sexta-feira, 22 de maio de 2009

KILL BILL - A VINGANÇA (2003, 2004)

PONTUAÇÃO: EXCELENTE
★★★★★
Título Original: Kill Bill
Realização: Quentin Tarantino
Principais Actores: Uma Thurman, Lucy Liu, Vivica A. Fox, Daryl Hannah, David Carradine, Michael Madsen, Julie Dreyfus, Sonny Chiba, Michael Parks, Chiaki Kuriyama

Crítica:

[Sobre o Volume I]

A VINGANÇA SERVE-SE FRIA

Quentin Tarantino concebeu, com perfeição, um filme original, energicamente sublime, misto de registos e referências e tela de grande confluência estética. Uma obra-prima suportada pela magnífica interpretação de Uma Thurman e restante elenco, pela cinematografia primorosa de Robert Richardson e por momentos musicais únicos.

Ao longo do filme, somos assombrados por cenas que jamais esqueceremos, de uma brutalidade crua e derradeiramente estética, ora com humor (por exemplo, a luta inicial entre a Noiva e Vernita Green) ora com verdadeira comoção (por exemplo, a cena em animé). E não posso deixar de destacar outras cenas brilhantes, de magistral orquestração, tais como as das sucessivas lutas finais entre a protagonista, O-Ren e respectivo gangue. Banho de sangue, mas banquete do mais fresco e refrescante cinema. O argumento constitui um exercício de muito boa escrita, criteriosamente estruturado e preenchido com os mais eloquentes diálogos. O filme revela ainda consciência ficcional, sendo objecto de si próprio e de manipulação estética (por exemplo: os sons que censuram a prenunciação do nome Beatrix ou a pronta sinalização do algarismo "2", falha voluntária que legenda o separador que introduz o capítulo primeiro).

Em suma: um título absolutamente essencial para todos os amantes maiores da arte do cinema.

[Em breve, constará nesta ficha uma nova crítica, que dirá respeito ao filme por inteiro, aos dois volumes lançados individualmente]

21 comentários:

  1. Um fantástico filme, muito bem realizado: (http://splitscreen-blog.blogspot.com/2009/04/dvd-kill-bill-vinganca.html)

    ResponderEliminar
  2. Estamos em total de acordo desta feita. Uma das fitas mais criativas que vi e um dos meus filmes preferidos. Diz-se que não se pode separar da segunda parte mas eu separo. A primeira parte é claramente superior, sobretudo ao nível de inventividade.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Olá
    adorei seu blog, virei seguidor

    Então, para mim este é o melhor filme dos dois, pelo menos o que eu mais gostei. Concordo que a cena que mostra a infância da personagem da Lucy Liu em animé é uma das mais marcantes e a luta entre as duas também. ESSE FILME ENTROU PARA A HISTÓRIA!

    até mais : )

    ResponderEliminar
  4. TIAGO RAMOS: Muuuito bem realizado. E eu que não gosto nada do Pulp Fiction. Já tinha lido há semanas a tua crítica, voltei lá agora. Estamos de acordo. :p

    FIFECO: Completamente. Muito, muito criativo, o filme. Vi-o ontem e já estou desejoso de o ver outra vez. Ainda não vi o vol.2, darei conta quando o vir. Adorei.

    ALTIERES BRUNO MACHADO JUNIOR: Obrigado! Muito obrigado, mesmo. Como disse ao Fifeco, ainda não vi a 2ª parte, mas esta primeira maravilhou-me. Inesperadamente.

    Cumps.
    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  5. Eu vejo os dois filmes como um todo, não dá mesmo para separar as duas obras. Duas obras perfeitas. E não é só Uma, também há Carradine, Madsen e Darryl Hannah em grande plano

    Considero o segundo mais maduro e talvez até melhor.

    ResponderEliminar
  6. O "Kill Bill" é espectacular, sim :P Considero-o superior à segunda parte, mas também não há mal nenhum juntá-los num todo. Bem, "Kill Bill" é sinónimo de película bem escrita e realizada, que diverte e entretém :P E vejo que preferiste este filme ao "Pulp Fiction", tal como eu ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. JOÃO: Como disse em comentários anteriores, ainda não vi o segundo capítulo. A ver irei, depois logo digo alguma coisa a respeito. Esta primeira parte é uma autêntica maravilha.

    FLÁVIO GONÇALVES: Ah pois, para PULP FICTION não tenho(perdoem-me os amantes) paciência. Este KILL BILL é sublime.

    Cumps.
    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  8. Pois quanto a mim este, o segundo e a palhaçada gore que andou a esperimentar não chegam sequer aos calcanhares do Pulp Fiction, para não falar da obra-prima dele, o Reservoir Dogs.
    Mas sou eu a falar...

    ResponderEliminar
  9. ÁLVARO MARTINS: Não me pronunciarei a respeito da «palhaçada gore» porque ainda estou a descobrir a obra de Tarantino, mas a respeito de KILL BILL tenho dito. E de PULP FICTION também e sobejamente :b

    Cumps.
    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  10. Eh pá, é um excelente filme, este. Mas também acho que o vol.2 não fica nada atrás. Lembro-me que a primeira vez que vi o filme, fiquei completamente abismado com tamanha criatividade, irreverência e originalidade. Existem cenas memoráveis, como por exemplo a que referiste, em animé.

    ResponderEliminar
  11. Acho o Tarantino superestimado. Hoje em dia ele faz um monte de loucuras e todo mundo diz que é arte. Se fosse um cineasta desconhecido iam linchar o obra.
    Agora, ele fez muita coisa boa, com certeza. Não é à toa que tem esta moral.

    Abs!

    ResponderEliminar
  12. THESUBSIDAL: Pois, eu também fiquei assim para o abismado! :b

    RAMON: Se fosse com obras como PULP FICTION, concordaria inteiramente contigo. Mas face a KILL BILL não to posso dizer. É uma loucura das boas. E de que maneira!

    Cumps.
    Roberto F. A. Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  13. Acima de tudo parece-me ser uma grande homenagem ao cinema série b, seja ele de origem americana (longa a lista grindhouse que aquele rapaz deve ter visto), asiática (kung-fu + samurais) ou europeia (western-spaghetti e policiais italianos descarados quer visualmente quer na banda sonora).

    Interessante ver como esta nova geração de cinéfilos idolatra Tarantino e despreza essa matéria-prima...

    ResponderEliminar
  14. PEDRO PEREIRA: Muito pouco conheço desse cinema de série b que tanto fascina Tarantino. Mas estou de acordo contigo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  15. Considero IMPOSSÍVEL perceber Tarantino sem conhecer toda a estrutura de cinema de série B que o inspira! Gosto de Tarantino e de Robert Rodriguez porque também gosto de cinema de série B, principalmente westerns-spaghetti, filmes de kung-fu e policiais!

    ResponderEliminar
  16. EMANUEL NETO: Impossível, não é com certeza. Mas conhecer esse universo permitirá um conhecimento e um entendimento maior da sua obra, isso sem dúvida.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  17. Grande grande filme. Da primeira vez que o vi, até fiquei parvo! a sério a estupefacção era tanta (e como já foi há uns bons anos) que fiquei absolutamente fascinado e com pouco para dizer. O segundo também é muito bom, um pouco abaixo apesar de tudo. Comentarei o segundo quando publicares a crítica :)

    Relativamente a este, e hoje, considero-o um filme belíssimo na arte de inovar e de se reinventar. Os pormenores são vários, a versatilidade de géneros, referências e registos é muito bem doseada, e depois tem cenas memoráveis. A de animé, o confronto com O-Ren ou com Vernita Green...

    Fabuloso acima de tudo, diria, no argumento. Tarantino transcendeu-se a meu ver. Ainda assim e, por muito pouco, não é o meu preferido dele, o meu top:

    1 - Inglourious Basterds
    2 - Kill Bill Vol.1 e 2
    3 - Pulp Fiction
    4 - Jackie Brown
    5 - Reservoir Dogs

    Ainda me falta ver o Death Proof e preciso rever o Reservoir Dogs, que parece-me estar subvalorizado (na minha cabeça, já o vi faz tempo).

    abraço

    ResponderEliminar
  18. O Kill Bill faz parte do meu TOP 5 de filmes. Tarantino simplesmente não sabe fazer maus flmes, e este está simplesmente perfeito.

    ResponderEliminar
  19. JORGE: Estamos uma vez mais de acordo. Em tudo. KILL BILL é genial, genial, genial.

    SARAH: Se não for perfeito, andará com certeza lá perto.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  20. Vi ontem à noite os dois volumes de seguida e, sinceramente, não sei dizer se gostei da obra.
    Por um lado, todo o argumento, a montagem, a interpretação de Uma Thurman e a criatividade de Tarantino me fascinaram, contudo, há coisas que, de certo modo, ridicularizam o filme.
    Quando te referes ao humor da luta entre Black Mamba e Vernita Green, eu acho a cena um tanto estúpida e que tira valor ao resto. Já o kung-fu, sabes que não sou apreciadora e algumas das sequências, que podiam ter sido magistrais, prolongam-se demasiado (é o caso da luta com O-Ren). Ainda falando dos diálogos, tal como em Pulp Fiction, muitas das vezes eles demoram-se num tédio infinito (por exemplo, quando a noiva vai ter com Hanzo).
    Apesar de tudo isto, não deixou de me marcar (e sim, a cena de animé está muito bem conseguida).


    Yirien

    ResponderEliminar
  21. YIRIEN: Penso que KILL BILL, como qualquer obra de Tarantino, convida sempre a uma segunda, terceira ou outra visualização. Aquilo que consideras estúpido tem uma interpretação: é uma homenagem a filmes de série B que inspiraram o realizador. Mas compreendo-te em relação ao tédio; esse é, afinal, uma das barreiras iniciais na obra do cineasta.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões