sábado, 5 de dezembro de 2009

OS ARISTOGATOS (1970)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: The AristoCats
Realização:
Wolfgang Reitherman

Filme de Animação

Crítica: Ainda que Os Aristogatos, versão felina de 101 Dálmatas, não detenha a aura de mestre ou de génio de outros Clássicos Disney e que seja por demais poupado em efeitos sonoros, é certo que consegue proporcionar momentos de inegável boa-disposição, com evidente competência artística. As técnicas de desenho e de pintura, sob um estilo tosco mas que por vezes se revela pormenorizado no background, dão vida à comédia musical que marcou gerações. Um clássico excêntrico, divertido e cheio de charme.

10 comentários:

  1. Aristogatos, um clássico no entanto não é muito marcante...

    Abraço
    http://nekascw.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Ora agora sim, eis um clássico com o qual me identifico.
    Mas tu tinhas dito que não o ias analisar...

    Bem adiante, acho que o filme se destaca sobretudo pela excelsa banda-sonora.
    Não admito menos de bom :P

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Não foi filme que me marcasse muito, só mesmo pela banda sonora :P
    É um clássico da Disney, mas qt a mim, bem longe de ser um dos melhores dos clássicos.
    Tens la um miminho no meu blog para ti ;)
    Bjks

    ResponderEliminar
  4. É um filme que me agrada, consideravelmente, mas a nível de animação, padeceu de um restauro muito, muito fraco. O traço está muito danificado, e isso é um inconveniente para a animação em geral. Quanto ao resto, saliento também a banda sonora, que é muito divertida.

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Só li o livro :P versão escrita do filme numa colecção que acho que já não se produz. Esse e o Papuça e Dentuça. Só me posso manifestar relativamente á história: não é muito diferente da Dama e do Vagabundo, só que em versão felina.

    ResponderEliminar
  6. NEKAS: Pois... Terei de concordar em parte contigo... Contudo, e tendo em conta o realizador, tenho a dizer-te que não fiquei de todo desiludido.

    JACKIE BROWN: E não ia. Mas ofereceram-me o DVD e cá está a crítica ;) A banda sonora é boa, mas não é nada de extraordinário. Aliás, é - na minha opinião - uma mixórdia de registos que às tantas merecia reivindicar maior personalidade.

    GEMA: Sim... De facto, está longe do brilho eterno dos Grandes Clássicos ;)

    JACKSON: Não sei se foi o restauro que foi mau em si ou se não será difícil restaurar uma obra cujo estilo é em si tosco. De facto, não fica grande sensação do restauro... daí a minha dúvida. Ainda não vi o 101 DÁLMATAS, que tem mais ou menos o mesmo estilo; nesse assunto poderás opinar melhor que eu, certamente.

    CLÁUDIA GAMEIRO: Não sei se te referes à mesma colecção que eu tinha em criança... saía nas bancas, com as cassetes-áudio...
    O filme não é extraordinário, mas tão-pouco desilude, quanto a mim.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  7. "Mixórdia de registos" e "Estilo Tosco" ?
    Não podia discordar mais...

    Acho que Aristogatos prima pela irreverência e originalidade, culminando numa experiência tresloucada, mas muito contagiante.

    Partilho da tua nota, mas penso que para mim o 4 não tem o mesmo significado que tem para ti.

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. JACKIE BROWN: É pois evidente que o filme foi diferente para cada um de nós.
    Em OS ARISTOGATOS não vi qualquer "irreverência" ou "originalidade" maiores nem qualquer tipo de "experiência tresloucada". Pelo menos para quem viu Clássicos anteriores como 101 DÁLMATAS, não creio que essa caracterização seja apropriada para o filme em questão.
    Quanto à "mixórdia de registos" penso que também ela é evidente. Eu ouvi muito mais do que jazz ao longo do filme. Quando muito não seja um acordeãozinho parisiense... No todo, penso que a banda sonora acaba inevitavelmente por se demarcar das restantes bandas sonoras dos filmes Disney, mas nem por isso posso dizer que seja marcante. Eu que até tenho algum ouvido e memória musical não me consigo recordar de nenhum tema, de momento. Mas pronto, esse argumento também é discutível. De qualquer forma não é por aí que a premissa cai por terra. Penso e estou convicto de que a banda sonora de OS ARISTOGATOS não tem o carisma da banda sonora de uma BRANCA DE NEVE, de uma BELA ADORMECIDA, de um PINÓQUIO, de um O REI LEÃO ou de uma POCAHONTAS. Entendes o que quero dizer? Não sei se fui claro o suficiente, julgo que sim.
    Quanto ao "estilo tosco", vamos lá ver, não o entendas no sentido depreciativo. Quando digo "estilo tosco", refiro-me inequivocamente ao traço e à pintura. Ao traço que não é linear nem perfeito; não é limpo, por assim dizer. E à pintura que não se limita aos contornos e não tem aquela preocupação romântica do aprumo.

    Lá que é contagiante, ai isso sem dúvida. E o argumento desenvolve-se muito bem.

    Não sei qual o significado que o 4 tem para ti. Para mim é simples: se o 3 marca o 'mediano' e o 5 o 'magnífico', o 4 marca o 'acima da média'. Como no Básico, em que o aluno recebe o 3 quando é 'razoável', o 5 quando é 'muito bom' e o 4 quando, acima da média e não absolutamente formidável, é 'bom'. Não sei se os professores são sempre justos. Eu pelo menos, e não sendo professor, faço por isso. Sem querer ficar com as notas e atribuindo aquilo que acho que os filmes claramente merecem.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  9. Em relação à banda-sonora, estamos em desacordo.
    O que para mim é versatilidade (a que tu chamas "mixórdia de registos", julgo eu) acaba por contribuir largamente para a qualidade da mesma, que é na minha opinião uma das melhores já feitas da Disney.
    Acho mesmo que a banda-sonora (como o filme em si) é uma das mais bem conseguidas e mais carismáticas (ponto interessante em que tocaste) da Disney.
    O carisma, a irreverência, a originalidade fazem a qualidade, quanto a mim.
    E eu que também tenho um certo "Ouvido clínico", lembro-me de um punhado de temas excelentes e marcantes.

    Em relação à "experiência tresloucada", estamos mesmo em desacordo. Eu já vi os 101 Dálmatas algumas vezes, e não creio que tenha a qualidade e o ritmo contagiante deste Os Aristogatos.

    Estamos mesmo em desacordo.

    Em relação à classificação, digo que não tem o mesmo siginificado porque tu te reges por cinco notas, enquanto eu me sirvo de nove.
    E como na maior parte das vezes atribuiste Muito Bom ou Excelente a estes clássicos (ao contrário de mim, que atribuo 3.5 na maior parte das vezes), calculo que o tem Bom seja algo inferior ao meu Bom.
    Espero ter-me feito entender quanto a esta parte...~

    Abraço!

    ResponderEliminar
  10. JACKIE BROWN: Estamos em desacordo. Não te contradigo, propriamente, mas não lhe reconheço tanto valor.
    Quanto às classificações, há um factor que não te lembrou: o termos opiniões e avaliações distintas para as diferentes obras, que pode também justificar as classificações atribuidas, independentemente do valor que damos a cada nota.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões