sexta-feira, 20 de novembro de 2009

CHINATOWN (1974)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Chinatown
Realização: Roman Polanski

Principais Actores: Jack Nicholson, Faye Dunaway, John Huston, Perry Lopez, Roman Polanski

Crítica:
A CONSIPIRAÇÃO 

Forget it, Jake. It's Chinatown.

Grande filme. A obra é a cores - bem fotografada, diga-se de passagem - e nela não consta qualquer resquício de narração. Mas é noir, absolutamente. Genuinamente.

Em toda a sua inspiração e subtileza, entre enigma e tragédia, a
realização de Roman Polanski revela grande contenção e mostra-se derradeiramente fria. A banda sonora de Jerry Goldsmith acompanha, com assaz precisão, esse compasso, até que toda a teia de conspirações e corrupção se desfaz, sob negras nuvens, tão simbolica e ironicamente, em Chinatown.Para lá da sua trama complexa e das suas constantes reviravoltas, um argumento muito bem construído (Robert Towne). Para lá da sua atmosfera densa, misteriosa e carregada de suspense, as interpretações memoráveis de Jack Nicholson e de Faye Dunaway. O passado, por vezes, pode ser mais assustador do que a mais arriscada das investigações.

Simplesmente magnífico.

 

16 comentários:

  1. Um grande filme e uma verdadeira lição de cinema. Perfeito!!!!!

    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. É muito bom sim senhor. Além de um argumento de outro mundo, conta com excelentes interpretações (até John Huston dá uma mãozinha) e uma realização muito conseguida.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. FIFECO: Subscrevo inteiramente. Emana dele um charme e uma classe...

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  4. Por acaso não é o meu Polanski preferido. Mas é um excelente filme, claro.

    ResponderEliminar
  5. VICTOR AFONSO: Também não é o meu favorito. O meu favorito é, dos que conheço, O Pianista. Mas é um filme incrivelmente bem feito.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  6. FLÁVIO GONÇALVES: Não sei se vais gostar, mas recomendo-te!

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  7. Uma excelente obra de Polanski com um elenco em grande forma. Ainda por cima com John Huston pelo meio, não poderia haver nada melhor. Um dos melhores argumentos de cinema, sem dúvida. Clássico.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  8. Um filme bem representativo do género "film-noir" (apesar de rodado a cores), mas que dentro da obra do realizador polaco terá de ficar muito aquém das suas obras mais conseguidas, sobretudo da sua trilogia do medo: "Repulsion / Repulsa" (um aprimorado exercício de suspense que ainda hoje nos consegue espantar), "Rosemary's Baby / A Semente do Diabo" (a sua obra-prima absoluta) ou "Le Locataire / O Inquilino" (o mais perturbador de todos, mais por aquilo que sugere do que por aquilo que efectivamente mostra). Ou seja, o grande Cinema de Polanski, onde ele é na realidade exímio, está sempre imbuído de inquietudes e medos psicológicos.
    Outros grandes momentos da sua filmografia são "Macbeth" (71), "Frantic" (88), "Bitter Moon" (92), "Death and the Maiden" (94) e "The Ninth Gate" (99).
    "The Pianist" (2002) foi um ajuste de contas com o passado e os restantes filmes não têm grande relevo, incluindo este último e sensaborão "Ghost Writer".

    ResponderEliminar
  9. THE MOVIE MAN: Estou de acordo. Não sendo propriamente excelente, é um clássico sem dúvida muito bom. O argumento então é ufff... excepcional, excepcional, excepcional. Grande realização.

    RATO: Um filme magnífico, sem dúvida. Ainda não vi o mais recente GHOST WRITER.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  10. Um grande exercício de suspense e intriga, e um grande filme pois claro. Tem a calma, o ritmo e a contenção necessários e bem equilibrados. Nesse departamento Polanski aproxima-se de Hitchcock, e como o faz tão bem. Mas mais do que isso, este é um filme, tal como dizes, sobre o passado e o quanto se consegue ir em busca da verdade. O quase...Depois tem uma óptima fotografia, uma banda sonora a condizer, interpretações muito boas, assim como um argumento de louvar aos deuses.

    Este é mesmo a par do Pianista o melhor do realizador, na minha opinião e dos que vi. Faltam-me esses da tal trilogia do medo. O recente The Ghost Writer é uma piscadela de olho a este, e mesmo sendo inferior, tem qualidades e é um bom filme.

    abraço

    ResponderEliminar
  11. JORGE: Por acaso, admito, tinha as minhas dúvidas se gostarias deste filmaço. Ainda bem que gostaste. É um clássico de um virtuosismo notável.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  12. Pois, gostei mesmo, acredita :)
    Acho que por ter já visto alguns de Hitchcock (e continuar a ver), este me caiu melhor. A calma, o ambiente noir, toda a atmosfera são muito aprazíveis. O mistério adensa-se mas sempre com pés e cabeça, construindo as personagens e com preocupação no espectador. Que afinal é mais uma personagem, que neste tipo de filmes se vai concentrando e tentando revelar o puzzle.

    Talvez falte aqui mais profundidade ou complexidade de modo a atingir a obra prima absoluta.

    abraço

    ResponderEliminar
  13. JORGE: Não creio que tivesse potencialidades naturais para se afirmar como uma obra-prima. Mas é tudo isso que afirmas. Concordo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  14. Este post foi referenciado, criteriosamente, no âmbito de uma rubrica no meu blogue. Aqui: http://caminholargo.blogspot.pt/2013/11/a-pergunta-da-resposta-7.html

    A propósito, convido também a tentares resolver/reflectir sobre a pergunta e a resposta em questão.

    Cumprimentos,
    Jorge Teixeira
    Caminho Largo

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões