terça-feira, 25 de janeiro de 2011

«AS INCONTESTÁVEIS» - Última Selecção

obra-prima, s. f.
1. Obra primorosa, perfeita, das primeiras no seu género.
2. A melhor obra de um autor.

5 das Incontestáveis Obras-Primas
de Roberto Simões, autor deste CINEROAD:O Homem da Câmera de Filmar (1929), de Dziga Vertov
2001: Odisseia no Espaço
(1968), de Stanley Kubrick
O Espelho (1975), de Andrei Tarkovsky
As Vinhas da Ira (1940), de John Ford
E Tudo o Vento Levou (1939),
de Victor Fleming, George Cukor e Sam Wood

5 das Incontestáveis Obras-Primas
de Miguel Pinto, Leitor:
Tudo Bons Rapazes (1990), de Martin Scorsese
Memento (2000), de Christopher Nolan
Laranja Mecânica (1971), de Stanley Kubrick
Sete Pecados Mortais (1994), de David Fincher
Psico (1960), de Alfred Hitchcock

Quem contesta?

13 comentários:

  1. As tuas escolhas, Roberto, são realmente incontestáveis. Cada uma é obra-prima, singular, distinta, magnífica. Também estive quase para escolher o Zerkalo que, a par desse 2001 que escolheste e de uns poucos outros, é um dos filmes da minha vida.

    ResponderEliminar
  2. dois filmes que gosto na tua lista, quatro que adoro na escolha do Miguel...

    SORRY :)

    ResponderEliminar
  3. Acho que não é preciso pedir desculpas.
    Isto nunca foi uma competição, ou foi? O_o

    As escolhas do Miguel são tudo grandes filmes, e as tuas são tudo obras-primas incontestáveis!
    Só não vi As Vinhas da Ira...

    E agora? Balanço?

    ResponderEliminar
  4. Óptimas escolhas, sobretudo O HOMEM DA MÁQUINA DE FILMAR. Grande filme!

    ResponderEliminar
  5. neurotion: :) Nop...
    Foi só uma tentativa de "pedir desculpa" ao Roberto por simpatizar mais com as incontestáveis do Miguel.
    Tens que ver As Vinhas da Ira. Para as aulas tive que o ver várias vezes - é uma ajuda fabulosa para compreender o realismo e o naturalismo, misturados com a depressão e o "sonho americano"

    Quanto ao balanço: POSITIVO. Acho que o Roberto pode pensar num próximo desafio...

    Nós andamos aqui, comentámos, "refilámos" uns com os outros, mas no fundo - com algumas nuances - gostamos do mesmo - CINEMA.

    ResponderEliminar
  6. FLÁVIO GONÇALVES: Estou totalmente de acordo ;D

    SOFIA: Não tens de pedir desculpa, cada um sem um seu caminho e as suas afinidades cinematográficas.

    NEUROTICON: AS VINHAS DA IRA é um filme realmente obrigatório, pelo que te recomendo vivamente. Deixo-te, a propósito, o link da minha crítica:

    http://cineroad.blogspot.com/2011/01/as-vinhas-da-ira-1940.html

    Quanto ao balanço, sugiro-te que acompanhes o blogue a partir das 20h00, para o encerramento oficial.

    Obrigado a todos pelos comentários!

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  7. No que às minhas escolhas diz respeito, tenho algumas considerações a tecer. A primeira é que toda a minha selecção foi elaborada antes desta iniciativa ter começo. Ponderei se as publicaria, mas até pelo feedback dos visitantes decidi publicá-la.

    Quanto à definição de "obra-prima", compreendo-a com 3 acepções, não necessariamente coincidentes. Uma delas é "obra-prima" como a melhor obra de um realizador. Não utilizo muito esta acepção no meu discurso, mas contra factos não há argumentos e com a linguística da língua não discuto. A outra acepção é a de obra perfeita (ou que se aproxima da perfeição, para aqueles que não acreditam na perfeição). Finalmente, a terceira acepção é a de obra primeira, original e que influenciará a linguagem cinematográfica das que se lhe sucederão.

    Nesta iniciativa em concreto, foi fundamental considerar o adjectivo "incontestáveis". Obviamente, tudo é contestável: uma vez mais, contra factos não há argumentos, é esta a natureza das coisas. Perante esta evidência, qualquer fundamentalismo cai por terra.
    Claramente, um qualquer objecto será mais ou menos "incontestável" consoante um maior ou menor número de admiradores (falamos de filmes, obras-primas, neste caso). É nesse sentido que é pertinente estudar a opinião.

    Seguem breves justificações às minhas escolhas, que com toda a certeza são melhor fundamentadas com as respectivas críticas aos filmes.

    O HOMEM DA CÂMERA DE FILMAR | Vertov foi o pioneiro em muitas das técnicas cinematográficas hoje recorrentes. Escolhi o filme precisamente pelo seu papel cimeiro na liguagem cinematográfica. Dissolves, split screen, slow motion, freeze frames, etc... foi ele o primeiro. Para além de um marco no género documentário, o filme de Vertov é de uma originalidade visual absolutamente impressionante.
    http://cineroad.blogspot.com/2010/08/o-homem-da-camera-de-filmar-1929.html

    2001: ODISSEIA NO ESPAÇO | Na minha crítica ao filme tenho uma frase que resume exactamente a ideia que tenho desta obra: "Se alguma vez houve Deus, este foi, certamente, o filme que mais se lhe aproximou". A qualquer instante, se me perguntarem que palavra descreve melhor 2001 eu respondo: perfeição. E se me perguntarem qual o melhor filme de sempre, a primeira obra que me sairá da boca será 2001. Único.
    http://cineroad.blogspot.com/2009/07/2001-odisseia-no-espaco-1968.html

    O ESPELHO: Poderia ter escolhido STALKER, mas julgo ZERKALO igualmente incontestável. Pessoalmente prefiro ZERKALO, mas o argumento que determinou a minha escolha foi mesmo o facto de o julgar igualmente incontestável. Visualmente, narrativamente... o exercício é sublime, genial. Argumento melhor na crítica ao filme: http://cineroad.blogspot.com/2010/08/o-espelho-1975.html

    AS VINHAS DA IRA | Porventura, a última grande obra-prima que vi antes de conceber a lista. Talvez por isso a tenha escolhido: um exercício de dramaturgia como poucos.
    http://cineroad.blogspot.com/2011/01/as-vinhas-da-ira-1940.html

    E TUDO O VENTO LEVOU | Argumento, fotografia, realização, cores, actores, guarda-roupa, direcção artística, etc. Talvez o mais completo dos 5, no sentido em que todas as categorias se esmeram com um certo barroquismo, detalhe e perfeição. Mais arrebatador do que este filme, seja a que nível for, considero impossível. Uma referência para tantos outros filmes.
    http://cineroad.blogspot.com/2010/06/e-tudo-o-vento-levou-1939.html

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  8. Gostei muito das tuas escolhas Roberto, sem dúvida que todas elas são obras-primas.

    ResponderEliminar
  9. Termina em grande a Iniciativa;) Das 10 escolhas só não vi o Homem da Câmara de Filmar (uma pérola por descobrir) e o Espelho, os dois com excelentes indicações. Os restantes são tds reconhecidos e já muito se falou aqui. O Memento é memorável apenas pela forma como a história é contada. Acho que não chega a obra-prima, assim como o Se7en.
    O Grapes of Wrath é realmente um grande filme, talvez "O" filme sobre a Grande Depressão, onde Ford consegue filmar o sofrimento como poucos

    Abç

    ResponderEliminar
  10. Boas escolhas, Roberto. Noto aí uma certa vontade em fazer um "sumário" do Cinema (diferentes épocas, diferentes realizadores, países, etc) e penso que é bom sumário. O que prefiro é o "2001". Há, sim, essa aproximação ao divino, temática, o Homem a aventurar-se pelo Sentido da Vida.

    ResponderEliminar
  11. Escolhi as obras primas que mais me marcaram.
    em vez de utilizar os géneros distintos:sci fi (2001 Odisseia no espaço), drama (21 gramas),etc...
    Utilizei de géneros semelhantes, sendo eles todos diferentes. Se7en é o mais policial. Psico é o que possui mais terror. Memento é o mais misterioso, goodfellas o mais completo dos crimes, e laranja mecânica é indispensável.-
    Obrigado por porem as minhas escolhas e espero que tenham gostado

    ResponderEliminar
  12. Grandes escolhas. Da lista do Roberto concordo inteiramente com Gone with the Wind (também o escolhi :P). É um filme do mais completo e do mais intemporal que possa haver sem dúvida. 2001 também é uma escolha perfeitamente acertada na minha opinião, e das poucas que ninguém contesta, ainda que muitos (eu incluído) não idolatrem o filme propriamente.

    Nunca vi O Homem da Câmera de Filmar, O Espelho e As Vinhas da Ira. Este último irei vê-lo em breve.

    Da lista do Miguel não concordo com Laranja Mecânica e Goodfellas, embora perceba. Memento e Seven são bons filmes, grandes filmes aliás mas não atingem excelência na minha opinião. Memento até é um filme que adoro, sendo bastante original mas penso faltar-lhe mais qualquer coisa. Por fim com Psycho estou inteiramente de acordo, um dos filmes que conheço que mais sobrevive ao tempo.

    abraço

    ResponderEliminar
  13. As propostas finais... e que boas propostas.
    Do Miguel vi todos e mesmo que não fossem alguns os que elegeria para este fim, são sempre sobretudo uns valentes filmes.
    Do Roberto (sempre arranjaste uma cunha para o "tipo" do CineRoad te deixar participar... eh, eh, eh)... estou um pouco como já disse o Jorge, pois também não vi O Homem da Câmera de Filmar, O Espelho e As Vinhas da Ira. Mas são títulos cujo estatuto é muito grande para não se ver neles que serão excelentes propostas.
    O "2001" afigurou-se realmente como a obra-prima eterna e continuamente desafiante ao longo dos anos.

    Grande final de iniciativa.
    Well done, guys!!!

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões