domingo, 7 de setembro de 2008

COLD MOUNTAIN (2003)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Cold Mountain
Realização: Anthony Minghella

Principais Actores: Jude Law, Nicole Kidman, Renée Zellweger, Eileen Atkins, Brendan Gleeson, Philip Seymour Hoffman, Natalie Portman, Giovanni Ribisi, Donald Sutherland, Cillian Murphy

Crítica:

Come back to me.

A realização de Cold Mountain é de uma sensibilidade extrema.
Anthony Minghella foi e é um excelente cineasta. Desculpem-me a simplicidade da expressão, mas... «nota-se». Cold Mountain vive do vento, do riacho, da folha. A natureza protagoniza o filme e é a sua maior banda sonora. E a natureza humana também, pois claro. Por isso, constrói uma postura anti-guerra.

Cold Mountain, drama de um imenso fôlego romântico quanto, vive da beleza das imagens; foi fotografado por um John Seale mais inspirado do que nunca. Walter Murch comprova sempre o seu alto nível e o argumento, a cargo do realizador, está muito bem escrito. O elenco é muito variado e respira de um talento bruto bastante incomum. Renée Zellweger está genial, verdadeiramente prodigiosa, e Jude Law tem aqui uma das maiores prestações da sua carreira. Nicole Kidman está, com a elegância de sempre, muito bem.

Eis, pois, um filme para nos deleitarmos com todo o seu esplendor, lirismo e virtuosismo. Um filme belíssimo.


7 comentários:

  1. A maioria das pessoas que conheço não gostaram do filme. Não as compreendo, porém.
    GOstei muito do filme. Achei-o belamente construído, com um posicionamento contrário aos eventos que nos mostra: se a guerra é o plano de fundo da narrativa, o amor dos personagens principais sobrepõem qualquer violência.
    É um filme sobre a espera, sobretudo.
    Nicole Kidman e Reneé Zellweger estão em sincronia, tão belas, tão eficientes. Jude Law - que muitos pensam ser um rosto bonito apenas - mostra que tem potencial dramático muito bom, completando com eficácia a tríade.
    Eu recomendo o filme.

    ResponderEliminar
  2. LUÍS: Anthony Minghella é, creio com veemência, um realizador a redescobrir. É bastante erudito, e nem todos se apercebem dessa sua erudição. Estamos de acordo. Eu também o recomendo vivamente.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  3. Não posso dizer que gosto tanto do filme quanto tu, mas CM tem algumas das mais belas imagens em scope que já tive o prazer de ver na tela do cinema. Já é algo.

    ResponderEliminar
  4. GUSTAVO: É como digo: Minghella é um cineasta a re-descobrir. Quantos não conheço (entre eles eu, inclusivé) que tinham uma opinião acerca d'O PACIENTE INGLÊS e que, volvidos estes anos, vêem no filme uma obra magistral. Este COLD MOUNTAIN é um muito bom filme. Cheio de subtilezas, na realização e na montagem, com uma produção arrojada e com grandes prestações do elenco. Sem falar da fotografia... um trabalho de génio.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  5. Destaco a fotografia, uma das mais bonitas da década, para mim.

    ResponderEliminar
  6. De facto belíssimo é um óptimo adjectivo para o filme. Daqueles que também não percebo como caiu tanto no esquecimento. A redescobrir, sem dúvida.

    Muito bom trabalho na fotografia, na montagem, nas interpretações, na realização e, claro, no argumento. Muito bem desenvolvido e estruturado. Sublime e inspirador.

    Pessoalmente equiparo-o muito a um Atonement ou até a um Pearl Harbor, sobretudo pela história de espera, amor e resignação. A aconselhar para qualquer tipo de cinéfilo. Acho que é daqueles casos que tanto os mais intelectuais como os mais comerciais irão gostar e apreciar um pouco do filme.

    abraço

    ResponderEliminar
  7. DIOGO F: Sem dúvida. Belíssima, belíssima, belíssima.

    JORGE: Penso que caiu no esquecimento essencialmente por dois motivos: o primeiro, que foi determinante, foi a crítica da altura e o pouco sucesso do filme aquando da estreia e na época do prémios. O segundo, foi que a história não é nada de diferente de muitas outras que já assistímos no cinema - sem falar no facto de qualquer obra que, no dias de hoje, tenha um fôlego romântico é imediatamente incompatível com os críticos (que muitas vezes são elitistas, muito intelectuais e secos de coração). Creio que foi por isso.
    Mas de facto, é muito subvalorizado. É um grande, grande filme.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD – A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões