sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

CARTAS DE IWO JIMA (2006)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: Letters From Iwo Jima
Realização: Clint Eastwood
Principais Actores: Ken Watanabe, Kazunari Ninomiya, Shido Nakamura, Tsuyoshi Ihara, Ryo Kase, Yuki Matsuzaki, Hiroshi Watanabe, Takumi Bando, Nobumasa Sakagami, Takashi Yamaguchi, Nae Yuuki

Crítica:

O OUTRO LADO DA GUERRA,
O MESMO LADO DA ALMA

Cartas de Iwo Jima em nada fica a dever à mestria de outros grandes filmes de guerra. Está genuinamente bem feito. E subtilmente inspirado. A realização de Clint Eastwood é de uma sensibilidade extrema, elevando cada passagem do argumento a um estatuto tocante, reflexivo e simultaneamente sublime. A sua estética suporta-se no silêncio ou nos sons que o perturbam (saliente-se a excelente qualidade dos efeitos sonoros). A banda sonora, quando se ouve, funciona mais como agente reflexivo do que como agente emotivo. A emoção, essa, constrói-se essencialmente à base da palavra e do silêncio. A fotografia, que confere uma beleza magistral ao filme, sobrevive, contudo, mais da saturação cromática do que do enquadramento artístico da câmera. Ken Watanabe e Kazunari Ninomiya estão perfeitos nos seus papéis.

18 comentários:

  1. Um dos grandes filmes do Clint que me faltam ver.

    É pena por acaso. Tentarei colmatar essa falha o mais rapidamente possível.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Mais um filme que também ainda não tive oportunidade de ver. Mas hei-de fazê-lo!

    ResponderEliminar
  3. Eastwood acertou em cheia neste violento drama de guerra e os dois atores principais tem interpretações sensacionais. O filme é superior "A Conquista da Honra".

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Um dos melhores filmes do Clint Eastwood - o que já é dizer bastante coisa.

    Também te adicionei nos meus links!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Tenho esse filme em casa, mas nada - com exceção de quem o dirigiu - me faz querer vê-lo.

    Pelo que você escreveu e pela cotação que recebeu o filme, imagino que você me recomendaria assistir.
    Estou em dúvida. Falando nisso, já assistiu a Dúvida? Com a Meryl Streep, Amy Adams; que concorreu ao Oscar esse ano...

    ResponderEliminar
  6. FIFECO E TIAGO RAMOS: Nota-se claramente que CARTAS DE IWO JIMA é um filme pós O Resgate do Soldado Ryan. Mas, ainda assim, é tão Eastwood. Por mim, é recomendadíssimo.

    HUGO: Estamos de acordo. É superior, sim.

    CIRO HAMEN: É, de facto, dizer imenso :D Um filme extraordinário.

    LUÍS: É claro que recomendo! Se você gostou de Million Dllar Baby, filme que eu especialmente não acho tão fabuloso quanto apregoam, então deste CARTAS DE IWO JIMA você vai adorar! É claro que há gostos e gostos. Eu penso assim ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  7. Obra-prima de Eastwood, lúcida, sensível e poética.

    ResponderEliminar
  8. Na altura comentei e escrevi que era um dos filmes de Eastwood que me faltavam ver. Bem, comentei essa falha e fiz-lo com enorme felicidade uma vez que encontrei um filme extraordinariamente complexo ao nível humano e dotado de uma realização imperial de Clint.

    Também as interpretações merecem um destaque acentuado.

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. GUSTAVO H.R.: De acordo. Os três adjectivos adequam-se perfeitamente!

    FIFECO: Falha colmatada e ficaste rendido ao prazer de ver um filme extraordinário. Compreendo-te tão bem. Subscrevo-te inteiramente.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  10. Ken Watanabe sempre é intenso no interpretativo. Agente reflexivo é consequência de emotividade, não?

    abraço!

    ResponderEliminar
  11. CRISTIANO CONTREIRAS: Claro, a emoção também leva à reflexão. O que quis dizer na crítica é que a banda sonora de CARTAS DE IWO JIMA leva mais à reflexão do que propriamente à emoção.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  12. Magnífico lirismo. Emocionante e meticuloso.

    [*****]

    ResponderEliminar
  13. Reconheço todos esses méritos que vc apontou. É realmente um filme muito sensível e pertinente. Mas acho, ao contrário da grande maioria, A conquista da honra um filme superior.
    ABS

    ResponderEliminar
  14. WALLY: Nem mais! ;)

    REINALDO GLIOCHE: Para dizer a verdade, não vi o AS BANDEIRAS DOS NOSSOS PAIS até ao fim. Mas do que vi gostei bastante. A ser assim, curioso você preferir o primeiro capítulo do díptico.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  15. Epa infelizmente (e digo-o como um admirador do trabalho actor/realizador de Clint Eastwood), não gostei muito deste, embora reconheça-lhe qualidades inegáveis.

    Não sei, me parece monótono, cansativo e arrastado na narrativa, coisa que privilegio acima de tudo; é certo que esse deve ser o ponto, o seu quê de excelência e qualidade; mas não, não consigo me prender a uma história de 2 horas e tal com este ritmo! Um dos motivos basear-se-á com o facto inconsciente de ver os filmes de guerra como algo sempre com acção e muita emotividade, quando tal não acontece, porventura o desagrado surge.

    Este facto, para mim também acontece com THE THIN RED LINE, é uma pena :P
    A ver se vejo de novo estas obras e se mudo um pouquinho a minha opinião e gosto, embora não acredito assim muito.

    Em relação ao outro filme da saga, FLAGS OF OUR FATHERS, embora partilhe da mesma opinião genericamente, está ligeiramente acima deste.

    E já agora, e depois de ter comentado todos os filmes que tens na lista de críticas do cineasta (hoje deu-me para isto, para os filmes do Clint), para quando mais películas do realizador, sobretudo, aqui no blogue?!
    certamente haverão algumas que merecerão, ficam aqui algumas sugestões que vi ou que estou prestes a ver: High Plains Drifter, The Outlaw Josey Wales, Pale Rider, A Perfect World e The Bridges of Madison County.

    Recomendações dramáticas e Westernáticas essencialmente :P

    abraço

    ResponderEliminar
  16. JORGE: Creio que mudarás de ideias relativamente a A BARREIRA INVISÍVEL e a este CARTAS. Talvez com o tempo, acredito. São formas diferentes de abordar a guerra. Com um quê contemplativo e filosófico sobre os acontecimentos.
    Creio seriamente que mudarás de ideias.
    Quanto às sugestões, à excepção de AS PONTES DE MADISON COUNTY, nenhuma delas está prevista. Quanto ao filme protagonizado por Eastwood e Streep não te sei, contudo, precisar para quando. Mas na altura publicarei a crítica ao filme, certamente.

    Já agora, e porque nunca é de mais agradecer, muito obrigado pelos comentários às críticas dos filmes de Clint Eastwood, esse grande cineasta que ambos admiramos.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  17. Esse filme é sensacional...acho que um dos melhores dele! E por incrivel que pareça é que ele é tao bom que mesmo sendo em japones, nao me incomodou!

    forte abs

    www.cinemadetalhado.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. TIAGO BRITTO: Sim, um dos melhores de Eastwood, estou de acordo. E porque haveria o japonês de incomodar, não é?

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões