sexta-feira, 13 de agosto de 2010

5 Grandes Interpretações Masculinas

Brad Pitt em Clube de Combate

Russell Crowe em Uma Mente Brilhante

Heath Ledger em O Cavaleiro das Trevas

Robert De Niro em Touro Enraivecido

Mel Gibson em Braveheart - O Desafio do Guerreiro

Estas são 5 das minhas interpretações masculinas favoritas, de todos os tempos. Quais são as suas?

33 comentários:

  1. Não consigo concordar NADA com o Mel Gibson e com o Russelll Crowe. Acho ambos com interpretações terríveis em filmes horríveis.

    Mas concordo com Brad Pitt, De Niro e Heath Ledger.


    Abraço.

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Sem pensar muito são estas:

    Marlon Brando em "A Streetcar Named Desire"
    Al Pacino em "Scarface"
    Daniel Day Lewis em "There Will Be Blood"
    Jeff Bridges "The Big Lebowski"
    Jack Nicholson em "The Shinning".

    O papel que colocaste do De Niro é talvez o meu preferido de sempre.

    ResponderEliminar
  3. Ora, mais um excelente desafio. Estou espantado que tenhas conseguido sintetizar assim AS 5 interpretações ;)

    Não consigo fazer tal exercício agora, no entanto, provavelmente incluiria o Ledger.

    Também me espanta que aí ponhas Crowe e Gibson.
    Vou ver o Braveheart brevemente, e logo te digo ;)

    Em relação às minhas escolhas, existem muitas.
    Assim de repente, ocorrem-me:

    Day Lewis, em Gangues de Nova Iorque
    Hoffman, em Rainman
    Norton, em América Proibida
    Williams, em O Bom Rebelde

    ...

    Preciso de pensar.. xD

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. JORGE RODRIGUES: Interpretações terríveis? Podes não gostar dos filmes, mas não reconhecer as interpretações... enfim. Estamos novamente em desacordo.
    Só uma pergunta, por curiosidade: lembras-te de boas interpretações em filmes que detestes, ou não?
    Já agora, gostaria de contar com a tua resposta ao desafio... Que grandes desempenhos masculinos te marcaram?

    JOÃO GONÇALVES: Sim... As de Day-Lewis e de Jack Nicholson que referes também são das minhas favoritas. Assim como, por exemplo, Peter Sellers em DR. ESTRANHO AMOR. També gosto imenso das restantes, só ainda não vi O ELÉCTRICO.

    JACKIE BROWN: Não sintetizei nada ;) São apenas 5 das minhas interpretações masculinas favoritas. Há muitas outras. Concordo com todas as tuas escolhas, sobretudo com a de Day-Lewis em GANGS (que actor), Norton em AMÉRICA PROIBIDA e Williams em O BOM REBELDE (das minhas favoritas também).

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  5. Daniel Day Lewis - "There Will Be Blood"

    Al Pacino - "The Godfather 1 e 2"

    Anthony Hopkins - "Silence of the Lambs"

    Jack Nicholson - "One Flew Over The Cuckoos Nest"

    Anthony Perkins - "Psycho"

    Entre muitos outros... um Top 5 é pouco xD

    ResponderEliminar
  6. Só CINCO?

    Bom, neste preciso momento em que escrevo vieram-me estas à memória e sem qualquer ordem de preferência:

    - MARLON BRANDO - "Last Tango In Paris"

    - PETER O´TOOLE - "Lord Jim"

    - ROBERT DE NIRO - "Raggin' Bull"

    - DUSTIN HOFFMAN - "Midnight Cowboy"

    - JAMES DEAN - "East of Eden"

    Mas amanhã podia ser uma lista completamente diferente.

    Estas coisas das listas, dos melhores e dos piores é tudo muito relativo. Depende até - e muito -do nosso estado de espírito quando nos propomos a ver um filme. E depois há as simpatias pessoais de cada um, neste caso, por um intérprete. É como sermos do Benfica, do Sporting ou do Porto - os "nossos" são vistos sempre por um outro prisma, mais com origem no coração do que na cabeça.

    ResponderEliminar
  7. LUÍS SILVA: Concordo com todos menos com o Al Pacino no GODFATHER I. Não acho que seja nada se assinalável, comparado com os restantes.
    Isto não é um necessaria ou propriamente um Top.

    RATO: Grandes nomes, sem dúvida. Grandes "deuses" da representação e do cinema americano.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  8. Assim de repente

    Marlon Brando em A Streetcar Named Desire

    Jack Nicholson em One Flew Over The Cuckoo's Nest

    Christian Bale em The Machinist

    Robert de Niro em Taxi Driver

    Alain Delon em Rocco e i Suoi Fratelli

    ResponderEliminar
  9. As minhas escolhas:

    Leonardo DiCaprio em BLOOD DIAMOND;
    Daniel Day Lewis em GANGS OF NEW YORK;
    Christopher Waltz em INGLOURIOUS BASTERDS;
    Robert Duvall em APOCALYPSE NOW;
    Jack Nicholson em ONE FLEW OVER THE CUCKOOS NEST;

    Bom teria de colocar uma de DiCaprio - um dos meus actores preferidos actualmente. O Daniel Day Lewis é um grande actor e está tudo dito, assim como o Nicholson. No filme que referi dele é das minhas actuações preferidas, senão mesmo a preferida. Quanto a Christopher Waltz e Robert Duvall são talvez as mais precipitadas, mas ainda assim não me saem da cabeça, por isso não resisti de momento.

    As tuas são todas grandes também, mesmo todas, sem qualquer destaque particular.

    abraço

    ResponderEliminar
  10. ÁLVARO MARTINS: Por acaso não consigo achar a prestação de De Niro em TAXI DRIVER assim tão avassaladora. Está bem que a personagem é enigmática e um pouco reservada, mas ainda assim. A de Bale em O MAQUINISTA é qualquer coisa de assustadoramente atroz! Entrega total, ao papel. Nicholson está magistral no filme de Milos Forman. Como já referi, não conheço essa prestação de Brando, ainda, nem a última que referiste.

    JORGE: As tuas escolhas também são magníficas. DiCaprio, claro. Grande escolha. Também gosto imenso da sua prestação em O AVIADOR.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  11. Hm, gostei da lista, mas não sou muito fã de Mel Gibson e Russel Crowe, colocaria Jack Nicholson por "O Iluminado" (ou Um Estranho no Ninho) e Clint Eastwood por Gran Torino!

    Abs.

    PS: Sobre o post abaixo, é, eu li... mas na hora esquece que era para ser épicos e coloquei filmes do meu gosto. Acho que o único épico mesmo, em todos os sentidos foi Ben Hur!

    ResponderEliminar
  12. Vá, admito que no Russelll Crowe talvez tenha exagerado um pouco. Mas no caso do Mel Gibson não. E não é por não gostar do filme (que eu gostei, embora não o considere grande filme). Acho que é completamente over-the-top e ao tentar ser inspiradora e épica falha redondamente.

    No caso do Crowe... Acho sinceramente que ele não é um bom actor para dramas sentimentalistas, pesados. É muito unidimensional a maioria das vezes e tem tendência para escolher homens complexos e introspectivos nos filmes. (Ainda assim, a Jennifer Connelly - que ainda por cima ganhou o Óscar - é que é para mim o pior do filme). De qualquer forma, falar do Ron Howard apoquenta-me, daí que talvez o Crowe tenha levado com um pouco do meu ódio injustificamente, vá. Ele é um bom actor.

    Mas é a minha opinião, claro que não tens de concordar comigo. E não leves a minha discórdia a peito :) não era a minha intenção.



    E escolher cinco interpretações custa-me imenso...

    Bem, se me pedires da década de 2000, eu diria (sem ser por ordem):

    Christian Bale, AMERICAN PSYCHO (também se pode pegar em EL MAQUINISTA, mas isso é muito mais falar em devoção total ao papel e à personagem do que propriamente à interpretação)
    Daniel Day-Lewis, THERE WILL BE BLOOD
    Heath Ledger, entre BROKEBACK MOUNTAIN e THE DARK KNIGHT (não consigo escolher qual das duas)
    Gael García Bernal, LA MALA EDUCACIÓN
    Adrien Brody, THE PIANIST

    (a minha restante lista: http://mundotaperdido.blogspot.com/2010/03/melhores-actores-da-decada-2000-2009.html)

    De sempre... É muito complicado. Até porque eu muitas vezes não faço distinção entre Secundário e Principal porque há interpretações secundárias de grande nível.

    Mas vá (excluí as desta década, pois sentir-me-ia tentado a colocar alguma, o que talvez seria injusto pois é a década que melhor conheço E a que está mais fresca na cabeça):

    .Orson Welles, Citizen Kane
    .Peter Sellers, Dr. Strangelove
    .Robert DeNiro, Raging Bull
    .Humphrey Bogart, Casablanca
    .Marlon Brando, The Godfather Part I ou por A Streetcar Named Desire (não sabia que este segundo filme ia ter tanto apoio por cá, porque The Godfather é a escolha sempre mais notória e óbvia)


    Mas há tantas. Só em 5 segundos já me lembrei de mais umas dez que acho que podiam vir para esta lista. Enfim. :D


    E sim existem interpretações que eu gostei em filmes que não achei grande coisa (exemplos recentes: Ellen Page em 'Juno', Helen Mirren e Michael Sheen em 'The Queen', Michael Sheen em 'Frost/Nixon', Tilda Swinton em 'The Curious Case of Benjamin Button', entre outros). Eu percebo o que queres dizer.


    Vá, abraço ;)
    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. JORGE RODRIGUES: O Mel Gibson actor já fez muito papel dispensável ao longo da sua carreira. Contam-se pelos dedos as prestações notáveis. Mas o seu William Wallace foi o papel de uma vida. Overacting, aqui e ali, mas perfeitamente à altura do seu papel: um líder encorajador, pleno de ideiais e capaz dos mais admiráveis actos heróicos.

    Russell Crowe é sem dúvida um grande actor. Mas também é daqueles que não brilha em qualquer filme. Unidimensional? Muitas vezes, sim. Curiosamente, é em papéis como o de John Nash ou de Jim Braddock que ele mais brilha. Que papéis destacarias na carreira do actor, já agora?

    Já a Jennifer Connelly, de acordo, não é uma grande actriz. Mas gostei bastante deste seu papel em UMA MENTE BRILHANTE. Se merecia ou não o reconhecimento que teve, isso é outra conversa ;)

    Eu cá não levo nada demasiadamente a peito ;) Esta discussão para além de sã e plena de respeito e consideração, tem-se revelado bastante frutuosa. Só tenho a agradecer a riqueza e o empenho do debate.

    Concordo com todas as tuas escolhas para interpretações masculinas. Todas; da última década e as restantes. Podiam perfeitamente ser as minhas.
    E não têm que ser só protagonistas! Por acaso os meus foram, mas há papéis secundários fabulosos: olha SACANAS SEM LEI ;)

    Quanto ao teu último parágrafo, são todos grandes desempenhos também. Gosto bastante do Michael Sheen, já merecia também o chamado "papel de uma vida" para a glorificação. Ainda bem que percebeste o que quis dizer, a ironia no debate é fina mas necessária ;)

    Obrigado pelo testemunho, mais uma vez.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  14. Pois, exacto, há vários secundários excelentes. O Waltz é um exemplo, outro seria, por exemplo, Chris Cooper em Adaptation, Tim Robbins em Mystic River, etc.

    E acerca do Russell Crowe... Os meus três papéis favoritos dele é no MASTER AND COMMANDER, no LA CONFIDENTIAL e no GLADIATOR.

    ResponderEliminar
  15. E ainda posso considerar também o THE INSIDER, o único (infelizmente)filme do Michael Mann que a Academia reconheceu.

    O filme é excelente e Crowe e Pacino são-no nele também.


    Abraço,

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. JORGE RODRIGUES: Grandes papéis secundários, esses. Morgan Freeman, Michael Caine, John C. Reilly, Jim Broadbent, Djimon Hounsou são mais alguns verdadeiramente excepcionais, com formidáveis desempenhos, por exemplo, na década 2000.
    Crowe está muito bem em GLADIADOR e em THE INSIDER - O INFORMADOR, sem dúvida, mas está superior em CINDERELLA MAN e em UMA MENTE BRILHANTE, papéis muito mais exigentes e complexos, e genialmente bem conseguidos. Suponho que também não tenhas gostado de Penn em MILK, outro desempenho retumbante (assim como em MYSTIC RIVER, de Eastwood, ainda que num registo completamente diferente - Penn tornou-se, nos últimos anos, um portentoso camaleão). Quanto ao papel de Crowe em MASTER & COMMANDER, esperava sinceramente mais, se bem que não desilude propriamente. Mas lá está, é uma personagem muito mais unidimensional, na minha opinião. O filme, esse, é magistral.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  17. Curiosamente, gostei imenso de Sean Penn em MILK e em MYSTIC RIVER (estava na minha lista de interpretações da década).

    O Russell Crowe... é que não sei bem que fazer dele. Não o consigo admirar, apesar de reconhecer que tem qualidade. Mas quando começam a vomitar elogios e a dizer, como diziam por volta de 2005-2006, que era o maior actor de sempre... tiram-me do sério.

    E pronto, quanto ao Cinderella Man, eu gostei dele até. Mas no A MENTE BRILHANTE... Não.

    Sim, no MASTER AND COMMANDER, a personagem parece bem mais simplista do que os papéis habituais dele, daí que talvez seja até por isso que eu gosto mais dele aí. E sim o filme é uma obra de arte. Ainda bem que, se tudo correr bem, o Peter Weir vai voltar aos Óscares este ano com "The Way Back" e ganhar o prémio que lhe fugiu em 2003 (para o inevitável Peter Jackson).


    Abraço,

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com


    P.S. - Até estou a gostar desta nossa contenda acerca do Russell Crowe.

    ResponderEliminar
  18. JORGE RODRIGUES: Vamos lá ver como o Peter Weir se sai. Espero que muito bem. Eu gostava era que ele voltasse com mais um MASTER & COMMANDER, porque os livros dão pano para mangas. Mas o dinheiro é quem manda, enfim.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  19. Mas que prazer foi ler a vossa discussão. Saudável e muito interessante.
    Humildemente acho que aprendi qualquer coisa :)

    Em relação a Russel Crowe considero-o um grande actor. E curiosamente não acho o seu melhor papel em Gladiator (como muitos afirmam), mas sim em A Beautiful Mind. E não me chateia assim muito este ou aquele filme ter ganho o Óscar em detrimento de outro melhor. São acima de tudo circunstâncias de época que determinam as escolhas e as entregas de prémios. Como muito bem sabemos não é! Por isso passa-me ao lado esses complexos, se bem que goste de saber sempre os vencedores e vencidos. Mera curiosidade.

    E depois A Beautiful Mind tem qualidades, muitas...não se pode dizer que foi entregue o Óscar a um filme banal. Ainda assim compreendo a frustração do Jorge Rodrigues.

    abraço

    ResponderEliminar
  20. Jake Gyllenhaall em Donnie Darko
    Brad Pitt em Fight Club
    Heath Ledger em The Dark Knight
    Colin Firth em A Single Man
    Malcolm Macdowell em Clockwork Orange.

    E só pensei um bocadinho.

    Abraço
    Cinema as my World

    ResponderEliminar
  21. JORGE: Estamos totalmente de acordo ;)

    NEKAS: Grandes escolhas, também, se bem que ache que Gyllenhaal está bem, mas não tanto assim. E ainda não vi UM HOMEM SINGULAR, com o Colin Firth.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  22. Pois Jorge, ainda bem que a discussão foi vista de forma positiva, porque eu nem estava à espera que se tivesse esticado tanto :D


    Mas sim eu percebo a tua opinião e a do Roberto acerca do A BEAUTIFUL MIND. Mas lá está, cada um tem a sua. E eu não consigo entender como é que este filme, tipicamente de Óscar (biopic + Crowe + Howard + drama sério + história inspiracional + deficiência + pessoa famosa + lágrimas + ...), consegue passar:

    - o último grande filme de um dos maiores realizadores de sempre, Robert Altman, que ainda por cima é excelente, GOSFORD PARK;

    - um filme a todos os níveis revolucionário (se bem que quando Luhrmann não foi nomeado para Realizador já se devia ter previsto - mais uma coisa ridícula: um filme musical, com coreografias e canções, dirigiu-se sozinho, queres ver?!), MOULIN ROUGE!, que trouxe o musical de novo à baila (e não, não foi o Chicago, foi este E Dancer in The Dark);

    - O primeiro de uma trilogia de sucesso inolvidável, que para mim é o melhor dos três filmes e serviu para ir construindo o pedestal de onde se ergue, hoje, bem alto, LORD OF THE RINGS;

    - E talvez o drama que mais gostei esta década, IN THE BEDROOM, de Todd Field.

    Claro que se analisarmos depois, percebe-se obviamente porque é que ganhou. Gosford Park é mais obra do elenco do que do realizador, In The Bedroom era demasiado pequeno e complexo para alguns votantes, Moulin Rouge! demasiado à frente - e era um musical, género empobrecido nos últimos anos e Lord of The Rings era só o primeiro, havendo mais dois que poderiam ser premiados. E o filme típico de Óscar ganhou, claro.

    Obviamente que chateia-me mais que o sr. Ron Howard tenha ganho Melhor Realizador, porque sem dúvida que não percebo. Muitas vezes acho um crime o mesmo filme ganhar Realizador e Filme e este é um dos anos.

    Por exemplo, acho que em 1972 a Academia acertou na mouche: Realizador para Cabaret, Filme para The Godfather. Ainda por cima Coppola ganharia em 1975 depois pela Parte II logo fazia todo o sentido para mim que se premiasse Bob Fosse (que merecia, ainda por cima, mais que Coppola).

    E neste caso é igual. Não podiam ter dado o Óscar a Altman, que estava no fim da vida, ou a Luhrmann (que dificilmente se calhar volta aos Óscares, com a escassa frequência que realiza filmes), ou a Field (que se calhar nunca mais realiza um filme tão bom)? Enfim. Os Óscares são um poço de oportunidades perdidas.


    Hmm nota-se que quando toca aos Óscares, eu adoro falar neles não é? Pois :)


    Abraço,

    Jorge Rodrigues
    http://dialpforpopcorn.blogspot.com

    ResponderEliminar
  23. JORGE RODRIGUES: Por acaso penso que, em quase dois anos de blogue, é a 2ª ou 3ª vez apenas que estou a discutir os Óscares. É coisa que já não sigo com particular interesse.
    O Scorsese interroga-se como é possível um filme ganhar o Óscar de Melhor Filme e não ganhar o Óscar de Melhor Realizador, ou vice-versa.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  24. E nem a propósito, dois dos meus "favoritos", Crowe e Paul Haggis (Crash), juntam-se este ano em filme:

    http://www.awardsdaily.com/2010/08/the-next-three-days-trailer-is-here/

    Que vos parece?

    ResponderEliminar
  25. Lol. Realmente para os teus gostos e os teus "pesadelos" pode-se dizer que junta-se a fome com a vontade de comer...que é como quem diz Crowe com Haggis. :)

    Por acaso ainda não tinha ouvido falar, desconhecia mesmo. E parece-me um projecto interessante. Mas daí até a um bom filme às vezes vai muito. A ver vamos.

    abraço

    ResponderEliminar
  26. JORGE RODRIGUES e JORGE: Por acaso ainda não tinha ouvido falar disso. A ver vamos no que dá, exacto.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  27. Nino Manfredi em Brutti, sporchi e cattivi; Daniel Day-Lewis no There Will Be Blood; Robert De Niro no Raging Bull; Heath Ledger no The Dark Knight e Philippe Nahon no Seul Contre Tous.

    Todos grandiosos.

    Custa-me deixar de mencionar Peter Sellers no Dr. Strangelove, o Nicholson no Shining, ou o McDowell no A Clockwork Orange...

    ResponderEliminar
  28. Richard Burton no Bitter Victory, a mais espantosa interpretação de todo o sempre...

    Gene Hackman, no The Conversation
    Richard Farnsworth no Straight Story
    Harvey Keitel no Bad Lieutenant
    Peter Lorre no M

    ResponderEliminar
  29. FLÁVIO GONÇALVES: Todos grandes desempenhos, sem dúvida. Podiam ser perfeitamente as minhas escolhas. Só não conheço Philippe Nahon nesse filme.

    JOÃO PALHARES: Também ainda não vi nenhuma dessas interpretações. Descubri-las-ei com o tempo, certamente.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  30. completamente de acordo com todas ... parabéns!
    http://vidadosmeusfilmes.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  31. Diria:

    Robert De Niro em TAXI DRIVER
    Jack Nicholson em THE SHINING
    Daniel Day-Lewis em GANGS OF NEW YORK
    Dennis Hopper em BLUE VELVET
    Al Pacino em DOG DAY AFTERNOON

    ResponderEliminar
  32. Nun0B: Grandes escolhas, também. Bem-vindo ao CINEROAD!

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões