domingo, 14 de março de 2010

STAR WARS VI - O REGRESSO DE JEDI (1983)

PONTUAÇÃO: RAZOÁVEL
Título Original: Star Wars: Episode VI - Return of the Jedi
Realização: Richard Marquand

Principais Actores: Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Billy Dee Williams, Anthony Daniels, Peter Mayhew, Sebastian Shaw, Ian McDiarmid, Frank Oz, James Earl Jones, David Prowse, Alec Guinness, Kenny Baker, Michael Pennington, Kenneth Colley, Michael Carter, Denis Lawson, Timothy M. Rose
Crítica:

Help me take this mask off.

O espectáculo quase descambou. É difícil sustentar a credibilidade de uma história perante dezenas e dezenas de bonecos falantes, minimamente expressivos, que supostamente seriam seres vivos. Concretizar uma fantasia é, porventura, das tarefas mais complicadas em cinema. Os riscos são sobejamente conhecidos. E o início deste capítulo final, na demanda pelo resgate de Han Solo, é tão exageradamente inverosímil, infantil e desajustado que quase expôs a saga ao ridículo. Há quem goste, todavia. Luc Besson, por exemplo, parece ter gostado bastante. Mas eu não. Felizmente, o universo de batráquios, cabeças de polvo e guardas hipopótamos acaba por dar lugar à fórmula dos capítulos anteriores e o equilíbrio é reposto, a partir do segundo acto.

Creio, contudo, que O Regresso de Jedi é claramente inferior a Uma Nova Esperança ou a O Império Contra-Ataca. E porquê? Porque a fórmula, ainda que resulte satisfatoriamente, apresenta um inegável desgaste. A alternância permanente entre explosivas sequências de acção e arrastadas conversas de relevância diegética sabem a uma reciclagem incapaz de pisar novo terreno. A própria encenação da realização de Richard Marquand é tão-pouco inspirada que me atrevo a dizer que poucas são as cenas memoráveis de tão importante episódio. À excepção, talvez, das últimas cenas... quando Luke retira a máscara negra de Darth Vader e é festejada a liberdade pelos infinitos recantos - visualmente impressionantes - da galáxia. Curioso: aquilo de que mais gosto é precisamente o que foi acrescentado na versão final do filme.

A destacar, um Mark Hamill mais maduro e mais à altura da personagem. E - aparentemente - a admirável interpretação de Ian McDiarmid. Digo aparentemente porque, evidentemente, a caracterização faz milagres e não quero correr o risco de afirmar ter sido seduzido pelo lado negro da força. Verdadeiramente extraordinária e espectacular é a banda sonora de John Williams - sempre num patamar de génio e derradeiramente imortal.

9 comentários:

  1. Concordo contigo, está uns furos abaixo dos anteriores, mas não deixa de ser um filme interessante.
    E lá esta a banda-sonora, mais uma vez, fantástica.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Considero este, definitivamente, o pior dos Star Wars em relação aos anos 80, mas mesmo assim fecha a trilogia em grande!

    Abraço
    Cinema as my World

    ResponderEliminar
  3. opa..... Com tudo o que ja se viu no cinema actualmente é óbvio que ver bonecos falantes, e muito mais, pode parecer ridiculo... Tenho pena que nao tenhas visto estes filmes nos anos 80 e tendo uma visão mais infantil... é com esses olhos que vejo o filme. E gosto tanto como gosto dos anteriores episódios. Foi um fechar em grande da saga. De destacar que escolheste uma imagem em que aparece Hayden Christensen, o que me leva a crer que viste as versoes alteradas digitalmente...

    ResponderEliminar
  4. ALEX SUPERTRAMP: Sim, ainda interessante mas pouco ;D

    NEKAS: Para mim, é mesmo razoável. Penso que a trilogia merecia um melhor desfecho.

    JOÃO BASTOS: Mas não vi o filme nos anos 80. Vi agora em 2010. E se os bonecos me soam pouco credíveis é porque o filme envelheceu. E isso vale o que vale.
    Não creio, de todo, que tenha sido "um fechar em grande da saga", como dizes. Acho um episódio cinematograficamente desinspirado, em comparação com os outros.
    Vi, sim, as versões alteradas digitalmente que, segundo sei, são até à data consideradas as versões definitivas. E tendo em conta que aquilo que mais gostei no filme foi justamente aquilo que foi acrescentado depois, penso que fiz bem em ter visto estas versões definitivas. ;) Estamos pois em desacordo. Talvez estajamos mais de acordo quanto à segunda trilogia. A ver vamos.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  5. De toda a trilogia clássica, este será o que menos aprecio. Os personagens continuam deliciosos, e gosto muito das cenas do resgate de Han Solo e continuo a achar que o Regresso de Jedi tem a melhor cena de combates espaciais que vi até hoje em dia. Sinceramente, George Lucas: Ewoks? Acho que está tudo dito...

    ResponderEliminar
  6. CINE31: Estamos absolutamente de acordo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  7. Ok. Não será o melhor da trilogia inicial, mas será isto um filme razoável?

    ResponderEliminar
  8. PEDRO PEREIRA: Para mim não é mais do que isso, claramente.

    Cumps.
    Roberto Simões
    » CINEROAD - A Estrada do Cinema «

    ResponderEliminar
  9. Sim também acho o pior desta trilogia. Ainda assim não lhe daria as 3 estrelas. Ficaria ao nível dos outros, ainda que os prefira em relação a este.

    Por acaso não me incomoda tanto os bonecos de que falas, lembro-me de me fazer um tudo ou nada alguma confusão, mas tal como dizes acaba por se ultrapassar e a obra se equilibra numa segunda parte.

    De resto a aventura continua, e continua a acção, assim como as mais-valias técnicas. Sou tentado a concordar com a pouca frescura e alguma ausência de surpresas (em diversos planos) que o filme redunda. No entanto, também me parece um final adequado e competente. Enfim alguns terão algumas desilusões (pessoalmente tive as minhas), esperava-se de facto um culminar de maior qualidade e excelência.

    Não compromete acima de tudo, na minha opinião, um pouco ao contrário do que dizes. Será mesmo o filme que mais discordamos.

    abraço

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões