domingo, 23 de janeiro de 2011

«AS INCONTESTÁVEIS» #18

obra-prima, s. f.
1. Obra primorosa, perfeita, das primeiras no seu género.
2. A melhor obra de um autor.

5 das Incontestáveis Obras-Primas
de Rato, autor do blogue O Rato Cinéfilo:
A Palavra (1955), de Carl Dreyer
Aurora (1927), de F. W. Murnau
O Lírio Quebrado (1919), de D. W. Griffith
Luzes da Cidade (1931), de Charles Chaplin
Ivan, O Terrível (1944), de Sergei Eisenstein

5 das Incontestáveis Obras-Primas
de Gema, autora do blogue Os Filmes da Gema:A Origem (2010), de Christopher Nolan
Wall-e
(2008), de Andrew Stanton
Guerra das Estrelas (1977-2005),
de George Lucas, Irvin Kershner, Richard Marquand
O Fabuloso Destino de Amélie (2001), de Jean-Pierre Jeunet
Psico (1960), de Alfred Hitchcock

Quem contesta?

20 comentários:

  1. Duas listas em que não há nada a dizer! Não contesto nenhum filme! Mas confesso que não vi O Lírio Quebrado!

    ResponderEliminar
  2. GEMA GEMA GEMA GEMA

    Ahhhhh bolas. hoje não se pode fazer campanha ;)

    ResponderEliminar
  3. Agora que as "prima-donas" escolhidas aqui pelo Rato foram divulgadas é minha intenção não me alongar muito nas respectivas considerações, até porque já referi o que penso acerca deste particular assunto em comentários anteriores.
    Foram-me pedidos apenas 5 filmes que se enquadrassem na expressão “obras-primas incontestáveis”, Começando pelo princípio (julgo que é onde se deverá começar sempre qualquer coisa), não consegui ultrapassar a década de 50 - mesmo não repetindo nomes de realizadores (e cada um dos indicados tem no seu currículo mais de uma “obra-prima incontestável”) e referindo apenas um filme por década. Nenhuma destas escolhas necessita de qualquer justificação. Todas elas são “obras-primas incontestáveis”, pelo menos para quem não faz da pipoca uma das razões base de ver cinema. E o que é “incontestável” não dá direito a discussão.

    O Rato Cinéfilo

    ResponderEliminar
  4. Rato eu gostaria de ter uma justificação tua, ou de algum entendido.

    ResponderEliminar
  5. JOÃO BASTOS: Da lista da Gema falta-me ainda ver A ORIGEM, que verei em breve. Destaco AMÉLIE, que é um filme absolutamente genial. Da lista do Rato constam obras verdadeiramente históricas.

    SOFIA: Identificas-te mais com as escolhas da Gema, é isso? O que achaste destes duas listas? ;)

    RATO: Creio que respondeste ao desafio com obras incontestáveis; ainda que haja sempre quem conteste. No geral, contudo, creio-as incontestáveis. Penso, tal como o Ricardo, que teríamos a ganhar com as tuas justificações. Porquê esses 5 filmes.

    Obrigado pela vossa participação.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  6. As escolhas do Rato são interessantíssimas. A Palavra é uma obra-prima com todas as letras, é genial, é brutal, é lindo e, acima de tudo, fundamental. Aurora também é uma obra-prima, incontestável. Vi quase tudo de O Lírio Quebrado mas não é da minha preferência, não gosto. O Luzes da Cidade é outra obra-prima. Falta-me ver o Ivan :)

    ResponderEliminar
  7. Ora bem, só posso dizer que estão aqui representadas duas listas antagónicas, uma com obras-primas (a do Rato) e a outra com os tais filmes de entreter.
    Se bem me lembro pediam-se obras-primas não é verdade?

    ResponderEliminar
  8. Bem, chegou a minha vez e as duas listas não podiam ser mais diferentes... eu gosto dessa situação.
    Começo por dizer que da lista do Rato só vi Luzes da Cidade, que é realmente muito bom... aliás como quase todos os filmes de Chaplin o são.
    Os outros ainda não tive hipótese de os ter visto, mas para quem já foi ao meu blog das listas que tenho para ver, penso que se não estão todos os filmes, devem estar quase todos, por isso logo que consiga sãp filmes a ver.

    Agora para explicar as minhas escolhas, sem muito palvreado técnico (pois como refiro no meu próprio blog, tenho um blog amador e que o criei com base na paixão que tenho pela 7ª arte).
    Por isso aqui vai:

    "A Origem" é um filme que todos poderão achar muito recente para estar numa lista destas, mas eu vi este filme e fiquei deslumbrada em todos os sentidos e tenho a certeza absoluta que este vai ser um daqueles filmes que será mais cedo ou mais tarde considerado pela maioria como sendo uma obra-prima - para mim já o é.
    A perspectiva artistica do filme -a arquitectura vista através dos sonhos é genial, não fosse eu uma eterna amante de arquitectura.
    A banda sonora é brilhante, enfim para mim JÁ é uma obra-prima.

    "WALL-E" foi escolhido, porque queria ter um filme de animação na minha lista. Tive numa lista inicial "A Viagem de Chihiro" e "Branca de Neve e os Sete Anões", mas acabei por optar por WALL-E, apesar de ser tão recente. Porquê? Porque não vi até hoje nenhum filme de animação tão puro e tão simples quanto este. Achei magnifico que quase ele todo não é falado e ainda assim consegue comover-nos da mesma maneira que qualquer outro que tenha dialogos.

    "Star Wars" - pensei em escolher um desta saga, mas confesso que é dificil, porque todos se complementam uns aos outros e é o que os torna tão magnificos.
    Como alguns bloggers sabem, eu odiava "Star Wars" mesmo sem os ter visto, mas depois de muito me convencerem, lá fui vê-los e conseguiu o oposto - sou fãzérrima. E é impossivel ficarmos indiferentes a esta saga, que quanto a mim é (são) obra(s)-prima(s) do cinema.

    Fabuloso Destino de Amélie para mim não há definitivamente nada a dizer, porque Jean-Pierre Jeunet fez um filme perfeito, sem nenhuma falha. Exacto, PERFEIçÃO é o nome que dou a este filme.

    Psico - Na minha lista tinha de constar uma obra deste realizador. Alfred Hitchcock é o meu realizador favorito de sempre e foi e é um mestre.
    Agora o problema estava era na escolha, com tantos filmes magnificos.
    Escolhi Psico, porque para mim representa Hitchcock no seu melhor.
    As cenas de suspense (a da banheira tantas vezes imitada) e aquele final soberbo.
    Psico consegue arrepiar e o melhor é que nem precisou de violência gratuita (como se faz nos filmes de hoje em dia) e conseguiu obter o mesmo resultado se o tivesse feito como os de agora.

    Posto isto aqui estão as minhas escolhas e não mudava nenhuma delas. Quem quiser gosta, quem não quiser, it's their problem!

    Mas mais uma vez muitos parabéns Roberto por esta iniciativa ;)

    ResponderEliminar
  9. tenho uma duvida, os filmes, quer eles sejam, pipoca ou nao, nao servem todos para o mesmo efeito que é entreter?

    ResponderEliminar
  10. ROBERTO: tu não me provoques...

    é claro que me identifico TOTALMENTE com a Gema. Eu sou uma viciada em "filmes de entreter". No dia em que os trocar pelas ditas "prima-donas" é porque estou sob o efeito de algum estupefaciente.

    pensei em escrever sobre a lista da Gema "incontestável" umas 10 vezes seguidas no mesmo parágrafo... mas está muito frio não me apetece.

    ResponderEliminar
  11. entretanto surgiu-me uma dúvida?

    Estamos no século XXI não estamos? É que às vezes quando venho aqui, fico baralhada.

    ResponderEliminar
  12. Da lista da Gema, gosto principalmente da inclusão de O Fabuloso Destino de Amélie ;) Perfeição é de facto a palavra!
    Psico é um daqueles incontornáveis! Também gosto de ver filmes de animação presentes (se não me engano é a terceira vez que acontece)...só não incluí um na minha porque 5 acaba por ser um número bastante pequeno...e não sei se colocaria Wall-E, teria que pensar bem...a animação já nos ofereceu tanto ;) Quanto à Origem, estará pelo menos no caminho...precisaria de outra visualização...Relativamente a Star Wars, são sem dúvida um marco revolucionário no cinema!
    E já agora, que "convincentes" justificações! :)

    ResponderEliminar
  13. Listas com maior contraste não poderia existir... :)

    E, acima de tudo, reflectem duas formas de se ser cinéfilo.

    Cumps cinéfilos a todos!

    ResponderEliminar
  14. PEDRO: Bem-vindo ao CINEROAD. Não sei se entendi ao certo a natureza da sua pergunta, mas creio que é evidente que há filmes mais direccionados para o entretenimento, do que outros. Os filmes pipoca ou de entretenimento não têm geralmente grande profundidade intelectual. Volte sempre.

    SAM: Sem dúvida. O que pensas das escolhas, mais especificamente?

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  15. Roberto, tal como tive oportunidade de expressar antes, as listas têm espelhado mais a opinião de todos os intervenientes do que o consenso "académico" acerca do que é considerado obra-prima cinematográfica. E estas escolhas não são excepção...

    Sobre as do Rato, tenho a dizer que se trata de um conjunto inegável de grandes clássicos. Mas questiono-me: do Murnau, porquê o AURORA e não o NOSFERATU; de Griffith, porquê O LÍRIO QUEBRADO e não INTOLERÂNCIA? de Chaplin, porquê AS LUZES DA CIDADE e não THE KID, A QUIMERA DO OURO, O GRANDE DITADOR ou TEMPOS MODERNOS? de Eisenstein, porquê IVAN e não A GREVE ou O COURAÇADO POTEMKINE? É, sem dúvida, uma questão de gostos, porque citei outros grandes títulos que poderiam muito bem conceber uma lista quase intocável de "obras-primas"...

    Quanto às escolhas da Gema, volta a verificar-se o factor "gosto pessoal". A primeira trilogia STAR WARS é, definitivamente, indissociável da ficção científica contemporânea e perfeitamente aceitável como "obra-prima" do género. A ORIGEM e WALL-E são dois títulos que marcaram o Cinema, enquanto arte e indústria, nos últimos anos, e se ocorreu "deslumbramento", então qualquer um pode muito bem vê-los como "obras-primas". O PSICO é um dos filmes seminais da carreira de Hitchcock, nada a apontar, tudo a elogiar.

    Especificamente, é isto que penso das escolhas agora em destaque :)

    ResponderEliminar
  16. Listas antagónicas de facto. Das escolhas do Rato apenas vi Luzes da Cidade, e muito embora veja um grande filme, uma história comovente e um exercício deveras interessante não o considero de ânimo leve obra-prima. Porventura será daqueles que com o tempo e mais visualizações o considerarei como tal. Por enquanto e, repito, não o vejo desse modo, e tendo imenso respeito e admiração pela carreira de Chaplin.

    Da lista da Gema vi todos e de caras concordo com Psycho. Sem dúvida merecedor desse título. Star Wars é uma marco do cinema incontornável, mas não o considero uma obra-prima, tão pouco incontestável. Amélie, já o disse, não partilho do entusiasmo a esse ponto. Tal como Wall-E, que considero uma belíssimo filme, original na sua premissa, mas que lhe falta algo, talvez tempo. Tempo é sem dúvida o que falta à Origem. Só por isso não o considero obra-prima. Gosto imenso do filme e de Nolan, mas este necessita claramente de tempo para amadurecer. É demasiado cedo. Mas percebo e partilho do entusiasmo.

    abraço

    ResponderEliminar
  17. Estas duas listas fazem-me lembrar a primeira, por ter reunido escolhas tão diferentes. Numa encontramos algumas das melhores obras primas clássicas e na outra obras primas mais recentes, com excepção do Psico, que vem de 1960.

    Acho que as duas contém obras primas incontestáveis que representam bem o espírito da iniciativa, que conseguiu juntar opiniões tão distintas sobre o que é uma obra prima. Mas a escolher uma seria a do Rato, apesar de também ter gostado da maioria das escolhas da Gema.

    ResponderEliminar
  18. Pendo para a lista do Rato, onde constam três filmes belíssimos: "City Lights", "Ordet" e "Sunrise". Mas, como o Sam, não percebo como é que estas escolhas são impessoais, aliás, não percebo como é que uma escolha pode ser outra coisa que não pessoal.

    Na lista da Gema, tenho mais dificuldades em achar obras-primas, ainda assim o "Psycho", mesmo não sendo um Hitchcock preferido, andará lá perto. Gosto do Star Wars, da primeira trilogia, entenda-se, a segunda é das maiores nulidades cinematográficas de sempre. E a Amélie Poulain também me provoca uma especial irritação. Mas, lá está, é uma questão de gostos.

    ResponderEliminar
  19. Ora aqui está a diferença entre quem compreendeu o que lhe era pedido (5 obras-primas incontestáveis do Rato) e quem insiste em dar-nos escolhas pessoais e recentes - "Psycho" é a excepção que confirma a regra.
    Permitam-me ainda discordar dos que dizem que as escolhas do Rato deveriam ter sido mais fundamentadas. A justificação das escolhas está lá bem explícita - um filme por realizador e por década. E, claro, se todas elas são "incontestáveis", nada mais há a acrescentar.
    Quanto à dúvida da SS, é perfeitamente compreensível. Afinal o cinema é uma arte jovem, com apenas alguns anitos de existência...

    ResponderEliminar
  20. Conheço todos da segunda lista (filmes bons mas que nunca me ocorreriam para o lote de obras-primas - mesmo que venere imenso o "Wall-e" e o "Psico", que é sim uma das obras-primorosas do mestre) e o do Chaplin da 1ª.
    São listas com sentidos opostos e por isso um embate muito interessante.
    Cada qual tem o seu cinema...

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões