domingo, 7 de setembro de 2008

ARMAGEDDON (1998)

PONTUAÇÃO: BOM
Título Original: Armageddon
Realização: Michael Bay

Principais Actores: Bruce Willis, Billy Bob Thornton, Ben Affleck, Liv Tyler, Will Patton, Steve Buscemi, Owen Wilson, Michael Clarke Duncan

Comentário: Michael Bay é profissional na concepção do entretenimento de excelência. Armageddon é emocionate do princípio ao fim. É acção non-stop, plena de humor e com sofisticadíssimos efeitos especiais. A banda sonora soa-nos ao melhor Hans Zimmer e ajusta-se perfeitamente. Grande filme.

6 comentários:

  1. Tenho uma relação amor-ódio com este filme. Emociono-me sempre na parte do lançamento do foguetão, mas é tão "americano2 que uma pessoa tem vontade de bater-se.

    ResponderEliminar
  2. Prefiro outros do mesmo diretor, mas não dá para negar que Bay sabe fazer muito bem sua especialidade: blockbusters!

    ResponderEliminar
  3. CLÁUDIA GAMEIRO: É bastante americano, mas isso não me dá para esses impulsos ;D Curioso. É, sim, um filme muito emocionante.

    GUSTAVO: Sabe, sim. Como ninguém. Já agora, que outros filmes prefere dele?

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  4. Eu acho-o "chatinho". Só de ouvir a musica dos Aerosmith por aí faz-me fugir!

    ResponderEliminar
  5. PEDRO PEREIRA: "Chatinho"? A sério? Não acho nada.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  6. Revi-o há pouco tempo, sendo que na maioria tinha visto sempre só partes. É um belo filme, que cumpre segundo os propósitos a que se delineou. Diria até mais, cumpre e deslumbra no departamento do entretenimento, da acção, e das dinâmicas.

    De resto não é o melhor filme do mundo, mas Bay sabe nos entreter. O que é preciso é somente entrar no espírito e deixarmos-nos levar.

    abraço

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões