sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

CIDADE DE DEUS (2002)

PONTUAÇÃO: EXCELENTE
★★★★★
Título Original: Cidade de Deus
Realização: Fernando Meirelles
Principais Actores: Alexandre Rodrigues, Leandro Firmino da Hora, Seu Jorge, Matheus Nachtergaele, Phellipe Haagensen, Jonathan Haagensen, Douglas Silva, Roberta Rodrigues

Crítica:


Se correr o bicho pega.
Se ficar o bicho come.

Cidade de Deus
é intenso. Um retrato de violência genial e incrivelmente bem feito. A inquieta câmara de Meirelles é samba, um samba de captação de emoções: quase sempre imparável. Se por vezes se fica, estática, a excelente montagem encarrega-se de conferir ao filme o seu ritmo de sempre: célere e enérgico, genuinamente espontâneo e contagiante. Aliás, diga-se mesmo: o trabalho de montagem de Cidade de Deus, a cargo de Daniel Rezende, é um dos mais memoráveis de sempre. E o argumento de Braulio Mantovani, adaptando a obra de Paulo Lins, é um exercício dramatúrgico puramente engenhoso, com sabor a originalidade em todos os seus avanços e recuos. Excelente. Detentor de uma fotografia brilhante, a obra-prima de Meirelles detém ainda um elenco magnífico. Em suma: um triunfo marcante e inesquecível.

21 comentários:

  1. É um filme quase sem defeitos, muito bom mesmo...

    ResponderEliminar
  2. Mais um grande filme. Este e o Carandiru são as grandes obras cinematográficas do Brasil na actualidade.

    Abraços

    ResponderEliminar
  3. O Cara da Locadora,

    Um filme muito bom mesmo. Não sei se terá defeitos, se os tiver serão mínimos para a sua aura de obra-prima.

    Cumps.



    Álvaro Martins,

    Uma vez mais em concordância. Excelente filme.

    Cumps.


    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  4. Roberto... legal seu comentário do filme. Considero essa obra a melhor já feita no Brasil.
    Abs!

    ResponderEliminar
  5. RAMON: Pois... eu conheço muito pouco do vosso cinema. E desse muito pouco, CIDADE DE DEUS é o melhor, sem dúvida. É mesmo um filme tremendo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  6. É, pelo menos, desconcertante. O Brasil que não costumamos ver nas novelas. O teu título diz tudo sobre o filme.

    ResponderEliminar
  7. Eu sempre ouvi falar bem deste filme mas não o encontro em lado nenhum.

    Abraço
    Cinema as my World

    ResponderEliminar
  8. Cidade de Deus relata de forma brilhante e muito realista o desenvolvimento do tráfico de drogas no Rio de Janeiro.É um filme perturbador.Um dos melhores filmes brasileiros que já vi.

    ResponderEliminar
  9. Muitas pessoas aqui no Brasil reclamam do filme por mostrar pobreza e violência, mas infelizmente é a verdade de parte do nosso país.

    É um filme sensacional, na minha opinião o melhor da história do cinema brasileiro.

    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Meu nacional preferido! Filme nota dez.

    ResponderEliminar
  11. Confesso que não gosto de Cidade de Deus. Não pelo cinema em si - reconheço desde já as qualidade técnicas e a importância da obra para o cinema brasileiro - , mas pelo tema abordado.

    Não é uma postura de "não quero ver o que tem de ruim por aqui", mas é que já não aguento mais procurar um filme nacional é só encontrar filmes-favela - já virou até sub-gênero por aqui.

    Tem outros ótimos filmes brasileiros, que não tratam de favelas, favelas, drogas e mais favelas.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  12. CLÁUDIA GAMEIRO: E que filme ;)

    NEKAS: Tenta nos quiosques, primeiro, porque costuma sair com revistas e aí poderás encontrar uma excelente oportunidade de o adquirir a um preço mínimo. É uma obra-prima.

    MANUELA COELHO: O melhor que já vi, também. Uma obra sublime, de facto.

    HUGO: Como já tive oportunidade de dizer, conheço muito muito pouco do vosso cinema. Mas do que conheço, é o melhor. Independentemente disso, é uma obra-prima absoluta, e isso transcende qualquer nacionalidade, como é óbvio.

    WALLY: Nota máxima, sem dúvida!

    MATEUS, O INDOLENTE: Não compreendo essa sua atitude e posição. É como negar magníficos filmes de 2ªGuerra Mundial (que têm sido lançados nos últimos anos) só porque é um género que sai bastante. Creio que devia dar-lhe uma oportunidade. Em caso contrário, não saberá o que perde.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  13. Gostaria de concordar, mas tendo a preferir abordagens menos espetaculosas em filmes de temática grave como esse. Uma questão de preferência estética.

    ResponderEliminar
  14. Pois eu sinceramente também não sou muito apreciador destes temas, em que o realismo é muito grande e chocante, não sei não me diz muito, apesar de o considerar um bom filme. A nível técnico então está irrepreensível, nada a assinalar.

    O destaque para mim vai para a montagem, interessante e inovadora, se bem que e ironicamente se torna num dos factores que me leva a não o apreciar, traduz-se em dinamismo e movimentação a mais. Será por isso que a maioria das pessoas o adora, eu pelo contrário.

    Enfim também só o vi uma vez, porventura merecerá de uma revisão, contudo não me parece que irei mudar a minha opinião. Do realizador prefiro o Blindness, já o The Constant Gardener tem bons momentos mas acho que se perde.

    No panorama brasileiro gostei mais da Tropa de Elite (mais ao meu gosto), muito embora os problemas que para mim surgem na Cidade de Deus também se mantêm neste, beneficiado um pouco talvez pela duração.

    abraço

    ResponderEliminar
  15. GUSTAVO: Arte é arte, independentemente da temática. Enquanto não se aperceber disso, estará a perder uma belíssima obra de arte. Garanto-lho.

    JORGE: TROPA DE ELITE? O filme não é nada de mais. Não estou de acordo. CIDADE DE DEUS, de longe. Genial. Obra-prima.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  16. Um dos meu filmes preferidos, apesar dos filmes, este filme e uma pérola narrativa,as interpretações de todas as personagens são muito boas mesmo das crianças, os flashbacks são usados na perfeição, em suma uma obra-prima do realizador fernando meirelles. A par de tropa de elite os melhores filmes brasileiros e carandiru um pouco abaixo dos 2.

    ResponderEliminar
  17. ANDRÉ OLIVEIRA: Não considero o filme TROPA DE ELITE, efectivamente, um filme maior. Quanto ao filme de Meirelles, é sem dúvida uma pérola de excelência e genialidade.

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  18. Bem neste filme nao estamos de acordo, e verdade que cidade de deus e uma obra-prima mas a tropa de elite tanto o primeiro como o segundo filme estão muito perto, tropa de elite e um filme mais violento e cruel do combate a corrupção do ponto de vista da policia neste caso os BOPE...as 3 personagens principais estão fantásticas em particular wagner moura que e um actor soberbo.

    ResponderEliminar
  19. ANDRÉ OLIVEIRA: Estamos, pois, radicalmente em desacordo.

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  20. Bom, como brasileiro, mas não do Rio de Janeiro, quero esticar a conversa:

    Tenho para mim - é uma opinião estrictamente pessoal - que o cinema brasileiro, entre os períodos de 1969 e 1991, fez, se tanto, um ou dois filmes razoáveis por ano. Era o tempo tenebroso da Embrafilme, uma empresa pública (estatal) que financiava qualquer coisa cinematográfica. O que faziam os meus compatriotas produtores e directores cinematográficos? Escreviam - ou tomavam emprestado - roteiros da literatura ou adaptações, enchiam-lhes de palavras de baixo calão, alguma nudez que irritasse os censores da ditadura militar, atrizes da toda poderosa Rede Globo de televisão e algum discurso que amalgamava o populismo com o submarxismo panfletário, coisa que não resiste a muitas reflexões. A "crítica" especializada, frequentemente colegas de copo e festas dos diretores e artistas, davam-lhes os melhores encômios, e professores e estudantes universitários acreditavam, ou simulavam acreditar, que era coisa muito boa, cinema de primeiro mundo.

    Em 1991, com "O Quatrilho" descobriu-se que cinema depende de enredo, de contar boas estórias, mais do que de ideologias ou posições politicamente correctas. E que o cinema pode buscar - meu Deus, que pecado! - o seu próprio financiamento junto ao público pagante e a mecanismos de mercado.

    Encontrada a fórmula, hoje há, pelo menos, uma meia dúzia de filmes nacionais anuais de qualidade, que convençam o espectador a pagar 20 reais (oito euros) por um ingresso de cinema.

    Sobre "Cidade de Deus": entendo o sentimento de quem disse aqui que é por demais ver um filme cujo principal mote é a barbaridade. Quem habita o Rio enlouquece com o nível absurdo de violência. Independentemente disto, penso que Meirelles fez o seu melhor filme.

    Sobre "Tropa de Elite": o debate aqui foi imenso, jamais vi qualquer filme dos clássicos (Glauber Rocha, Nélson Pereira dos Santos, Rogério Sganzela e outros) ter sido tão comentado, analisado, entrevistado, etc., quanto Tropa de Elite, não só entre os intelectuais de esquerda, mas pelo grande público. Gostei ainda mais de Tropa de Elite 2.

    Sobre Carandiru: achei o filme excelente, fidelíssimo ao livro (o qual li fascinado em apenas três dias, trabalhando e estudando).

    Um abraço,

    Enaldo.

    Convido-o a ver o meu blogue, há muitos filmes por lá:

    www.panoticum.blogspot.com

    ResponderEliminar
  21. ENALDO: Fica o testemunho. E, por fim, a recomendação. Passarei por lá.

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões