segunda-feira, 15 de novembro de 2010

«As Escolhas dos 20» #15

20 Escolhidos revelam 5 escolhas que definem a 7ª Arte.

Escolhido #15 - Paulo Soares,
Leitor | Facebook

O melhor Western de todos os tempos:O Homem Que Matou Liberty Valance (1962), de John Ford

O Drama que define o género:A Mulher Que Viveu Duas Vezes (1958), de Alfred Hitchcock

O Biopic dos biopics:Ivan, O Terrível (1944), de Sergei M. Eisenstein

O filme de Guerra por excelência:Ningen no Jōken (1959), de Masaki Kobayashi

O filme que define os últimos 3 anos de cinema:Sinédoque, Nova Iorque (2008), de Charlie Kaufman

Agradecimentos especiais: Paulo Soares.

Quem será o Escolhido #16 e quais serão as suas Escolhas?

13 comentários:

  1. Outro dia, num dos meus habituais zappings pelos canais do Cabo, deparou-se-me este filme "Sinédoque, Nova Iorque". O comando quedou-se por ali, tal o fascínio das imagens, mas só consegui assistir ao último quarto de hora da fita. Entretanto já o gravei na íntegra e um dia destes volto a ele com toda a certeza.
    Do filme de guerra citado nunca ouvi falar mas o biopic eleito (mais um dos "verdadeiros") é sómente um dos filmes fundamentais de toda a História do Cinema, que nos esmaga pela sua grandiosidade. Pessoalmente até sou capaz de preferir o Alexandre Nevski do mesmo Eisenstien, mas apenas por razões estéticas. De longe a melhor escolha do género até agora.
    O "Liberty Valance" é outro belo Ford que, tal como tantos outros westerns de qualidade representa muito bem o género (sem o "definir", entendamo-nos).
    "Vertigo" vem aqui uma vez mais provar uma das lacunas gritantes desta iniciativa - a ausência do Thriller como género. Por isso, alguém como o Paulo Soares ou como eu próprio que adoramos esta obra-prima de Hitchcock só a poderíamos mesmo catalogar como "Drama".
    Como "castigo exemplar" proponho, caro Roberto, que a próxima iniciativa do CineRoad seja única e exclusivamente sobre Thrillers. E olha que há pano para mangas...

    O Rato Cinéfilo

    ResponderEliminar
  2. Ora bem, de todos só não vi o filme do Kobayashi, o qual já li alguma coisa por aqui na net. Quanto ao resto, Synecdoch New York é boa escolha, muito boa. Ivan O Terrível ainda melhor e The Man Who Shot Liberty Valance também (embora eu ache que este filme do Ford, por muito bom que seja, e é um dos meus preferidos dele, é western que anuncia o fim do western). Quanto ao filme do Hitchcock (grande filme) só acho que não se enquadra nessa categoria, é suspense, thriller, o que lhe quiserem chamar, mas não drama. Resumindo, boas escolhas.

    ResponderEliminar
  3. Fabulosas escolhas.

    São todos filmes de grande subtileza, abordam diferentes géneros (VERTIGO, tal como já foi sublinhado, é exemplo disso) mas encaixam-se perfeitamente nas "categorias" agora destacadas.

    Sem demérito para as anteriores e interessantes listas, esta bem pode ser a minha favorita até ao momento.

    Cumps cinéfilos a todos.

    ResponderEliminar
  4. Olá a todos. O Ningen no Jōken é um filme de perto de dez horas, que foi lançado como três filmes separados pela questão da duração. Escolhi-o como filme de guerra por excelência pela forma como apresenta as diversas vertentes da guerra de uma forma crua, sem ilusões de nacionalismos ou heroismos, mantendo um grande nivel de qualidade ao longo de toda a sua duração. Começa por mostrar a personagem principal como reponsável por uma prisão de guerra japonesa, depois apresenta a sua fase de recruta, o periodo de guerra, a derrota, fuga, aprisionamento, etc. Tudo isto mostrando o efeito da gueera na sociedade em geral e na humanidade da personagem principal em particular.

    ResponderEliminar
  5. Para maior informação sobre o Ningen no Jōken ficam aqui os links para alguns artigos que acho interessantes:

    http://www.filmforum.org/films/shipman.html

    http://www.brooklynrail.org/2008/07/film/the-ennobling-embittering-struggle

    http://www.nysun.com/arts/the-human-condition-in-10-hours/82130/?print=8980936121

    http://bjanepr.wordpress.com/2009/02/16/masaki-kobayashi-the-human-condition-parts-i-iii/

    http://www.criterion.com/current/posts/1226-the-human-condition-the-prisoner

    http://www.reverseshot.com/article/human_condition

    http://www.slate.com/id/2226970/

    ResponderEliminar
  6. Epá, só vi o Liberty Valance... Estou a sentir-me meio ignorante neste momento. Mas parecem-me boas escolhas, como de resto têm sido a maioria até ao momento

    ResponderEliminar
  7. Bom também só vi de todos um, o Vertigo, que concordo com tudo o que foi dito. E para mim claramente encaixava no thriller, suspense, um dos melhores exemplos de uma filme à Hitchcock. Como drama aceita-se, e acima de tudo percebe-se a vontade de incluir um filme deste calibre.

    Quanto às restantes escolhas, fica a recomendação, sendo que O Homem Que Matou Liberty Valance é uma descoberta que farei brevemente.

    abraço

    ResponderEliminar
  8. Eu sobre o VERTIGO, que é somente o meu filme preferido #1 de sempre, até o teria colocado na secção Romance (apesar de não definir o género é certo), pois vistas bem as coisas até é centralmente um romance muito elaborado num "disfarçado" de thriller.

    ResponderEliminar
  9. Tirando o filme do Kobayashi que nunca vi, todos os restantes são excelentes escolhas para os respectivos géneros. Exceptuando claro o "Vertigo", que como acima já foi referido é o Thriller por excelência. Por isso já assinei também a petição proposta pelo Rato.

    ResponderEliminar
  10. Para Western, "O Homem Que Matou Libery Valance" seria a minha escolha também.

    ResponderEliminar
  11. O "Vertigo" é um grande filme sobre a obsessão e o amor, muito mais do que um simples thriller ou filme de suspense. Óptima escolha.

    ResponderEliminar
  12. As escolhas do Paulo são das mais ricas que já aqui apareceram e que revelam o seu assombroso conhecimento cinéfilo. Adorei a escolha do Sinédoque, Nova Iorque.

    ResponderEliminar
  13. TIAGO RAMOS: Pois, as escolhas do Paulo mostram o "poço" de cultura cinéfila que ele certamente encerra. Um abismo irresistível que me espera, adivinho. Quanto ao SINÉDOQUE, espero vê-lo este Natal.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2016 de Roberto Simões