sábado, 8 de maio de 2010

Os Meus 10 Realizadores de Eleição (5)

Rui Francisco Pereira, autor do blogue » Cinemajb «, aceitou o convite do CINEROAD - A Estrada do Cinema para partilhar connosco o seu leque de realizadores preferidos. O Rui aproveitou para justificar as suas escolhas:

Quentin Tarantino
"O" Realizador. Se tivesse de definir os meus
gostos cinematográficos numa palavra, essa seria Tarantino.
Steven Spielberg
Capaz de criar obras-primas em qualquer domínio.
Quando a genialidade se alia à versatilidade, o resultado é um
qualquer filme de Spielberg.
Ridley Scott
Injustamente subvalorizado, mas constantemente a criar
deliciosas obras. Actualmente, o Rei do género épico.
David Fincher
A verdade nua e crua, eis a máxima dos filmes de
Fincher. Por vezes, é feia e fenomenal (Seven- 7 Pecados Mortais).
Noutras, é linda e fenomenal (O Estranho Caso de Benjamin Button).
Michael Mann
Ninguém filma a noite e a cidade como este senhor.
Perfecionista ao máximo e capaz de encontrar e transmitir a mais pura
beleza nos mais simples pormenores.
Peter Jackson
Em três anos, marcou para sempre a 7.ª Arte. De uma
visão e uma dedicação sobre-humanas.
M. Night Shyamalan
O talento no seu estado mais puro. Um mestre do
suspense e capaz de manipular emoções como poucos.
Martin Scorsese
Quanto a mim, capaz do melhor e do pior. Mas o seu
melhor é demasiado bom. Símbolo da experiência e da coragem.
Francis Ford Coppola
Classicista como já não há, e incapaz de ser
definido. Não se prende a estilos, rotinas e convenções. Tão místico
quanto os seus filmes.
Woody Allen
Capta a essência humana como ninguém, retratando esta
tragédia cómica a que alguns dão o nome de vida com uma mestria
extrema.

Um muito obrigado, Rui Francisco Pereira!

Compare as respostas dadas por todos os convidados até ao momento: AQUI

33 comentários:

  1. E aqui estão elas! :P

    Aproveito para reforçar o meu agradecimento pelo simtático convite... outra vez;)

    Não te importas que publicite isto, pois não?

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Boas escolhas! Penso que Scorsese não faz do pior mas pronto.
    "O" realizador já não era muito difícil de saber qual é.

    Abraço
    Cinema as my World

    ResponderEliminar
  3. Ainda não vi esses filmes em que o Scorsese foi capaz do pior...

    ResponderEliminar
  4. NEKAS: Estou de acordo contigo. Em relação a Scorsese e à obrigatoriedade de Tarantino.

    NEUROTICON: Nem eu ;D

    JACKIE BROWN: Aproveitando para comentar as escolhas: revejo-me em todas elas, com excepção de Michael Mann, Coppola e Woody Allen. De resto, idolatro os outros sete realizadores. Também não conheço o pior de Scorsese e muito me espanta, aliás, que o tivesses incluído na tua lista. Quanto a David Fincher de notar que não te referiste a Fight Club, para mim a sua obra-prima absoluta. Mas enfim, sei que não gostas do filme (não compreendo), por isso já esperava essa omissão.
    Peter Jackson só não figurou na minha lista porque tenho dúvidas em relação ao equilíbrio da sua carreira.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  5. Ora bem, em relação a Scorsese, filmes como The Departed, O Cabo do Medo ou até mesmo Taxi Driver são, para mim, o seu pior.
    Não gostei nada nada destes que aqui referi e, comparando com as obras-primas que já dele vi, O Aviador e Gangs de Nova Iorque (que justificaram a escolha para realizador de eleição), são o pior.

    Em relação a Tarantino, já se sabe: um mestre :D.

    Quanto a Jackson, pode fazer muita porcaria na carreira, que já tem três obras-primas (e aqui refiro-me à realização dele, não aos filmes em si) a demonstrar a sua mestria.

    Em relação a Fincher, Roberto, creio que sabes que Clube de Combate não é um filme que me agrade particularmente. A sua obra-prima é mesmo Seven.

    Uma nota final para Michael Mann. Não sei se não gostas mesmo do realizador ou apenas conheces pouco do seu trabalho. De qualquer forma, aqui fica a recomendação de O Informador, a sua obra-prima.
    Vê e depois falamos, ok? ;)

    Abraço e obrigado mais uma vez!

    ResponderEliminar
  6. JACKIE BROWN: Já vi MIAMI VICE, ALI, COLLATERAL e vi recentemente MANHUNTER. Nenhum destes filmes considero verdadeiramente extraordinários. Já tenho o HEAT gravado ali na box, que muitos afirmam ser a sua obra-prima e quanto a THE INSIDER guardo as melhores recomendações, mas de facto ainda não o vi.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  7. Gosto da inclusão do Mann. Tem o Insider mas há melhor.

    Agora dizeres que Taxi Driver é o pior Scorsese não consigo compreender. Tás a deitar fora uma obra-prima do cinema americano. Sobretudo quando referes que o Aviador e Gangs of New York são os seus melhores filmes...

    A lista é muito americana e revela um conhecimento cinematográfico de quem só vê cinema dos anos 70 para cima. Então Scott aí no meio faz me confusão.

    ResponderEliminar
  8. João,

    Melhor que o Insider? Só se for algum que eu ainda não vi ;)

    Em relação a Scorsese, peço desculpa mas estou mesmo convicto. Talvez com uma revisão de Taxi Driver mude um pouco a minha opinião, mas duvido.

    Em relação ao último parágrafo, eu gostava de dizer que é mentira, mas de facto não é. Clássicos não é mesmo comigo.

    É pena assistir novamente à subvalorização de Ridley Scott. Se há coisa que não deveria causar era "confusão", depois de tantos grandes filmes que já fez.

    :)

    ResponderEliminar
  9. ALTO LÁ!!!

    TAXI DRIVER É DO PIOR???

    Mas que grande confusão que aí vai nessa cabeça amigo...
    Mesmo não sendo um filme que te agrade pessoalmente, esse é um dos filmes em que não se pode tocar! É perfeito a todos os níveis...
    Então comparar este marco incontornável com O Aviador é mesmo ridículo...
    Parece-me que tu é que gostas do pior Scorsese...

    Uma lista 100% americana, mas pronto é uma questão de gosto...
    Gosto muito de alguns, principalmente Allen, Coppola, Scorsese... E o clássico do Fincher é mesmo o Fight Club ;)

    Peter Jackson é bom no Braindead...
    M. Night Shyamalan acho muito, mas mesmo muito mau!

    ResponderEliminar
  10. Neuroticon,

    Quando digo "do pior", não quero dizer necessariamente um mau filme.

    Mas, por comparação com outras obras de Scorsese e tendo em conta o hype à sua volta, foi uma desilusão enorme.
    Só o vi uma vez e já foi há uns anitos, mas não me agradou nada mesmo.

    Ridícula a comparação? Porquê? O Aviador É uma obra-prima. Ou O Aviador e Gangs de Nova Iorque é que são o pior de Scorsese? É que, a ser isso, também me parece que vai alguma confusão nessa cabeça ;)

    Não vi o Braindead, mas vi uma trilogia que se chama Senhor dos Anéis. Conheçes? xD
    Ele também foi bom aí? :P

    Shyamalan mau? Ainda está para vir um mau filme dele

    Cumprimentos a todos ;)

    ResponderEliminar
  11. Como referi antes, Scorsese não tem maus filmes e mesmo O Aviador e Gangs Of New York são bons, agora seria uma heresia compara-los com obras-primas absolutas como Taxi Driver, Raging Bull, Goodfellas, Casino, The Last Temptation Of Christ e até mesmo Mean Streets!
    Acho melhor reveres a filmografia do senhor, principalmente a primeira parte ;)

    O Senhor dos Aneis é secante!
    Vê o Braindead, aí sim tens o exemplo de uma boa realização e de efeitos especiais sem orçamento!
    A criatividade a revelar-se e não efeitos de computadorzecos...

    Quanto ao senhor Shyamalan, Lady In The Water é um dos piores filmes que vi até hoje... sem a menor dúvida!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  12. Scott tem apenas uma grande obra e é o Blade Runner. O resto é mediano ou mesmo péssimo. Como realizador é do pior que há e completamente sobrevalorizado.

    Como disse, The Insider é muito bom. Mas Heat é melhor.

    Não vou continuar a discussão acerca do Scorsese, não leva a lado nenhum. Mas se viste Taxi Driver há alguns anos atrás então seria melhor fazeres uma revisão.

    Sim, Peter Jackson só mesmo Braindead. Já agora, também não é um grande realizador.

    ResponderEliminar
  13. Bom, em relação a Scorsese, encerro igualmente o assunto.
    Não se trata rever, mas de ver a maior parte da sua obra, que me escapa.

    Neuroticon,

    O terceiro capítulo do Senhor dos Anéis é de facto (um pouco) secante, mas aplicar isso a todos os filmes é errado.

    Lady in the Water, um dos piores?! Bem, quem me dera que um filme da qualidade do Lady in the Water fosse dos piores que já vi... :D


    João,

    "Scott tem apenas uma grande obra"?

    Bem, deixa-me pensar um pouco...
    Para além das obras-primas Gladiador, Reino dos Céus e Alien, existem ainda os interessantíssimos Amigos do Alheio, o subvalorizado Um Ano Especial, Chuva Negra, O Corpo da Mentira e etc...

    Classificas cada um destes filmes que até aqui referi como "mediano ou mesmo péssimo"?

    É deste Scott que estamos a falar?
    O mesmo por detrás destas grandes obras?
    lol...

    Até o irmão ainda vai fazendo um ou outro filme de acção porreiro. Se nem ele é "do pior que há", Ridley muito menos...

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  14. Dá-me vontade de rir com o que foi aqui dito. Obra-prima para aqui, obra prima para ali!!

    Jackie Brown, tu não vês cinema, tu vês espectáculo hollywoodesco. E, sinceramente, não deves saber o que é uma obra-prima.

    E João e Neuroticon, nem vale a pena argumentar nada, é uma questão de gosto e falta de conhecimento para além do cinema americano/hollywood moderno.

    ResponderEliminar
  15. Identifico-me muito com as tuas escolhas, e é com agrado que constato isso, nomeadamente quando te referes a Peter Jackson, que fez os filmes da minha vida, e Ridley Scott que também adoro, sendo tal como dizes um senhor do épico! O restante são igualmente boas escolhas, não tendo nada a apontar em génios como Tarantino, Coppola, Spielberg...

    Não sei como alguém pode não gostar ou por outra não reconhecer as grandes obras ou o grande trabalho que está em o Senhor dos Anéis...opiniões, claro!

    abraço

    ResponderEliminar
  16. Não vale a pena, nem sei porque me fui eu meter nesta discussão... o meu conceito de Cinema é um pouco diferente do teu, onde não cabem lá nomes como os irmãos Scott.

    E sim são todos péssimos.

    Abraço

    ResponderEliminar
  17. João,

    TODOS péssimos?
    TODOS?
    Ok...

    Realmente, temos conceitos de Cinema muuuito diferentes.


    Jorge,

    Pelos vistos, os nossos conceitos de cinema são muito semelhantes. E ainda bem! ;)

    Cumprimentos a ambos!


    Álvaro,

    Eh pah, até estava a estranhar não vires meter o na... quer dizer, participar efusivamente neste pequeno debate.

    Mas com certeza, tens toda a razão.

    EU é que não sei o que é uma obra-prima. TU sabes, mas EU não.

    EU é que vejo espectáculo hollywoodesco. TU não, mas EU sim.

    EU é que tenho falta de conhecimento. TU não, mas EU sim.

    ...

    Enfim, continua a comentar assim que nada mais mereces do que desprezo.


    I rest my case.

    Roberto, um abraço!

    ResponderEliminar
  18. Caros intervenientes,

    Penso não ser necessário solicitar alguma moderação, uma vez que creio, igualmente, que o debate atingiu o seu limite.

    Muito obrigado a todos pela vossa participação.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  19. Estou em pleno acordo com o Álvaro Martins e Neuroticon... Mas lá está, já se esperavam estas respostas e a inércia nelas incutidas. Nada de novo.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  20. Hey, Jacky... não é necessária essa hostilidade ;)

    Não compreendemos como podes preferir outros filmes de Scorsese a Taxi Driver!
    Eu por exemplo, considero Taxi Driver um dos meus 20 ou 30 filmes preferidos...

    O Blade Runner é mesmo muito bom, obra-prima, e neste caso a palavra é mesmo merecida ;)
    A saga Alien confesso que ainda não vi, apenas me lembro de umas cenas que apanhei na tv quando era mais novo. Mas tudo o resto de Scott é mesmo mediano. Pode não ser péssimo, mas não é nada de especial. É um cinema para agradar a massas, cheio de balelas moralistas e clichés á tonelada.
    Além disso usa quase sempre Russel Crowe, mas isso já dava outra discussão... ;)

    Lady in the Water é ridículo, um filme completamente vazio, sem nenhum interesse. Não ligo a efeitos nem aspectos técnicos, mas em pleno séc. XXI ver um filme em que os microfones estão á vista mais de uma mão cheia de vezes é penoso.
    Só penso se não haveriam projectos mais interessantes em que gastar uns milhões...

    Eu digo sempre que o cinema é mesmo isto. É a discussão, são as diferentes correntes e estilos. As diferentes épocas e o diferente gosto de cada um. Respeito que não gostes de Taxi Driver mas não o compreendo e aconselho-te a revê-lo ;)

    Acho que não tens de ficar chateado com estas entradas mais ríspidas, a mim isso sempre funcionou como estímulo para tentar descobrir mais cinema. Cinema diferente... e pelo menos ter esse conhecimento, sempre de mente aberta.

    Álvaro, também há "bom" espectaculo hollywoodesco, temos que ver que é cinema com objectivos diferentes, o entretenimento (não vamos entrar pela questão de fazer dinheiro) :P
    É certo que Scorsese, por exemplo faz bom cinema e duvido que algum dia deixe de fazer.
    O cinema também não tem de ser só artístico :)

    A mim causa-me impressão e custa-me mesmo perceber como é que alguém pode eleger O Senhor dos Anéis como o "filme da vida", como foi dito por aí...

    ResponderEliminar
  21. [Esta entrada não se destina a nenhum participante em específico]

    A mim, pessoalmente, também me custa a perceber como é que alguém não reconhece o valor d'O SENHOR DOS ANÉIS e não o considera um dos melhores filmes de sempre. Ou como é que alguém não se apercebe da mestria por detrás d' A SENHORA DA ÁGUA. Mas o que é que eu hei-de fazer? Há-de haver - sempre - quem os ache secantes ou meramente razoáveis. Alguém que tenha gostos distintos dos meus.

    O cinema é uma arte plural e a pluralidade de gostos é o que nos define, enquanto espectadores e enquanto seres humanos. Fundamentalismos e intolerância ou o não reconhecimento desta nossa condição pelo ataque sistemático dos gostos (diferentes) dos outros é que se torna, quanto a mim, verdadeiramente infecundo.

    Fico muito grato pelo calor do debate, mas apelo ao respeito e civismo.

    Obrigado.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  22. Por mim fico sempre mais motivado e aceso quando surgem estas discussões, mesmo não sendo de todo dotado de estudos relativos ao cinema, nem tão pouco mais ou menos culto o suficiente para me meter aqui a trocar palavras com pessoas que certamente sabem do que estão a falar...no entanto gosto de partilhar opiniões sobre filmes, nomeadamente sobre películas que me fascinaram ao ponto de se tornarem autênticas memórias visuais e de recurso perante a vida!
    Neste sentido não quero estar a opinar ao nível artístico ou técnico sobre determinado filme, sendo que o Senhor dos Anéis (para além de já ter lido em muito lado fidedigno que contém arte), é porventura o filme da minha vida pois preenche-me, completa-me, tem a capacidade de me emocionar e de me tornar viciado nele em muitos aspectos...ora isto é tão somente paixão, e estas coisas fazem parte da vida, do ser-humano enquanto isso mesmo - Humano, que detém conhecimento através de emoção. Junta-se o útil ao agradável.

    Digo sinceramente que, não fosse já ter lido os livros e estar dentro do universo da história, os filmes talvez me parecessem também um pouco secantes...de ínicio claro!!
    O que me leva a pensar em obras que já vi e que achei secantes, como por exemplo o recente THERE WILL BE BLOOD, que talvez com outra visualização mais madura e com conhecimento prévio se torne melhor. É tudo uma questão de expectativa, conhecimento, cultura e gosto pessoal, e até de personalidade!

    abraços

    ResponderEliminar
  23. Ora lá está Jorge, da mesma maneira que tu sentiste o Senhor dos Aneis eu senti There Will Be Blood! :)
    Um filme que a cada visionamento novo nos traz uma dimensão diferente :)

    Roberto, temos de ver A Senhora da Água juntos e vais-me dizer onde está essa mestria toda ;)

    ResponderEliminar
  24. Neuroticon,

    "Hostilidade"?
    Fui hosil contigo?
    Por favor, eu sou hostil com quem merece.

    Chamar a estes dois comentários aqui postados de "ríspidos" é um eufemismo incrível.

    E se há coisa que não suporto é que me tentem impôr opiniões, ainda para mais rebaixando a minha.

    O primeiro comentário fez exactamente isso (como o costume, tanto que o seu autor já teve vários problemas por causa disso) daí a "hostilidade" que apenas serviu como resposta a uma picardia escusada.

    Já a segunda entrada não obteve qualquer resposta, não só da minha parte mas também de terceiros, tal é a sua inutilidade para o debate -já que o único objectivo é, ainda e sempre, ofender- (o que nos fará pensar sobre o motivo de estar aqui exposta, mas isso já não me diz respeito;), e também porque o interveniente já está familiarizado sobre o que eu penso sobre os seus métodos de "opinar".

    ___________________________________

    Existe de facto bom espectáculo hollywoodesco ou, pelo menos, posso gabar-me de encontrar qualidade em CINEMA com tal característica.

    Cumprimentos e até uma próxima ;)


    Roberto,

    Estava a ver que não dizias nada ;)

    Tanto a trilogia de Peter Jackson -esse grande realizador- como o filme de Shyamalan -esse grande realizador- são OBRAS-PRIMAS que merecem respeito.
    Não consigo compreender como não são reconhecidas, mas obviamente que respeito opiniões adversas.

    Em relação ao teu segundo parágrafo, creio que sabes que estou totalmente de acordo.

    Abraço ;)


    Jorge,

    Por favor, não és menos do que ninguém ;)

    Todos têm direito a expressar a sua opinião, seja ela qual for.
    Especialmente se for para dizer bem do Senhor dos Anéis :P

    Também me identifico com a tua opinião sobre Haverá Sangue.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  25. JORGE: Compreendo perfeitamente o que dizes e identifico-me, com excepção daquilo que se refere a HAVERÁ SANGUE, como sabes. Fica a recomendação de uma nova visualização.

    NEUROTICON: Fico grato pela disponibilidade e motivação ;) mas penso que não seria muito frutuoso. De qualquer forma, aqui fica a sugestão para consultares aquilo que eu penso sobre o filme de Shyamalan: AQUI.

    JACKIE BROWN: Só intervenho ou quando sou interpelado directamente ou quando acho necessário. Em caso de debate aceso, só mesmo quando estritamente necessário.

    Não considero A SENHORA DA ÁGUA nenhuma obra-prima, mas sim um filme muito bom.

    Fica também a recomendação quanto a HAVERÁ SANGUE.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  26. Ó sr. Brown, ou devo dizer Sr. Rui, em primeiro lugar não ofendi ninguém (lá está não deves saber português e diferenciar o que é ou não ofender alguém). Em segundo lugar, nunca reparei que tivesse tido problemas, mas o sr. Roberto é quem nos poderá elucidar de tal facto. É que sendo assim, não quero estar a incomodar. Tomara eu que todos os meus problemas fossem estes.
    Em terceiro, sr. Rui, o cinema é uma arte como outra qualquer. E gostos há parte, existe bom cinema e mau cinema. E existe o intermédio, que é aquele que tu vês, o cinema pseudo-artístico pretensioso, de massas e de fácil compreensão e visão. Não disse que não gosto de Scorsese, ou Woody Allen, Coppola, Fincher e Tarantino, mas chamar de obras-primas, ainda para mais as que tu enunciaste é completamente elucidativo do teu conhecimento! (e falando artisticamente, gostos à parte – senão evita utilizar a palavra obra-prima)
    Por último (e este provavelmente será o meu último comentário) e relativamente a este teu comentário “Existe de facto bom espectáculo hollywoodesco ou, pelo menos, posso gabar-me de encontrar qualidade em CINEMA com tal característica.” quero apenas dizer que de facto existe bom espectáculo de Hollywood, não disse o contrário, mas daí a obra-prima ainda vai um longo caminho a percorrer.

    PS: Já estou a habituado à “hostilidade”. Quem não se sabe defender falando de cinema vem com a conversa que tu utilizaste. Fica sempre bem fazeres-te de vítima. Coitadinho.

    ResponderEliminar
  27. Álvaro,

    Em relação à questão da ofensa, eu podia perfeitamente ter-me sentido ofendido com o teu comentário provocador.
    Não foi o caso.
    Sugiro que releias o meu comentário, ou "lá está não deves saber português".

    Nunca reparaste que tivesses tido problemas?
    Bem....
    Eu não preciso que o Roberto me elucide sobre isso, mas tu pareces desperadamente precisar...
    E se a questão é estares a incomodar(-me, a mim), nem deverias ter cá deixado um único comentário.

    E dizes-me que para o Cinema há gostos, para depois afirmares que vejo cinema intermédio?
    Quais gostos? Os teus? Os outros são "cinema intermédio"?
    Ao menos sê coerente.

    E utilizo a expressão "obra-prima" para classificar quantos e quais filmes quiser (aproveito para corrigir um comentário anterior -Senhora da Água não é uma obra-prima).

    Estás habituado à hostilidade? Presumo que gostes, já que não te moderas minimamente.

    Sr. Pereira

    ResponderEliminar
  28. Ó sr. Rui, pelo menos não seja hipócrita. Se não tivesse ficado ofendido não vinha com a conversa que veio. Conversa que, só mostra a ignorância acerca do assunto em questão (cinema), pois a única coisa que li de si foi a fazer-se de vítima, que também tem direito a ter opinião, etc etc. Claro que também direito à sua opinião, claro que tem todo o direito a ver cinema de entreter, claro que tem o direito de chamar obra-prima ao que bem entender, mas sr. Rui não espere credibilidade de quem perceba minimamente de cinema, de bom cinema, pois ainda não o vi a utilizar termos de cinema ou a defender as tais "obras-primas", resumindo ainda não o vi falar de cinema, mas sim de como gosta de tal cineasta e de tal filme e que é obra-prima porque...ah não disse a razão. Realmente o sr. é um entendedor de cinema do mais elevado possível. Aconselho-te a veres novelas pois a diferença é mínima, ainda para mais sendo que, relativamente ao Scorsese (que foi o cineasta mais citado), aquelas que podem ser apelidadas de obras-primas, são para ti o pior dele! Grande entendedor.

    E não é o sr. que me vai dizer o que tenho de fazer, não é você com as suas demagogias sensacionalistas que me vai ensinar a moderar ou não. A sua conversa, volto a repetir, é esclarecedora do seu conhecimento sobre cinema, melhor, as suas escolhas são esclarecedoras disso.

    ResponderEliminar
  29. Jackie Brown,
    podes até nem ter tido um comportamento hostil, mas que usas e abusas da ironia lá isso o fazes.

    Há gente que pensa que lá por ver meia dúzia de filmes dos anos 90 que já se julga um entendido na matéria. Eu também não sou entendido, a minha área nem sequer é o Cinema mas pelo menos não me limito ao básico.

    Sugiro-te que penses na definição de Cinema. Cinema não é Scott (Ridley ou Tony), é mais Godard, Antonioni, Bergman, Tarkovsky, Welles ou Ford. Quando começares a ver Cinema a sério depois conversamos sobre o Gladiador.

    Já agora, podes utilizar a palavra obra-prima as vezes que quiseres (seja no Aviador ou no Gangs of New York ou até no X-Men), mas por favor, vai primeiro ao dicionário ver o significado desta. Vais ver que o Gladiador não se enquadra nela de certeza. Aliás, encheres o peito para dizer isso só te fica mal.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  30. João,

    Perante o que até aqui, e noutros espaços e momentos, presenciei em matéria de comportamentos inadequados, parece-me que o uso da ironia não é assim tão grave quanto isso.

    Como já disse, respeito (e até gosto) de quem tem uma opinião diferente da minha.
    Mas depois de alguns destes comentários que, verdade seja dita, rebaixaram a minha opinião quando eu nunca o fiz com ninguém, não se pode fazer esperar muita subtileza nas respostas.

    E lá porque me limitei a referir o exemplo de Ridley Scott, e a MENCIONAR o Tony Scott, já há gente que presume que o meu conhecimento de Cinema (que não é muito vasto) se cinge a "meia dúzia de filmes dos anos 90" e que não sei o que é "Cinema a sério".

    É este tipo de generalizações e imposições que me incomodam.

    No entanto, sugiro -e agradeço- que dês uma passada pelo meu blogue e tires as tuas (novas) conclusões, já que a aparente primeira/anterior visita te parece ter deixado ideias erradas (X-Men, uma obra-prima? Quem está a ser irónico?)

    E, João, afirmas que posso utilizar a palavra obra-prima para definir qualquer filme, mas depois dizes que me fica mal apelidar de tal, Gladiador?
    Ficarei assim tão mal visto por considerar a obra de Ridley Scott (ou qualquer outro filme, DENTRO DOS LIMITES DO RAZOÁVEL) tão aclamada, uma obra-prima?
    Não nos poderiamos ficar, simplesmente, pela divergência de opiniões? É mesmo necessário incutir valores?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  31. Jackie Brown,
    Claro que não quero incutir valores, ou gostos a ninguém.
    Fizeste uma lista eu tenho o direito de discordar dela, e só me incomodou teres tocado numa das maiores obras do cinema americano (Taxi Driver).
    A partir do momento que publicas seja o que for estás sujeito a estas coisas e a receber inúmeras críticas.

    Como disse a dada altura o Neuroticon, isto deve servir para te incentivar a descobrir novo cinema e quebrares essa barreira, seja dos clássicos, ou até mesmo de filmes asiáticos ou europeus.

    Não quis ser agressivo em nenhuma altura e encerro a minha participação neste tópico.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  32. Boas escolhas. Em uma lista minha, também teria Woody Allen, Shyamalan e Tarantino.

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões