A verdade é que eu não gostei um minuto que fosse do filme. Achei o argumento redutor e o entrecurtar das cenas resultou não só num aprofundamento curto e demasiado pesado e fúnebre das personagens mas também num desfecho óbvio e inconsequente. É um filme que prima pela realização mas eu pessoalmente achei-o demasiado previsível e continuo achá-lo uma obra sobrevalorizado.

    No entanto, entendo quaisquer apreciações porque no fundo...se vocês gostarem do filme então ele fez o seu trabalho (:

    ResponderEliminar
  5. Não é mau filme, mas daí a obra-prima...

    ResponderEliminar
  6. Gosto muito de filmes em que várias histórias estão ligadas e neste "Babel" as tramas paralelas são extremamente dramáticas e sensíveis ao mesmo tempo.

    São temas universais e atuais contados com talento por Iñarritu.

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Quando vi BABEL, fiquei sem conseguir dizer se era um grande filme ou apenas a "internacionalização" dos temas e motivos estéticos que Iñarritu já tinha explorado em AMOR CÃO e 21 GRAMAS.

    Daí que me fico pelo meio-termo...

    Mas, como sempre, aguardo pela tua crítica! :)

    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Gostei imenso. Como professor de História sempro aproveito filmes como ótimo recurso didático. Babel consegue fazer as pessoas compreenderem o que é a tal da globalização

    ResponderEliminar
  9. ENALDO: É didáctico para História, para sociologia, para filosofia, para psicologia, enfim, para uma data de "logias". Independentemente disso (se é que é possível) é um pedaço de cinema muuuito bom.

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões