terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

UMA FAMÍLIA À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS (2006)

PONTUAÇÃO: BOM

Título Original: Little Miss Sunshine
Realização: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Principais Actores: Greg Kinnear, Toni Collette, Steve Carell, Abigail Breslin, Paul Dano, Alan Arkin

+
- Um elenco de grandes interpretações: Abigail Breslin, Alan Arkin, Steve Carell ou Toni Collette, em destaque.
- A espirituosa Banda Sonora.

-- Nada a destacar.

14 comentários:

  1. A minha apreciação à idêntica à tua, na medida em que identico os pontos positivos, contudo, dou-lhe mesmo a nota máxima. Little Miss Sunshine é soberbo e emocionante!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. O título aí é este? "uma família a beira de um ataque de nervos"...Nossa, que horror! Credo!

    Acho um filme sensível, divertido e muito bem interpretado pelo entrosamento do elenco. Muito cativante, singelo e simples.

    Gosto muito!

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Eu cá não gostei nada...
    Não pensei muito no assunto, mas de facto não é o meu género de filme. Desiludiu me a todos os níveis.
    Tenta ter piada, mas as situações cómicas alternam entre o sorriso (e nunca o riso) e a estupidez.

    Excepção feita ao duo Arkin/Breslin, é um caso de sobrevalorização a meu ver

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a tua nota e apreciação. É um filme dramático, comovente e cómico, com um argumento muito bom e grandes desempenhos.

    ResponderEliminar
  5. JACKSON: Estamos então de acordo em relação ao filme, mas não em relação à sua relevância artística.

    CRISTIANO CONTREIRAS: Qual é a vossa tradução? Sei que muitos não concordarão comigo, mas por acaso - e neste caso - não desgosto da tradução portuguesa. Gosto bem mais do que o título original, curiosamente.
    Quanto à sua apreciação, estou inteiramente de acordo.

    JACKIE BROWN: Creio, também, que há alguma sobrevalorização em relação a este filme. Mas nem um pouco me revejo na tua opinião.

    TIAGO RAMOS: Pois estamos em sintonia, uma vez mais! ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  6. Olá Roberto!
    "Pequena Miss Sunshine" eu considero um caso curiosíssimo. Incrível como um filme construído de clichés consegue se converter e resultar em um projeto que transcende originalidade. Tu sabe aqueles filmes que é basicamente um caso de amor? Gostamos mais do que deveria? "Pequena Miss Sunshine" tem esse efeito sobre mim. Simples e grandioso!


    ABS!

    ResponderEliminar
  7. NOSSA. Que título horrível!

    Então, eu achava que esse filme era comédia boba, dessas sem qualquer conteúido, mas ao vê-la, não somente me diverti como lhe reconheci grandes qualidades. Acredito que o filme tenha sua estrutura própria e o diretor soube trabalhar dentro dela, ampliando o filme o máximo possível, sem pretensões de torná-lo mais do que é. A isso, meus parabéns.

    Adoro a dancinha da criança no concurso de beleza, principalmente quando tira a gravata do pescoço e dança no estilo Demi Moore em Striptease.
    Ri demais daquilo!

    Recomendável totalmente.

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro esse filme, o considero um do melhores da década.

    ResponderEliminar
  9. Vim aqui deixar um comentário, pensando que "Uma família à beira de um ataque de nervos" fosse alguma releitura de "Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos" do Almodóvar. No entanto, se trata do aqui no Brasil "Pequena Miss Sunshine".

    Sobre o filme, devo dizer que gostei bastante, um roteiro simples e que diverte, com boas atuações. Destaque para o Paul Dano que mais tarde interpretaria muito bem o pastor Eli em Sangue Negro.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  10. ELTON TELLES: Por acaso sobre mim não tem esse efeito curiosíssimo, mas compreendo ;)

    LUES: :D Eu por acaso não acho! Quanto ao filme, dá para perceber que mexeu com o seu bom humor! ;)

    BRENNO BEZERRA: É um bom filme. Pessoalmente acho esse julgamento exagerado.

    SANTIAGO: LOL realmente, os tradutores portugueses foram lá buscar inspiração ;D Não creio que Paul Dano mereça destaque, mas é certo que no filme de P.T. Anderson o merece! De resto, estamos de acordo.

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  11. Confesso que também simpatizo com este título, um pouco na mesma linha da tradução de Um Azar do Caraças. Não é tradução fiel, mas está de tal forma bem com a história que não afronta.Também lhe dava um valor acima, mas lendo os comentários acabo por perceber a opinião do Roberto. Pessoalmente, pareceu-me que foi m filme feito sem complexos, para entrar dentro do género no qual se define, um filme para ver num domingo à tarde, com a família. Lembro que na altura surpreendeu a sua nomeação, mas também não é uma comédia para rir a fartasana com cenas cómicas ou de humor fácil. Diria que é antes para rir de toda a base da história, das ironias do filme, das contradições e até mesmo da sua moral. Enfim, é a minha opinião, um pouco rebuscada talvez.

    P.S. Também adoro a sequência do streptease, principalmente da saudação final do tipo no fundo da sala

    ResponderEliminar
  12. CLÁUDIA GAMEIRO: Sim, a sequência final do concurso arrebata gargalhadas a qualquer um! ;D E lança uma grande mensagem sobre família, não? ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  13. Eu adoro esse filme. Todos os atores estão ótimos. Alan Arkin e Paul Dano estão demais!

    Ah, eu achava que os títulos aqui eram ruins, mas vejo que não é só aqui que esse tipo de constrangimento acontece.

    Cinema para Desocupados

    ResponderEliminar
  14. MATEUS, O INDOLENTE: Estou a ver que a tradução desse título está fazendo furor desse lado do atlântico! ;)

    Cumps.
    Roberto Simões
    CINEROAD – A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar

Comente e participe. O seu testemunho enriquece este encontro de opiniões.

Volte sempre e confira as respostas dadas aos seus comentários.

Obrigado.

CINEROAD ©2017 de Roberto Simões