domingo, 7 de setembro de 2008

CINDERELLA MAN (2005)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Cinderella Man
Realização: Ron Howard

Principais Actores: Russell Crowe, Renée Zellweger, Connor Price, Paddy Considine, Paul Giamatti, Craig Bierko, Bruce McGill

Crítica: Tocante e emocionante. E de uma estética subtil e arrojada... falo tanto da realização de Ron Howard como da delicada e perspicaz montagem da dupla Daniel P. Hanley e Mike Hill. O filme resulta num crescendo a todos os níveis, para o qual a imprescindível banda sonora de Thomas Newman tem um papel determinante. Nas interpretações temos um Russell Crowe com uma construção de personagem notável, num underacting de se lhe tirar o chapéu. Faz a dupla perfeita com a brilhante e versátil Renée Zellweger. Paul Giamatti está igualmente formidável. Excelentes escolhas de casting. Cinderella Man é, por tudo isto, um filme que prova que não é preciso ser megalómano seja no que for para se conseguir um obra de alto nível e de muito bom gosto.

17 comentários:

  1. Assisti este filme há alguns dias e gostei muito. A história baseada em fato real é extremamente sensível e as lutas de boxe, principalmente a final foi muito bem filmada com muita emoção, também razão do contexto histórico.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Na altura em que assisti gostei logo...e depois de o rever gostei ainda mais...
    Um filme, que para mim é uma descoberta autêntica, nem sempre muito falado, mas com enorme qualidade, de um realizador que por si só já possui obras que aprecio - A Beautiful Mind, Apollo 13, ou até mesmo The Da Vince Code e Angels and Demons, estes talvez por ser um fã dos livros, logo a adaptação a filme, ainda que não sejam brilhantes (eu considero contudo o último já bom, e o primeiro com toques tb de bom nível) e dignas das obras de Dan Brown, é sempre um prazer para mim ver no grande ecrã histórias que apenas residiam na imaginação!!

    ResponderEliminar
  3. HUGO: Sim, há extrema sensibilidade na abordagem de Ron Howard, que assina aqui um dos seus melhores filmes.

    JORGE: Sim, o filme não é tão reconhecido como deveria, estamos de acordo. Tecnicamente ainda é melhor do que UMA MENTE BRILHANTE, drama que também admiro bastante.
    As mais recentes adaptações dos romances de Dan Brown são inferiores, ainda assim O CÓDIGO DA VINCI impõe-se como o melhor dos dois, artisticamente falando. Há quem discorde, apesar de tudo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  4. perfeito esse filme... vi há um tempo, preciso ver de novo! o Russel Crowe é mto bom!

    bjo

    ResponderEliminar
  5. Grande selecção de fotos. Tens uma apetência e gosto para escolher fotografias de realçar :).

    Bom e já sabes a minha admiração e gosto pessoal por este Cinderella Man. Destaco desta vez a grande performance de Paul Giamatti. Gostei bastante.

    abraço

    ResponderEliminar
  6. XU: Bem-vinda ao CINEROAD! É de facto um grande filme, com um magnífico Russell Crowe. Que actor.

    JORGE: Referes-te à selecção da rubrica Grandes Cenas, disponível na etiqueta com o mesmo nome. Obrigado pelo elogio ;)
    O destaque da performance de Giamatti é mesmo merecido. Ele está fenonenal neste filme.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  7. Não consigo defender Ron Howard que eu considero um péssimo realizador.

    Vi à vontade mais de 50% da filmografia dele e a nota mais alta que dei foi um B (ao Apollo 13).

    Este e o A Beautiful Mind enervam-se sobremaneira... Não gosto nada dos filmes.

    E nem me falem dos filmes dos livros do Dan Brown... DesastreS.


    Abraço.
    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. JORGE RODRIGUES: Ron Howard não é, claramente, um mau ou péssimo realizador. Essa avaliação é não só hiperbólica como claramente injusta. Agora, é claro, não é um autor, não comporta marcas autorais, mas isso é outra conversa. CINDERELLA MAN ou UMA MENTE BRILHANTE são duas das suas melhores obras.

    Não vejo porque hão-de os filmes irritar-te... Enervam-te porquê?

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  9. Roberto,

    Principalmente porque acho que o Ron Howard é péssimo a meter-se em dramas pesados. O último, "Frost/Nixon", viu-se. É um esforço decente (como são todos os filmes dele, como tu bem disseste), mas os filmes dele não têm aquele quê de especial que os bons realizadores lhe dão.

    Os filmes sérios dele não são, pura e simplesmente, bons. Sem sabor, manipuladores (então em dramas como A BEAUTIFUL MIND e CINDERELLA MAN), despejados de alma e vivacidade (as entrevistas originais são melhores que o filme, FROST/NIXON) e se parecem minimamente inspiracionais, deve-se muito mais à história da pessoa focada no biopic (a história de John Nash é, por exemplo, sensacional, o que ajuda a eu ter suportado o filme), do que à direcção do filme ou aos actores.

    O problema que tenho com o Crowe é o que também tenho com o Sean Penn em I AM SAM e o Tom Hanks em FORREST GUMP.

    E detesto A BEAUTIFUL MIND excepcionalmente porque ganhou Melhor Filme a 4 outros filmes muito melhores: Moulin Rouge!, In The Bedroom, Gosford Park e Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring.

    Agora, não estou a dizer que as pessoas (e os críticos) não gostem do filme. Porque estas histórias inspiracionais/exemplos de vida são sempre algo que as pessoas gramam imenso. O mesmo para os Óscares.

    Já eu... ou se faz bem feito (Erin Brokovich ou , por exemplo) ou então é melhor estar quieto (ao pensar em filmes para dar exemplo neste segundo ponto, vieram-me à cabeça logo três filmes do Ron Howard, o que é obviamente mau sinal).


    Transcrevo isto até porque me lembrei de ter lido isto há algum tempo e de concordar (é de um blog americano), sobre o A BEAUTIFUL MIND:

    «But when it comes to Crowe & Connelly's weepy mannerisms, I just want a quickie divorce. I don't understand the appeal of either half of this romance. Connelly has mostly one note: wet eyed put upon woman and Crowe delivers his worst performance. He's unbearable mannered with an arsenal including so many facial twitches, hand gestures, and vocal tics that I swear I caught whiff of mental retardation Oscar-baiting rather than an honest examinations of social awkwardness or schizophrenia. I wanted to retitle the movie Forrest Gump Goes to Princeton... or maybe I Am Nash --ditch Connelly's sainted wife and bring in Dakota Fanning as an eternally patient daughter. The movie won't change that much. The huge crisis in A Beautiful Mind is one of direction. I know I don't have to spell out the whole "Ron Howard somehow beat Altman, Jackson, Lynch, and Scott" trope since everyone reading this is already remembering that inglorious moment. But even aside from that balloting outrage, the direction in A Beautiful Mind is just so obtuse and bashful. Sadly, this was NOT inevitable: there are moments in Apollo 13 and in Ransom where Howard makes the dismay or even the terror of his characters feel really palpable without violating his whole calculating, middlebrow aesthetic. But he just can't do it with A Beautiful Mind. The film never goes nearly as dark or as high-stakes as the script demands, and Howard steers his actors well clear of the most painful but revealing elements of the material. »

    Não podia concordar mais com a opinião sobre o filme e sobre o Ron Howard e o Russell Crowe e a Jennifer Connelly.

    E deixo aqui o link para uma coisa que encontrei há uns tempos num blog que por acaso também partilha da minha opinião sobre o Ron Howard: http://2.bp.blogspot.com/_Gdt6SgFdNNw/ShF22pvM2qI/AAAAAAAAMGc/sOcK96Gjm2s/s1600-h/howardflow.jpg)


    Abraço.

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. JORGE RODRIGUES: O esquema é engraçado, mas desconversa um bocadinho, não? Quanto à citação, não partilho da posição.
    Não gostei especialmente de FROST/NIXON, é um filme razoável.
    Já sabes que não concordo quanto ao trio de actores e respectivas interpretações. Dizer que se detesta UMA MENTE BRILHANTE porque ganhou os Óscares, é que é revelador da tua susceptibilidade. Deve-se gostar ou detestar um filme por aquilo que ele é, não pelo seu fenómeno exterior.

    E de resto, penso que está tudo dito ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  11. Hmm eu percebo. O "excepcional" não foi uma palavra bem aplicada ali naquela frase.

    O meu intuito era dizer que "tinha agravado mais" a minha opinião, o que em todo o caso vai ao encontro do que disseste acerca da minha susceptibilidade.

    Eu não consigo reconhecer grande mérito ao filme e pensar que ganhou aqueles Óscares ainda me faz ainda mais irritado, entendes?

    É basicamente isso que eu queria dizer.

    Mas pronto, acerca deste filme teremos que aprender a concordar a discordar.


    Abraço,

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. JORGE RODRIGUES: Com certeza. Temos opiniões distintas ;) Quanto aos Óscares, claro que entendo. 2001 teve produções tão monumentais, como bem referiste, e tão superiores a UMA MENTE BRILHANTE... Já CINDERELLA MAN, por exemplo - e que é, afinal, o filme desta ficha - foi praticamente ignorado no seu ano... Logo 2005 (cerimónia de 2006) que também não ganhou o melhor filme, quanto a mim.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  13. 2005 nos Óscares é um ano que me dói bastante.

    CRASH vs. BROKEBACK MOUNTAIN, vencido pelo primeiro, é o duelo mais injusto da última década. E decisão das mais estúpidas de sempre da Academia, que encontra comparação na derrota de CITIZEN KANE para HOW GREEN WAS MY VALLEY, entre outros.

    Enfim. O tempo dirá qual dos dois vai ser realmente reconhecido como uma obra-prima. E obviamente será a belíssima história de amor de Ang Lee, BROKEBACK MOUNTAIN.

    ResponderEliminar
  14. JORGE RODRIGUES: Já agora, e a propósito, convido-te a deixar um comentário ao filme O SEGREDO DE BROKEBACK MOUNTAIN. Conto com a tua opinião. Ou então também a COLISÃO, se quiseres.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  15. Já o fiz ;)

    Abraço,

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. Não o conhecia. Nunca o vi por aqui, nem em locadoras e nem nos cinemas. Gosto muito de Russell Crowe desde O Informante.

    ResponderEliminar
  17. JORGE RODRIGUES: Muito obrigado ;)

    ENALDO: É Ron Howard, mas o melhor de Ron Howard. Muito bom filme, altamente recomendado. Grandes desempenhos de Crowe, Zellweger e Giamatti.

    Roberto Simões
    » CINEROAD «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões