segunda-feira, 4 de julho de 2011

EVA (1950)

PONTUAÇÃO: MUITO BOM
Título Original: All About Eve
Realização: Joseph L. Mankiewicz
Principais Actores: Bette Davis, Anne Baxter, George Sanders, Celeste Holm, Gary Merrill, Hugh Marlowe, Gregory Ratoff, Barbara Bates, Marilyn Monroe, Thelma Ritter

Crítica:


A GUERRA DAS ESTRELAS

Wherever there's magic and
make-believe and an audience, there's theatre.

Teatro. É sobretudo uma questão de teatro e de actores, neste magnetizante Eva. Gloriosas interpretações, magistralmente dirigidas por Joseph L. Mankiewicz. Falo do astro Bette Davis, sobre todos os outros, que ofusca qualquer cena ou contracena; o charme, o carisma e o infindável talento da sua retórica, a expressividade do seu olhar, a graciosidade do seu movimento. Uma performance que só uma grande actriz como Davis poderia alcançar. There never was, and there never will be, another like you. Depois, as qualidades notáveis e os contributos imprecindíveis do restante elenco: a usurpadora Anne Baxter, George Sanders, Celeste Holm, Gary Merrill, etc. A excelência do argumento e dos diálogos, numa realização segura que priveligia a história e as suas personagens.

Funny business, a woman's career - the things you drop on your way up the ladder so you can move faster. You forget you'll need them again when you get back to being a woman. That's one career all females have in common, whether we like it or not: being a woman. Sooner or later, we've got to work at it, no matter how many other careers we've had or wanted. And in the last analysis, nothing's any good unless you can look up just before dinner or turn around in bed, and there he is. Without that, you're not a woman. You're something with a French provincial office or a book full of clippings, but you're not a woman. Slow curtain, the end.
Margo Channing

Um requinte absoluto, que definiu um clássico.

4 comentários:

  1. É de facto tudo uma questão de teatro aqui, e mais do que a realização e outros aspectos mais técnicos que são competentes, os actores é que brilham expondo o diálogo e a narrativa para o espectador. O argumento é de uma riqueza extrema, como poucos, muito poucos diria, então se compararmos com a actualidade este Eva destaca-se infinitamente. E talvez por isso mesmo o legado e a influência que deixou é enorme, para citar apenas um: o Tudo sobre a minha mãe de Almodóvar é uma espécie de homenagem.

    Posso dizer que quando o vi não me transcendeu, nem gostei por aí além. Nos dias que correm cada vez gosto mais.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. JORGE: É, como disse na crítica, um filme absolutamente "magnetizante". Bette Davis está soberba num dos grandes papéis femininos de que há memória.

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar
  3. Clássico insubstituível, Bette Davis está deslumbrante. A frase "But I wouldn't worry too much about your heart. You can always put that award where your heart ought to be." marcou-me. Tão cedo não me esqueço dela.

    ResponderEliminar
  4. MARCELO PEREIRA: Sem dúvida, insubstituível, tanto o filme como a performance de Davis. Quanto a frases memoráveis, há bem mais do que um punhado ;)

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões