quarta-feira, 16 de setembro de 2009

TUDO SOBRE A MINHA MÃE (1999)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Todo Sobre Mi Madre
Realização: Pedro Almodóvar
Principais Actores: Cecilia Roth, Marisa Paredes, Candela Peña, Antonia San Juan, Penélope Cruz

Crítica: Falar do universo de Tudo Sobre a Minha Mãe é falar do típico, rico, polémico e colorido universo de Almodóvar. Que é como quem diz: o universo do feminino e dos temas fracturantes das sociedades ocidentais. Em Tudo Sobre a Minha Mãe dá-se, pois, o encontro e cruzamento, a jeito de corso carnavalesco, de prostitutas, toxicodependentes, travestis e transsexuais, seropositivos e doentes com Sida, freiras pecadoras, mães solteiras e doentes de Alzheimer. E, provavelmente, outras tantas personagens nada convencionais. Desta amálgama exótica, sai um filme de humor rasgado e lágrima sincera. Com uma mise-en-scène cuidada e um argumento imprevisível, eis uma homenagem maior à mulher, à mãe e à figura e representação de ambas.

9 comentários:

  1. Nem mais, nem mais! Um filme bom com personagens memoráveis.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. É para mim o melhor filme de Pedro Almodóvar, conforme sabes. Tão genuíno, tão rico, tão almodovariano e com uma excelente interpretação de Cecilia Roth, na personagem que já havíamos visto em La flor de mi secreto.

    ResponderEliminar
  3. FLÁVIO GONÇALVES: Estamos então de acordo ;)

    TIAGO RAMOS: Sei, mas não estamos de acordo. Em Carne Viva ou Má Educação são para mim claramente superiores.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  4. É um dos meus preferidos do Almodóvar. Acho magistral.

    ResponderEliminar
  5. Acho que partilho mais ou menos da tua opinião, também gostei do filme, da sua exploração do lado feminino, do lado da mulher e dos seus papéis na vida. De facto o universo de Almodóvar é muito interessante, especialmente no que diz respeito à mulher. No seu todo e enquanto filme contudo, me parece que é algo desequilibrado, poderia sustentar-se com um argumento mais coerente, mais coeso e não tanto à deriva. Na minha opinião claro, e por enquanto pois ainda me está muito fresco, acho que preciso ver mais do realizador para me entranhar no seu mundo.

    abraço

    ResponderEliminar
  6. WALLY: Curiosamente não é dos meus favoritos, mas já tenho de o rever.

    JORGE: E no fim de contas, creio-o um filme um tanto ou quanto sobrevalorizado, não?

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  7. Sim diria que sim, sobrevalorizado sem dúvida, ainda que perceba essa valorização, mas no fim de contas não concorde.

    abraço

    ResponderEliminar
  8. Uma sedutora freira aidética grávida de um transgênero viciado em heroína, e que ainda por cima quer fazer revolução em El Salvador, rs... Almodóvar chegou aí ao máximo de afirmação do gênero feminino como um caso mais de psiquiatra do que de psicanalista. :)

    ResponderEliminar
  9. ENALDO: Pois bem, é mesmo o "corso carnavalesco" de que falei na crítica. Preciso rever.

    Roberto Simões
    » CINEROAD «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões