sexta-feira, 3 de setembro de 2010

BRAVEHEART de Mel Gibson, segundo Saulo Silos

Agradecimento Especial:
Saulo Silos, Volver um Filme

No ano de 1280, em função da morte de seu rei, sem ter deixado um herdeiro, a Escócia proclama o também rei da Inglaterra, Edward Longshanks I (Patrick McGoohan) como seu rei, famoso pela sua impiedosa tirania. A partir desse fato vários escoceses se rebelam em função de sua liberdade e esse é o motim que move todo o filme.

Enquanto jovem, William Wallace (que na fase adulta será interpretado pelo Mel Gibson) enterra seu pai e irmão que foram mortos por lutarem a favor de seu paíz e justamente nesse dia de pesar ele conhece aquela que será futuramente sua esposa, Murron (Catherine Mccormack), que lhe entrega uma flor que o jovem William irá guardar até encontrar com ela novamente. Até que anos se passam, ele a encontra e se casam as escondidas. Murron acaba sendo violentamente assassinada, fato que torna William um homem em busca além da sua liberdade, também de vingança aos responsaveis pela morte de sua amada!

Em belas sequencias de luta, batalhas em campo aberto, Mel Gibson mostra que simples seres são capazes de enfrentar poderosos exércitos em busca de algo que tornará a vida de todas as gerações melhores que as deles. A força do filme não esta somente em tais cenas e sim na simplicidade desses camponeses pobres em agir frente a situações de combate a partir da busca pela liberdade. Com uma vigorosa trilha sonora composta por James Horner, uma bela fotografia feita por John Toll e uma direção exata do próprio Mel Gibson, Braveheart se tornou um dos maiores épicos de todos os tempos, com uma história, verídica ou não, de um homem que lutou em prol de toda uma nação!

5 comentários:

  1. Belo apontamento. Resume todo um filme que não tem palavras. É ver para crer. Aqui, mais do que nunca se verifica que, a ser bem feito, um épico atinge valores altíssimos de qualidade em todos os departamentos. Consegue brilhar desde a palavra proferida até à paisagem filmada magistralmente.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. JORGE: Também faço parte daqueles que vê em BRAVEHEART um triunfo absoluto ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  3. Realmente jorge, um belo filme, um épico de toda uma geração!

    Valeu pela postagem Roberto!

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Realmente um grande épico que ficará marcado para sempre!

    Vitor Silos
    www.volverumfilme.blogspot.com

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões