sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

EU VOS SAÚDO, MARIA (1985)

PONTUAÇÃO: FRACO
Título Original: Je vous salue, Marie
Realização: Jean-Luc Godard
Principais Actores: Myriem Roussel, Thierry Rode, Philippe Lacoste, Manon Andersen, Malachi Jara Kohan, Juliette Binoche, Dick

Crítica:

AMÉM

En Ce Temps Là. En Ce Temps Là.
En Ce Temps Là. En Ce Temps Là. En Ce Temps Là.

Uma bola entra no cesto. A lua influencia. Um avião atinge o sol qual espermatozóide atinge o óvulo. Duas mãos atam um cordão: fazem um nó. Gravidez.

Uma narrativa mais ou menos fragmentada, declamações de prosa mais ou menos poética. Um punhado de belas imagens da natureza e o caos na cabine de som. O volume de Bach sobe e desce, repetidamente, pelas mãos do técnico.

Em suma, a coisa mais desinteressante que vi em muito tempo. Que "vi" é como quem diz: às tantas, lá se me saltou o dedo para o botão do fast foward - olhem, com a frequência com que o técnico moderou a composição de Bach. Agora a sério, Eu Vos Saúdo, Maria é um exercício formal regido por símbolos e, quem sabe, pela influência da lua. Fertilidade, é que nem vê-la. E como diria o outro, o resultado não interessa nem ao menino Jesus. Passe a ironia da coisa.

P.s. - O Livro de Maria, de Anne-Marie Miélville, a curta que abre o filme, é realmente um muito bom filme.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões